80 dias sem perder mostra a construção do trabalho como sequência de uma ideia – Blog do Marlon
Mesma comissão técnica para dois times em locais diferentes.
Ponto na curva, ponto fora da curva

Léo Condé: trabalho superou o senso comum que o treinador não teria ‘peso’ para comandar o time do CRB

 

O CRB completa hoje 80 dias sem perder. São 15 jogos de invencibilidade, sendo 11 no Alagoano, 3 na Série B e 1 pela Copa do Nordeste. O tamanho do feito explica o ótimo momento da equipe regatiana. O Corinthians(SP), por exemplo, chegou aos 70 dias.

Estes 80 dias dias mostram que o CRB está construindo um conceito de time, um projeto que tem uma sequência e proposições sólidas. Léo Condé chegou sob a desconfiança de muitos, sob o olhar do senso comum, comparativo com o técnico anterior e pela juventude, levantando suspeita junto aos torcedores que não suportaria o ‘tamanho do CRB’.

Com seu perfil tranquilo e de muito trabalho, Condé foi ‘ganhando’, o grupo. A sua forma de trabalhar incluí um forte trabalho em parceria com um analista de desempenho, com estudos específicos dos adversários. A primeira providência ao chegar foi remontar a defesa. Lembro que ainda em dezembro do ano passado, escrevi aqui no blog que contrataria individualmente todos os jogadores da defesa do ano passado, extremamente criticada e uma das mais vazadas da Série B.

Léo Condé chegou com um projeto decidido: ajustar a ‘casinha’. Ajustou o sistema defensivo e deu equilíbrio ao trabalho com dois volantes, que pouco participam do jogo ofensivo, mas que trazem proteção e estabilidade para o setor.

Passado o primeiro momento, o técnico do CRB seguiu para ajustar a parte ofensiva. Após vários testes, o encaixe somente surgiu após a utilização de uma dobra de laterais pelo lado direito. Foi a partir deste momento que o CRB conseguiu o equilíbrio que faltava. Individualmente jogadores como Maílson, Neto Baiano e Chico passaram a render mais com a camisa do CRB, encaixados em um sistema de jogo equilibrado.

A partir de agora, o CRB vive um novo estágio ao tentar integrar ao grupo algumas contratações feitas e que mudam a característica da equipe.

É necessário fazer dois alertas. O primeiro deles é que ainda é muito cedo para projetar se este equilíbrio dito e mostrado em números será o suficiente para o Galo fazer uma grande Série B e brigar por acesso. O segundo é colocar em campo as sutis mudanças na maneira de jogar, principalmente com a inclusão de um meia que possa pensar, criar e fazer o time andar em uma competição equilibrada e muito competitiva.

  • José oliveira

    Marlon, parabéns pela sua análise, se essa equipe mantiver um extra campo equilibrado a vida dos adversários vai ficar ainda mais difícil, com opções dos jogadores como o Elvis, Marcos Martins e seus cruzamentos mortais e sua dança safada do lance no gol contra o Ceará, o goleador Neto Baiano e sua dança frescando, agora terá ajuda do Zé Carlos o Zé dos gols, todos os jogadores em suas posições tem subido de rendimentos e vão melhorar ainda mais. A equipe não vai vencer todos os jogos isso é impossível para qualquer equipe, mas com inteligência, tranquilidade e motivação, o galo vai galgar cada degrau, e conseguir seu objetivo, subir.

  • Rubens Mário

    Exelentes e pontuais observações. Quando você diz que contrataria todos os jogadores da defesa, outrora, mais vazada da séie B, você diz tudo sobre o esquema tático anterior. Na verdade são duas concepções de jogo, ganhar de 1×0, ou ganhar de 2×1, 3×2…o grande problema do CRB no ano passado é que, quando teve baixas importantes naquele ataque e meio campo que fazia os gols, continuou a tomá-los, a partir dali, sem fazê-los. Era uma opção de jogo para a qual tinha que ter atacantes letais. o time desse ano, parece-me mais equilibrado nos tres setores. Espero que a necessidade desses que chegaram, jogar, até pelo investimento alto e nomes que têm, não atrapalhe todo esse equilíbrio atual, principalmente, quando vier a primeira derrota.
    Parabéns pelo equilíbrio e imparcialidade dos seus comentários.

