CSA quase joga fora vantagem – Blog do Marlon
CRB só não será finalista se for o time de antes
O mundo (sujo?) das apostas chegou a Alagoas!
CSA veio como sempre iniciava as segundas etapas das partidas , com apenas um volante de origem e Didira recuando para segundo volante e o meia Bismark fazendo o papel de meia centralizado

CSA veio como sempre iniciava as segundas etapas das partidas , com apenas um volante de origem e Didira recuando para segundo volante e o meia Bismark fazendo o papel de meia centralizado

Quantos fatores não interferem em uma partida decisiva? Time por time, o CSA é muito superior ao Murici. Mas o time alviverde não chegou a fase semifinal à toa e usou todas as armas que dispõe para buscar o resultado.

A principal delas , pouco perceptível para muitos: o gramado. Sabendo que um dos trunfos do CSA na temporada é a velocidade, a intensidade e a qualidade no toque de bola, o Murici buscou dificultar estas ações com um gramado alto, até mesmo irregular, travando o que o CSA tem de melhor.

Mesmo com esta situação, Canindé manteve uma estratégia, que considerei errada e que quase o faz perder a vantagem para chegar aos objetivos na competição.

O jogo se desenrolou com duas penalidades no 1º tempo. A marcada para o Murici de forma correta. Já a assinalada para o CSA de maneira incorreta. No 2º tempo, o Murici voltou a ficar na frente, mas perdeu força na contenção, provou um pouco do próprio veneno com um gramado alto e pesado. Ai foi a vez de Bilu errar. Ele não tinha ou não usou homens de contenção na fase final e pagou caro com o gol de empate do CSA aos 44 minutos.

O jogo está em aberto, mas a grande vantagem é do CSA. Tem um time melhor, utilizará um campo que encaixa com suas características e terá uma torcida que fará uma pressão gigantesca. Se ajustar os nervos, se não mostra ansiedade ou não sentir o peso do jogo mais importante do campeonato, o CSA tem tudo para atingir os objetivos. Ao Murici caberá a superação pois precisará fazer um jogo sem erros e com superação.

O jogo tático

Bilú trouxe Rambo como 3º zagueiro e fez o Murici jogar no 3-5-2 e quando Katê recuava fazia 3-6-1 e começou dominar as ações no corredor central

Bilú trouxe Rambo como 3º zagueiro e fez o Murici jogar no 3-5-2 e quando Katê recuava fazia 3-6-1 e começou dominar as ações no corredor central

O gramado do José Gomes da Costa muito alto para os padrões que se joga futebol nos dias atuais , fazia o jogo ficar mais lento e aquela intensidade característica do modelo de jogo de Oliveira Canindé não apareceu na partida.

Por isso avaliei como erro de estratégia, pois a tendência era o Murici sentir o ritmo é como das vezes anteriores na metade da segunda etapa as trocas por velocidade e rápida transição, como inverteu a estratégia sua primeira sua substituição foi um meia Bismarck por um Volante de contenção David, e por muito pouco não amargou uma derrota.

O Murici veio com desfalque do intenso Ala esquerdo Nildo , Tarciso Silva o substituiu e Paulo Victor na função de segundo volante . O jogo já iniciou com Kate cobrando e convertendo o pênalti, o Murici com a vantagem abdicou da ofensividade e de forma precoce recuou as linhas apenas se defendendo. Aos 18 minutos num lance onde Leandro simulou e se jogou , com isso Chicao foi na dele assinalando pênalti , que Didira cobrou e empatou o jogo

O técnico Bilú retornou com sua 1ª linha formada por 3 atletas , Rambo 5 pela direita , Rodrigão 4 centralizado e Jean 3 pelo setor esquerdo. Com isso passou a ocupar os espaços no corredor central com 5 homens e Kate quando recuava formava 3-6-1, quando adiantava fazia o 3-5-2.

Essa mudança fez Tarcisio Silva encaixar a marcação no meia Didira e aos poucos, o Murici comandava as ações na 2ª etapa. Foi quando Kate trocou passe com Tarcisio e em jogada individual e com muita persistência fez 2×1 Murici.

Canindé fez substituições previsíveis Clayton no lugar de Didira e Rafael no lugar de Denner. Mesmo com as mudanças, o CSA não demonstrava a organização ofensiva de outras partidas.

Murici sentiu o desgate e com 38 minutos, o time visivelmente se arrastava , Bilú tentou modificar o quadro, colocando os atacantes: Alexandro e Alexandre. Foi a vez do técnico do Murici errar na estratégia. Ele preciava de força na contenção, visto que ao deslocar Rambo para zagueiro perdeu força na cabeça de área. Aos 45 minutos em uma jogada normal, Rafinha lançou Soares que de cabeça serviu Leandro que cabeceou para o gol , e deu números finais para partida.

O craque da partida foi o meia Katê (Murici). Arbitragem de Francisco Carlos do Nascimento (Chicao) recebeu nota 6 , pois ao meu ver errou na marcação do pênalti em favor do CSA.. Mesmo assim, conduziu à partida com tranquilidade.

  • Sérgio Lima

    Sei que erros ocorrem em qualquer profissão, mas com os erros devem vir as punições para que outros não ocorram. Por conta disso espero que o arbitro “Chicão” seja colocado na geladeira até o final do campeonato. Pois poderia surgir rumores de favorecimento para o CSA, principalmente por estar na fila pelo título a um longo tempo.

  • andré

    Interessante ano passado Chicão operou o asa aqui no rei Pelé na semi final contra o crb e ninguém reclamou,expulsou um jogador do asa logo no início do jogo e depois deu um penal inexistente em seguida, mas a memória regatiana é curta.Esse papinho de ajuda aqui não cola. O Chicão errou,mas se assistiram ao jogo completo verão que houve um lance no segundo tempo em que a bola foi alçada e o jogador do murici cabeceou a bola no braço e o chicão que deveria ter seguido o mesmo critério que usou contra o CSA nada deu,disso ninguém fala ou das reclamações acintosas dos jogadores do murici mesmo depois de tomar cartão amarelo, mas disso ninguém fala.Aviso aos regatianos, o CSA chegou por mérito,venceu a todos, é disparado o melhor futebol da competição,mas ao contrário de vcs respeitamos nosso adversários, murici tem toda chance de se classificar, pq futebol são 11 contra 11 ,mas desse crbezinho nós esse ano não perderemos, anotem aí se a final for CSA x crbê, de novo não verão a bola,aliás verão, nas redes do Juliano kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk