#O novo já nasce velho em dois atos – Blog do Marlon
CSA larga bem, mas mostra falhas e comprova má fase de alguns jogadores
Triste, feio e lamentável

Falei da esperança de ver um jovem no comando da FAF com ideias, intenções e comportamentos diferentes do que costumeiramente estávamos acompanhando. Mas as amarras pessoais e politicas não permitiram muitas mudanças.
Em tempos de redes sociais com peso e influenciando, a hastag ‘o novo já nasce velho’ ficou sendo usado para a repetição de práticas antigas com um novo dirigente.
Esta semana duas situações mostram que a hastag está atual. O auditor Matheus Argolo que usou de prerrogativa de auditor para assistir o clássico entre CRB e CSA no Rei Pelé, quando a partida era de portões fechados. O referido auditor foi companheiro do presidente Felipe Feijó no curso de direito e indicação da Federação Alagoana de Futebol para compor o pleno do TJD.
Felipe desmentiu reiteradas vezes que a mudanças dos auditores seria uma espécie de insatisfação da FAF em que alguns posicionamentos tinham sido mais duros. Mas indicações por amizade, no mínimo, induzem o julgador a um posicionamento comprometedor na hora de julgar, pois seria desconfortável se manifestar contrário a um posicionamento de alguém que o indicou para aquela função.
Outro caso que me chamou atenção foi o do Santa Rita. Preciso lembrar que o presidente Felipe Feijó declarou no começo do campeonato que qualquer filiado que solicitasse uma mudança de data em função de buscar uma melhor arrecadação seria atendido.
A oportunidade surgiu agora, ao menos na justificativa oficial. Todos nós sabemos que o Santa Rita queria mais um dia de trabalho, de conhecimento do grupo do novo treinador. O atendimento é legal, não existe nenhuma infração na Lei, mas lembra da frase: não basta ser honesto, é preciso parecer honesto. Não atender o Santa Rita seria dar ao campeonato, o equilíbrio que ele precisaria ter e não passar a impressão que o time da cidade onde o pai do presidente da FAF é prefeito, conseguiria a mudança colocando outro filiado – que é o único representante de Alagoas na Copa do Brasil – enfrentando um desgaste desnecessário.
Apesar de tudo isso, reputo que Felipe Feijó ainda poderá fazer tudo diferente. Ele ainda terá muitos anos à frente da Casa do Futebol. Tenho esperança que o novo possa arrebentar com práticas velhas e criar um alicerce para uma FAF mais profissional, menos apadrinhada e com menos decisões politicas, optando na maioria dos casos, pelo técnico.

  • Jr. Malafaia

    Parabéns por trazer detalhes dos bastidores do nosso futebol! Não precisa esperar ter rodada pra ter postagem no Blog.
    Marlon, futebol e política, realmente, andam juntos, só que da maneira mais sórdida e menos produtiva

  • Jairo Lessa

    Bom dia ! Meu caro blogueiro eu só resolvi comentar devido ao nível que você chegou na imprensa esportiva desse estado. Enquanto a maioria silencia os absurdos , vc segue essa linha de independente e coragem para com muita lucidez trazer à baila tudo que se encontra escondido no baú dos bastidores do pobre futebol alagoano .

  • rogerio barboza

    Bom dia Marlon e amigos, é muito difícil as coisas acontecerem em Alagoas, ainda subsiste em nossos Estado e de forma muito patente as “Capitanias Hereditárias”. Esse rapaz que preside e não preside a FAF é parte desse contexto. Todos sabemos de onde vem e para onde vai essa movimentação do futebol em promiscuidade com a política(p minúsculo). Temos hoje um campeonato estadual digno de pena. Nível técnico baixíssimo, público inexistente e organização pífia. Um regulamento de outro planeta e uns meninos brincando de fazer futebol. Terceiro mundo é fogo mesmo.

  • Ricardo Moura

    Parabéns, Marlon! Realmente o seu trabalho é diferenciado.

  • Betho Marrêta

    Parabéns Marlon … Concordo plenamente com Vc … Inclusive com o seu comentário com relação aos julgamentos … 30 dias p se julgar ??? Nessa Velocidade toda me preocupa em eles convidarem o Rubinho para assumir o posto … Show … Parabéns

  • Regatiano

    “reputo que Felipe Feijó ainda poderá fazer tudo diferente” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk “sonho meu, sonho meu, vai buscar quem mora longe, sonho meu”.

