CSA precisa resolver a crise de vaidade para ser forte na sequencia dos objetivos – Blog do Marlon
Jogando bem, CRB não teve eficiência ofensiva e ampliou invencibilidade do Vasco
O bicampeonato da eficiência na hora da decisão
Força azulina está na união de todos

Força azulina está na união de todos

Após conquistar parte do objetivo traçado, o CSA parece estar caminhando no destino contrário ao que lhe levou ao sucesso. A vaidade no futebol tem atrapalhado a relação pessoal entre as pessoas que conseguiram resgatar o orgulho do torcedor azulino.

Não é de hoje que percebo uma espécie de isolamento do conselheiro João Feijó. Se voltarmos um pouco no tempo, veremos que em novembro do ano passado, Feijó abraçou o projeto “resgate do azulão” e usou seu prestígio pessoal, empenhou seu nome, colocou dinheiro, contratou jogadores, abriu portas em clubes do país para que o CSA tivesse a condição de montar uma equipe competitiva.

Imaginei que no dia da classificação para a decisão, quando o CSA despachou o Murici, membros da direção azulina, Rafael Tenório, Raimundo Tavares, Silvio Camelo, Geraldo Lessa, viessem a público para pelo menos reconhecer a participação, o empenho de João Feijó na formação desta equipe.

O time não foi campeão, mas tem uma Série D pela frente e com a torcida que tem precisa pensar em avançar de divisão. João Feijó é peça fundamental para montar uma equipe competitiva. Os seis jogadores do CSA na Seleção do Alagoano foram contratados e trazidos para o CSA pelo conselheiro, hoje, colocado como figura não grata no CSA.

O time azulino já começou a reformular o elenco, apenas dois, dos desligados, são de João Feijó. Soares que vai para o Atlético/GO e Didira que por uma falta de habilidade, pode não ficar no clube. Os outros que não interessam fazem parte da parcela de ‘contratações’ feitas pela direção do CSA. Qual dos que não ficaram vai deixar saudade?

João Feijó tem defeitos. Tem a vaidade entre eles, alguns dizem que tem uma relação difícil de conviver, mas analiso aqui, o compromisso assumido, a pressão recebida e cara colocada para bater. Quem não lembra que Carlos Alberto Andrade falou que João não servia para o CSA, quem não lembra que Euclides Mello falava com um e com outro que tivessem cuidado com Feijó pois ele iria tirar jogadores do CSA no meio do alagoano? Não saiu ninguém e todos os destaques do CSA falaram na Rádio Pajuçara e conversaram comigo que a vinda para o time azulino, deu-se por João Feijó tê-los convencido.

Acho que um CSA forte, com bons nomes, com um grupo competitivo passa pela participação de Feijó na montagem do elenco para Série D, acho que Rafael, Raimundo, Silvio devem continuar administrando o dia-a-dia, alijar do processo, uma pessoa que contribuiu de forma decisiva, acho uma injustiça gigantesca.

Não sou fechado a nenhuma contestação. Se algum dos envolvidos, pensa ou tem algo diferente, que eu não tenho informação, estou aberto a ouvir e repassar o que eles pensam.

O CSA já teve cinco meses positivos e poderá ter a temporada 2016 ainda mais positiva, desde que, o lema azulino de “União e Força” esteja realmente valendo, se isso não acontecer, o CSA corre risco de ter mais um ou dois meses de atividade e novamente parar na temporada. Reflitam, desarmem-se e busquem o entendimento para o bem do CSA.

  • Jocélio da Rocha

    Olha, acho o seu comentário inteligente e pertinente.
    Porem, qual a razão que a imprensa de Alagoas não é apenas de informar o fato que e a verdade. Se o senhor têm fatos então afirma. De um lado
    e de qualquer forma a imprensa põe fogo na fogueira.
    Por que motivo vocês não pergunta direto aos personagens. Não é melhor do que insinuar?

  • Jorge lucas

    Acho que o CSA é maior que todos eles ai, e na minha opinião o carlinhos da Barra deveria pensar primeiro no CSA e vontar a falar com o Feijo, que na minha opinião estar fazendo bem ao CSA.

Deixe uma resposta Jorge lucas
Cancelar reply