Deu a lógica – Blog do Marlon
Problemas semelhantes com estratégias diferentes
Nada mudou

    Jogadores do CSA comemoram gol e classificação – Foto: Alisson Frazaão- ASCOM CSA

 

CSA e CRB chegam para fazer a final do Campeonato Alagoano 2017. A lógica prevaleceu com as duas melhores campanhas na competição. A competição apresentou um baixo nível técnico. O ASA não mostrou força de decidir em casa e na vantagem e o Murici brigou para não ser rebaixado e faltando duas rodadas foi que mudou o status.

O CRB chega a sexta final consecutiva e em três delas , vai decidir contra o CSA. De todos os anos, este é o ano onde há maior equilíbrio. No ano do centenário do CSA, o CRB era melhor. No ano passado, o CSA era superior. Agora os dois tem qualidade semelhante.

Serão dois jogos, sem vantagem e com a novidade da presença de torcida única.  Serão duas semanas de muito trabalho e de estratégias dentro e fora de campo. Mesmo chegando na reta decisiva, os dois times terão que falar e de repente, trazer jogadores para o Campeonato Brasileiro.

Neste período haverá diversas discussões de bastidores e a expectativa de arbitragem FIFA para as duas decisões. A sorte está lançada. O CRB chega com peso da sequência de finais e da busca pelo tricampeonato. O CSA chega motivado pela reação na competição e por ter revertido uma vantagem do ASA.

 

CRB 2 x 1 Murici – O que eu vi…

Chico salta e comemora gol da vitória: CRB mais uma vez finalista – Foto: Pei Fon – TNH1

 

CRB veio modelado da mesma maneira que jogou contra o ASA.O começo tem o CRB num 4-4-2, com a segunda linha de quatro tendo Adriano, Yuri, Ratinho e Chico. O time ficava sempre com as duas linhas de quatro.

Começou muito bem, encaixou triangulações e chegou a um gol em uma jogada de ‘manual’. Neto lançando para Diego no ponto futuro e cruzando para dentro da área surgir Yuri, com aproximação do homem surpresa e com os volantes participando do momento ofensivo.

 

Após o gol, o CRB teve tudo para matar o confronto, mas no lance ficou evidenciado a ausência de confiança do Neto, que no meio da área, não finalizou, recuou para Ratinho, que por sua vez, demorou e permitiu que o Murici tomasse conta do lance. No contra-ataque, o Murici conseguiu a penalidade e empatou.

Depois disto, o CRB perdeu-se dentro de campo. Sentiu o impacto e começou a fazer um jogo perigoso. O time desceu para o vestiário vaiado.

O time voltou para o segundo tempo modelado no 4-2-3-1. Mas não voltou com qualidade. Somente quando houve a troca de Neto por Maxwell, o CRB encaixou.

Condé acertou ao tirar a referência e deixar o Murici sem saber a quem marcar. O time passou a ter muita movimentação e volume de jogo. Sendo assim com estas características, o CRB chegou ao gol da vitória, baseado em mobilidade,troca de posições  e na individualidade. O Galo  fez o segundo e chegou próximo de mais gols.

Depois foi apenas construir contra-ataques e buscar ampliar o marcador. O jogo terminou em 2 a 1 e com o CRB finalista mais uma vez.

Destaco Ratinho como garçom, mas o Craque do jogo foi Chico. Não apenas pelo gol, mas porque também é a peça de mudar o modelo de jogo do time do CRB. O árbitro Ricardo Marques Ribeiro fez um jogo tranquilo e sem maiores problemas. A estratégia de deixar o jogo correr as vezes deixa passar algumas faltas.

  • raphael

    O Galo será tri. Nessas horas a camisa pesa e o CSA vai dar aquela tremida de sempre.

  • Edilson

    Parabéns pelas sábias palavras durante toda temporada.
    Porém Azulão campeão

  • José Oliveira

    Bom dia Marlon, boa matéria parabéns, agora chegou a hora da verdade, na minha opinião o CRB é um pouco melhor tecnicamente embora falte em algumas oportunidade raça e peças como um centroavante inteligente. Raça o CSA tem de sobra e uma parede no gol que não falha nunca. A nota negativa vai ser a torcida única numa decisão tão importante, o presidente do CSA insiste em manter. Independente quem for campeão ambos terão que contratar para o Brasileiro deviam já está fazendo isso, sem precisar anunciar.