  • Breno

    Perfeita análise, sempre quando acaba os jogos corro para meu carro para escutar tudo que observou no campo! Vejo você um futuro técnico que estuda o futevol.
    Abraços

  • Thiago

    É isso mesmo Marlon, parabéns pelos comentários!
    Terá uma hora que o CRB perderá!
    Precisamos dessa gordura nesse começo de campeonato!
    Começamos um pouco diferente do ano passado, que foi vencer em casa!
    Perder jogos em casa tirou o acesso do CRB!
    Avante GALO!
    Parabéns Marlon!

  • ANTONIO MARTINS

    Faltou falar na força os bastidores.

  • LimaJr

    Muito equilíbrio marca a série B, diferente da Séria A, a Segundona é mais abrangente, com a presença de clubes de todas as regiões do País.
    CENTRO-OESTE – 3

    Goiás (GO)
    Luverdense (MT)
    Vila Nova (GO)
    NORDESTE – 5

    ABC (RN)
    Ceará (CE)
    CRB (AL)
    Náutico (PE)
    Santa Cruz (PE)
    NORTE – 1

    Paysandu (PA)
    SUDESTE – 4

    América-MG (MG)
    Boa Esporte (MG)
    Guarani (SP)
    Oeste (SP)
    SUL – 7

    Brasil de Pelotas (RS)
    Criciúma (SC)
    Figueirense (SC)
    Internacional (RS)
    Juventude (RS)
    Londrina (PR)
    Paraná (PR)

    Para se dar bem, é preciso ter um grupo forte, com no mínimo 16 jogadores com capacidade de ser titular, não perder partidas em casa e conquistar pontos importantes fora. São 114 pontos em disputa e conquistar 60% dos deles é garantia de acesso. Equipes com orçamento igual ao CRB precisa de um excelente planejamento e fazer o dinheiro durar os 8 meses, preparação e competição.

  • Alex Mendonça

    Acredito em Léo Condé. Muito bom e competente técnico. O Galoacertou na sua contratação. Estou levando muita fé neste ano de 2017 para o Alvirrubro. Acertou a defesa e o meio campo. Parabéns pela invencibilidade de 80 dias.

  • GALO

    Faltou considerar o jogo CRB e Itabaina pela copa do nordeste. São 15 jogos

  • Denis Rodrigues

    Apesar de não apresentar um futebol tão vistoso, sinto muita segurança na equipe, jogadores que mesmo com grande bagagem no futebol brasileiro não tem o mínimo de pudor de colocar a bola pela lateral quando acuados pelo adversário, aparentemente sem vaidades e imbuídos em um único propósito. Léo Condé por sua vez vem demonstrando que tem o grupo nas mãos, contando com o respeito dos jogadores e seguindo a risca uma filosofia de trabalho onde quem chega tem que ganhar a posição jogando, independente de quem seja o jogador.

  • Luiz Júnior

    O CRB hoje tem uma estrutura de time grande. O CT é um divisor de água. Podemos dizer que a história do CRB está dividida em antes e depois do CT.
    Todo bom jogador quer se projetar nacionalmente e o CRB tem propiciado isto. Por esse motivo muitos tem preferido ficar no clube.
    Outra coisa, a grande maioria dos atletas que defenderam o CRB em 2016, são titulares em seus atuais clubes em 2017, mesmo os que foram reservas aqui.
    Resumindo, o Galo da Praia tem melhorado a cada ano, diferente do que acontece com os demais times da Série B, que apresentam oscilações a cada ano.
    Com muita humildade e pés no chão, chegaremos longe, com certeza.
    Parabéns aos dirigentes e comissão técnica do Galo.

  • CAMS

    Muito bem Marlon, seu comentário, suas observações, esperamos que esse clima não mude com a chegada do Zé Carlos, que ele não venha fazer o que ele fez o ano passado, que venha jogar bola e fazer os goos que o CRB precisa para subir. Espero que o Condé der oportunidade ao Ytalo que chegou primeiro.