Absoluto, CSA vence com modelo e atitude diferentes – Blog do Marlon
A estratégia vitoriosa e o momento de alta de Ney da Mata no CSA
Pacote alagoano: CRB encerra uma etapa, CSA próximo do 1º objetivo e ASA segue desespero

Didira comemora o segundo gol do CSA: vitória absoluta – Foto: Pei Fon – TNH1

 

O CSA venceu o Remo com uma latente superioridade. Se buscarmos qualquer valência de uma partida, qualquer scout a ser utilizado, o CSA foi superior.

A equipe se apresentou de uma maneira diferente contra o Remo. Pela primeira vez, o técnico Ney da Mata optou por um clássico 4-4-2 com um losango, onde Dawhan era a base, Boquita era o vértice direito, Rosinei o vértice esquerdo e Daniel Costa fechava o losangulo azulino. O Remo espelhava o que o CSA fazia.

Além de uma postura tática diferente, o CSA também tinha uma atitude diferente no jogo. O time veio com uma marcação muito agressiva. A marcação forçava em cima do homem da bola e conseguia roubar diversas bolas em uma área mais próxima do gol.  Edinho foi fundamental desde o começo da partida. Diferente de outros jogos, o jovem atacante azulino veio atuando pelo lado esquerdo e ainda no primeiro tempo, amarelou dois jogadores do Remo.

Foi através de uma falta sobre Edinho que o CSA chegou ao primeiro gol. Rafinha bateu com perfeição, a bola explodiu no poste, atravessou toda a linha do gol e entrou no lado contrário.

No começo do segundo tempo, o Remo se atirou um pouco mais, mas vinha desorganizado. França passou a sair mais e desarrumou a equipe. De maneira inteligente, o CSA dava o campo para o Remo e buscava o contra-ataque.

Quando o técnico Ney da Mata partiu para a primeira alteração entendi que houve um equívoco do treinador. Daniel Costa fazia o seu melhor jogo com a camisa do CSA e a entrada de Caique trouxe uma participação mínima do substituto. Ressaltei que a única justificativa era desgaste físico.

Quando a partida já parecia definida, surgiu o lance improvável. Edinho deu uma assistência como um meia e Didira, de cabeça, isso mesmo, usando a cabeça marcou o segundo gol do CSA.

Indiquei Edinho como o melhor jogador da partida, mesmo considerando o grande jogo feito por Daniel Costa. O árbitro baiano, Diego Pombo Lopes não fez um bom jogo. Teve equívocos no aspecto disciplinar. Poderia ter expulsado o volante João Paulo em uma falta sobre Dick e também teve duas situações reclamadas como penalidades não dadas em favor do CSA.

  • Ljr

    Parabéns pelo trabalho em prol do futebol alagoano.

  • Luiz R S Filho

    Marlon e Amigos…..Vejo alguns torcedores Azulinos cobrando/exigindo um melhor futebol, mais vistoso, mais empolgante. A realidade do futebol jogado numa série C é outra. Não há espaço pra dar “Show”, construir o placar e depois gritar o famoso “Olé”. O jogo é pegado os 90 minutos e mais os acréscimos e qualquer deslize/vacilo pode causar uma derrota ou um empate indesejado. No Grupo A dessa série C não tem equipe mais competitiva e regular que o CSA, talvez nem no Grupo B. E isso quase sempre sem repetir a escalação. Há muito tempo não treinava o CSA um profissional emotivo e vibrador e sendo frio e calculista, que visa a objetividade e o resultado positivo. É manter esse foco com os pés no chão, que chegaremos ao objetivo maior.
    SEGUE O LÍDER…….Rumo à SÉRIE B !!!!!!!!

  • Gustavo Dacal

    Gostei do jogo que o Rosinei fez, mostra que com a sequência ele será muito importante. Percebi um certo corpo mole dos jogadores do Remo que acabou facilitando pra gente. Em geral nosso ataque ainda é deficiente, mas o sistema defensivo ta cada vez melhor. Time no rumo certo!