Vitória fácil do CSA mostrou boas alternativas para o futuro – Blog do Marlon
Vi diferente e me assusta o que Mazola viu
Uma provocação feita e uma resposta a ser dada
SA X Penedense adotaram o modelo 4-2-3-1 , o CSA a novidade foi o Atacante Luis Soares de Falso 9 , caindo pelos lados para os meias e o volante Jean Cleber atacarem espaços .

SA X Penedense adotaram o modelo 4-2-3-1 , o CSA a novidade foi o Atacante Luis Soares de Falso 9 , caindo pelos lados para os meias e o volante Jean Cleber atacarem espaços .

Em ritmo de Carnaval, o CSA desfilou na “avenida” e convidou o Penedense para um baile.A goleada de 5 a 1 poderia ter sido de muito mais, caso Bismarck e Didira tivessem demonstrado o mesmo ritmo dos outros.
Em um jogo fácil, o CSA mostrou alternativas e variações importantes. Com um time rápido , a transição ofensiva funcionou bem. Opções de jogadas pelo lado também foram feitas com eficiência. O CSA também tem mostrado uma forte bola pelo alto.
O forte David Denner e o rápido e inteligente João Paulo mostraram, ao menos, neste jogo, que vão ajudar muito. Dentro da competição, CSA começa a mostrar que está encorpando e mostrando competitividade.

O jogo tático
O modelo do Penedense de marcar alto e muito próximo durou apenas 10 minutos. Após o 1º gol de Choco , o time começou a não recompor com eficiência defensivamente e o volante Jean Kleber ultrapassava para formar o 4º homem na linha de 3 (Bismarck -Thiago e Didira) , contra a contenção de dois volantes . O lateral esquerdo Drey defensivamente deixou bastante a desejar , assim o CSA seguia desperdiçando chances até Luis soares em jogada individual fazer o 2º e dar uma assistência para Jean Cleber marcar o 3º gol , CSA ainda numa desatenção sofreu seu 1º gol na competição.
No 2º tempo, Oliveira Canindé retirou Thiago e colocou o CSA com um atacante de referência David Denner, deslocando Soares para linha de 3 , mas Didira e Bismarck diminuíram o ritmo. Canindé percebeu e trocou ambos por Clayton e João Paulo , a equipe voltou a possuir velocidade na transicao ofensiva , e fez mais dois gols com David Dener. O Penedense mostrou a fragilidade técnica e física , sobrou vontade , mas foi presa fácil para o competitivo time de Oliveira Canindé.
O craque do jogo foi Jean Cleber e o árbitro Francisco Carlos do Nascimento foi absoluto, comando o jogo de maneira tranquila e sempre esteve muito bem posicionado. Nota 9.

  • Jeminho Beach

    Falou com autoridade de quem conhece professor.

  • Ricardo Moura

    Marlon, eu acho que falta ao CSA alguém que cadencie mais o jogo. Muita velocidade e pouca técnica, daí um número exagerado de passes errados. A marcação também é falha, e nos lances em que foi exigida a defesa mostrou deficiências.

Deixe uma resposta Ricardo Moura
Cancelar reply