Novamente objetivo frustrado em um jogo – Blog do Marlon
A ausência de profissionalismo e a necessidade de respeito a Didira
Resultado previsível com atuação surpreendente do CRB

Existia a esperança de uma virada, mas no fundo, todos sabiam o quanto seria difícil o ASA derrotar o Tupi por três gols de diferença para poder chegar a Série B.

A decisão aconteceu em Juiz de Fora e o fato de ter tomado dois gols, sem fazer nenhum, deu a clara sensação que não dava.

Curiosamente novamente em uma partida, o ASA joga deixa escorrer pelas mãos todo um projeto. Assim foi no Alagoano, quando uma única derrota para o CRB, causou a perda do ticulo. Desta vez, foi uma derrota que tirou o ASA da Série B.

Acho que o sentimento do torcedor alvinegro não pode ser diferente: orgulho.

Este sentimento é justificado por tudo que o ASA fez, por tudo que passou, pelas coisas que foram divulgadas e pelas situações que ficaram nos bastidores. O grupo de jogadores foi guerreiro. O técnico Vica foi um comandante na acepção da palavra. E a diretoria experimentou o sensação de deixar de ser estilingue para ser vidraça. Mas o aprendizado para todos, os novatos e os mais experientes trouxe um grande crescimento.

Parabéns ASA! Foi muito lega fazer a gente acreditar em tudo.

  • Alberto

    Quando joga contra Galo, Eu sei que voçês TreMe!

    No Campeonato é o Bayer ganha tudo , quando chega no mata mata é Csia só perde kkkk

  • Malafaia Jr.

    Difícil as coisas camimharem bem dentro de campo quando vão muito mal fora. Se falou o ano todo em atrasos de salário. Teve aquele episódio da venda do mando de campo pra empresa do ex-jogador Roni para o jogo da volta com o Palmeiras pela Copa BR. Aí sempre vem aquelas especulação sobre racha no grupo, panelinha pra derrubar treinador…
    Eu torço contra o ASA, pois lá em Arapiraca eles se acham rivais do CRB e do extinto CSA. E rivais torcem contra. Mas percebi um ano muito conturbado financeiramente no ASA e acho que isso contribuiu muito com um 2015 fracassado e pra ser esquecido pelos arapiraquenses.