  • Luiz Magalhães

    Marlon a FAF nesse episódio de não proteger o único filiado em competição nacional se apequena como na omissão do uso da justiça comum na pena imposta a CSA/CRB pelo STJD. O aperto que ASA/CSA/CRB e Murici passaram no calendário decorria da falta de datas.Agora bastaria o ASA jogar quarta e sábado. A Federação irresponsável coloca o filiado para jogar quinta e domingo, tendo jogo no Paraná no meio de semana. Lamentável e pobre futebol Alagoano!Parabéns pelo seu blog !

  • Marcio Lessa

    Parabéns Marlon, nosso futebol merece e precisa urgentemente de mudanças de organização,de pessoas e de atitudes. Aqui andamos sempre em círculos e fazemos sempre mais do mesmo.

  • Jorge Moraes

    Parabéns Marlon. Continuo sem esperança coo o nosso futebol.

  • Helio Viana

    Marlon o Presidente da FAF não comanda nada , ele só assina ! Um capricho do pai , pois tá evidente quem comanda a FAF . Sua esperança já nasce morta .

  • Thiago Leite

    Parabéns por sempre falar de forma coerente e com informação, você é fera! Outro grande exemplo de que não se pensa um pouco é os jogos de CRB e csa neste meio de semana, se ambos vão jogar sem público e de portões fechados, por que não se fez uma rodada dupla no trapichão hoje? se economizaria um bom dinheiro para os clubes que só contraíram dívidas neste campeonato deficitário.

  • Daniel

    O referido cartola apenas uma marionete do papi.

  • Alfredo

    O futebol, inclusive o alagoano, precisa urgentemente, tal qual acontece na politica, de uma Lava Jato, aliás, no caso do futebol, uma Lava Jato em cada federação. As carcomidas oligarquias não largam as inesgotáveis tetas do futebol. Uma CBF presidida pelo exilado interno Marco Polo e pelos vices Antônio Carlos Nunes de Lima, Fernando José Macieira Sarney, Gustavo Dantas Feijó,e Marcus Antônio Vicente, é só dar uma “googlada” e ver o curriculo (ou folha corrida) dos personagens. O grande problema é que tanto a CBF quanto as federações, são pessoas jurídicas de direito privado. No nosso triste caso, a FAF não sairá do jugo Feijoziano nem tão cedo!

  • chico júnior RIO LARGO

    Concordo em tudo Marlon, federação mediocre futebol pobre esse é o alagoano 2017…

  • José Oliveira

    A falta de profissionalismo se estende a todos os setores do futebol Alagoano, CRB por exemplo, porque tem tanta dificuldade em forma jogadores na base?com algumas raras exceções e sorte como aconteceu ano passado quando Mazola deu oportunidade ao Luidy em treinos e jogos e ele correspondeu, esse treinador atual é fraco não tem visão de oportunidade, embora precise de jogadores que estão raros no mercado como um centroavante, poderia ser tirado da base, agora trás de fora um tal de Chico e Elias ruins que doi e não dar oportunidade os jogadores da casa. O que falta para forma bons jogadores, muito pouco, acima de tudo incetivo e oportunidades.

  • Jocélio da Rocha Cavalcante

    Parabéns Marlon, é isso mesmo, política, arrumadinho, etc é a tônica nesse estado. O filho nasceu velho mesmo.Tudo nesse estado é só amizade, são capazes de tolerar toda e qualquer malandragem, desde que beneficie aos amigos. Vocês não viram o arrumadinho do Deputado para manter o Gerente de Futebol no CRB. Nomeio com cargo,comissão e dedicação efetiva, e divide a atividade com o Clube.

  • Luiz R S Filho

    Com essa modificação recente e que se diga vergonhosa do Estatuto da CBF – subjugando em definitivo dos Clubes Filiados – está mais do que na hora dos protagonistas deste esporte – Clubes de Futebol no Brasil, criarem a LNF ou seja LIGA NACIONAL DE FUTEBOL, e se libertarem. Fico por aqui.