Sem aspiração, CRB foi presa fácil – Blog do Marlon
Bela vitória com confirmação matemática do CRB na Série B
Saiba qual o 1º time que não disputará o Alagoano
mazola utilizou no plano de jogo o espelho ( jogar igual o adversário ) inclusive colocando Olivio no setor direito e Bocão atuando como o Yago Pikachu, como um extrema na linha de 3. Detalhe que de posse de bola Fahel pelo Papão e W Saci pelo CRB avançam para formar o 4-1-4-1.

mazola utilizou no plano de jogo o espelho ( jogar igual o adversário ) inclusive colocando Olivio no setor direito e Bocão atuando como o Yago Pikachu, como um extrema na linha de 3. Detalhe que de posse de bola Fahel pelo Papão e W Saci pelo CRB avançam para formar o 4-1-4-1.

É muito fácil em uma hora como esta jogar pedra. A goleada sofrida pelo CRB por 5 a 1 não foi normal. Perder no Mangueirão é normal, mas o que deixou o torcedor chateado e a nós da imprensa sem conseguir uma explicação mais aceitável foi a forma como o CRB perdeu.

A coisa mais lógica para mim é que o time jogou cumprindo tabela pois não aspira mais nada na competição. Isto até era previsível, mas foi rechaçado pelo técnico Mazola que afirmou que até o dia 28 todo mundo teria que dar mais do que estava dando até agora.

A goleada terá uma consequência clara, ao menos no meu modo de ver, se o time passou a cumprir tabela, o torcedor também deverá acompanhar esta tendência. Tomara que uma reação aconteça, pois o CRB merece uma melhor posição na tabela. Pela boa campanha na Série B, o Galo não pode ficar marcado por erros bisonhos e uma sonora goleada que aconteceu de forma atípica.

O jogo tático

segundo tempo o paysandu adiantou suas linhas deixou praticamente no mano a mano atrás e impôs um ritmo intenso que atropelou o CRB, o estranho foi o setor mais consistente da equipe falhar como nunca nessa série B.

segundo tempo o paysandu adiantou suas linhas deixou praticamente no mano a mano atrás e impôs um ritmo intenso que atropelou o CRB, o estranho foi o setor mais consistente da equipe falhar como nunca nessa série B.

O jogo começou com o CRB bem e fazendo o que a literatura denomina de espelho. A equipe repetiu o que fez o Paysandu, inclusive com o volante Olívio no setor direito e Bocão à frente, idêntico ao adversário, que tinha Capanema mais fixo e Pikachu liberado.

Desta forma, o CRB fez uma belo primeiro tempo. Chegou a abrir o marcador, teve chance de ampliar e até mesmo de matar o jogo.

Mas no 2º tempo, tudo mudou. O Paysandu adiantou a marcação na saída de bola, dominando todas as ações da partida. A equipe bicolor ganhava a 1ª e a 2ª bola. Por sua vez, o CRB era totalmente desconexo.

As mudanças feitas por Mazola não surtiram nenhum efeito. Clebinho, Isaac e Maxwell foram nulos. Em toda a Série B não foram vistas jogadas tão bisonhas, como se viu no 2º tempo no Mnagueirão. Isto porque, o setor defensivo sempre foi forte e o mais regular da equipe.

Ficou fácil do time paraense atuar até com a coordenação tática que ele não apresentou na Série B. Aylon e Wellington Jr começou a jogar por dentro e os volantes protegiam as subidas de João Lucas e Pikachu.

Leandro Cearense foi o craque do jogo. A arbitragem de Rodolpho Toski Marques (PR) teve nota 6, confuso, invertendo lances, deixando de aplicar cartões, mas não interferiu na parte técnica do jogo.

  • marciano

    Depois que o audalio saiu o time não é o mesmo o seja a defesa

  • Marcelo Santos

    Muitos falam que o crb não aspira mais nada no campeonato. Na minha opinião, é puro engano. Ele tem que buscar ficar entre os onze primeiros, pois sendo assim, o time da base participará do brasileiro e copa do Brasil. Com esses campeonatos, os garotos terão uma oportunidade única, e o crb poderá lucrar com isso.