    • Luiz R S Filho

      Sr. José Oliveira, a quem repeito por seus comentários sempre equilibrados.
      Me permita, mas não é o Presidente Rafael Tenório que “insiste em manter”, torcida única nos clássicos. É um fato acertado naquela reunião no TJ onde estiveram presentes todos os envolvidos, Clubes e Autoridades, e que foi ratificada com teor judicial por ocasião da realização do último clássico da fase Hexagonal.
      A culpa dessa situação é da própria torcida – melhor dizendo – daqueles “torcedores” que antes, durante e depois dos jogos, se utilizam de atos violentos contra outros, colocando em risco patrimônios públicos e privados além da integridade física de tantos outros torcedores que se deslocam aos estádios com familiares para assistirem e torcerem e incentivarem seus Clubes em paz.

      • José Oliveira

        Obrigado sr. Luiz R S Filho, entendo o seu posicionamento mais as duas diretorias do CSA e CRB poderia chegar a um acordo para o comparecimento das duas torcidas na decisão, com percentuais acordado, mesmo porque quem provocou aquela briga horrível no ano passado não foram os torcedores e sim bandidos, os torcedores de bem que são maioria absoluta do CSA e CRB vão até juntos para o estádio sem problemas. Ao adotar a torcida única está respeitando a violência e violência não é para ser respeitada e sim combatida, dentro e fora do estádio. Daqui por diante vai ser sempre assim?

        • José Oliveira

          Ressaltando, qualquer acordo entre dirigentes dos clubes para comparecimento das duas torcida nos dois jogos, teria que ter aprovação da PM e MP. Mas se não tiver plano inteligente para essa finalidade, melhor torcida única mesmo, que é uma pena.

  • Thiago

    Qual foi o público total marlon, grande abraço

  • Ze Mario

    Marlon sou aqui de Murici e vi uma grande crítica ao que vc escreveu , chamando o Murici de Intruzo , eu entendi a sua intenção em comparar os 3 grandes , mas vi vereadores e outros detonar sua pessoa, mas ficou mais que provado time que depende de um jogador acima do peso para modificar panorama da partida , só num time que trata o futebol de forma não profissional permite esse Paulo Victor é um tal de João Paulo que já foi embora muito obeso para atleta. Parabéns vc mostrou grandeza …

    • Lucas Melo

      Creio que ele usou a palavra intruso se referindo a grande surpresa que foi Murici, um time com elenco limitado, um time que na metade do primeira fase era indicado como um dos times que iria lutar pra não cair se recuperou nas ultimas rodadas e chegou a semi, conseguiu mudar da água pro vinho.

  • Lucas

    Canindé errou muito em não conseguir arrumar um time titular, mas acertou nesse jogo contra o ASA, uma pequena teimosia em colocar Daniel Costa de primeira, se repetir a pegada e jogar juntos contra CRB, assim podemos levantar a taça de campeão estadual. Muitos não acreditava que o CSA não passaria pelo ASA, aquele time com uma marcação e uma pegada muito forte.
    Mas pra quem desacreditou é secou, tamos ai na Final. Triste pela final ser de torcida única, mas poderia liberar para a Final as bandeiras, instrumentos as faixa, já que vai ser de torcida única, que seja uma dia de festa para ambas torcidas!!

  • Luiz Oliveira

    Boa noite Marlon,a imprensa esportiva daqui de Arapiraca sempre vem questionando a ausencia de público nos jogos do ASA,sempre tentando desvendar o motivo.E eu tenho a resposta para isso,vou responder por mim,mais talvez a grande maioria dos torcedores alvinegros tenham o mesmo motivo que eu tenho,de a muito tempo não ir ao estádio.De uns tempos prá cá,só decepção,desde a sua queda da série b para a c.Eu era um frequentador assíduo dos jogos do ASA,mais eu vejo uma equipe nadar muito e morrer na praia,se eu for aqui numerar os casos,meu comentário vai ficar longo.É muito triste para mim,porisso prefiro ficar longe do estádio,o coração agradece.