O maior desafio já enfrentado – Blog do Marlon
Faltou competência ao CRB para somar três pontos
Preocupação e alívio após nova vitória qualificada
João Feijó com a direção do CSA e do Flamengo: desafio gigante - Foto: Divulgação

João Feijó com a direção do CSA e do Flamengo: desafio gigante – Foto: Divulgação

O CSA já começou a planejar a temporada do próximo ano. Com uma nova diretoria, as esperanças estão renovadas para que o time azulino volte a experimentar dias de conquistas.

Existe uma grande novidade no novo projeto azulino: a presença de João Feijó. Conselheiro do CSA, João está envolvido diretamente no processo, não tem cargo na direção, mas “é o cara” do projeto.

Ele recebeu praticamente carta branca do presidente Rafael Tenório. A primeira mostra disto foi a dividida com o vice-presidente de futebol eleito, Carlos Alberto Andrade. Em seguida, enquanto uns comemoraram a chegada de Feijó, outros viram com preocupação.

Envolvido com aspectos sentimentais e com a amizade que possui com o presidente azulino, Rafael Tenório, João Feijó entrou de cabeça e começou a dar exemplos da sua força no futebol. Reuniu azulinos e seguiu para São Paulo se reunindo com dirigentes do São Caetano, Palmeiras e Flamengo, onde foram firmadas parcerias. Estas parcerias também foram ampliadas com um gigante nordestino, o Bahia.

João terá o maior desafio da sua trajetória no futebol. O CSA é gigante, está pressionado pela ausência de resultados e precisa voltar a impor um passado de conquistas que o levou a ser o mais vencedor clube de Alagoas.

Se não bastassem estes desafios no projeto, Feijó terá que conviver com a ausência de profissionalismo em uma estrutura viciada e bem diferente daquela que ele sempre enfrentou no Corinthians. Também precisará ver a reação da cidade de Boca da Mata, onde o Santa Rita tem a sua representatividade, sem falar na inveja e no ciúme que causará dentro do CSA.

Na estrutura azulina existem políticos, que precisam de visibilidade e até agora, o centro das atenções tem sido João Feijó. Cícero Cavalcante, por exemplo, pouco tem aparecido, opinado ou discutido sobre a sua função que é vice-presidente de futebol do clube.

Também não se sabe a maneira como João Feijó será tratado depois que o projeto estiver em funcionamento, pois o time poderá ou não funcionar e Feijó será cobrado por isso. Apesar de já ter ajudado equipes como Mogi-Mirim, CRB e ASA na formação de equipes e até mesmo colocado jogadores nestes clubes, o desafio de fazer o CSA andar e voltar a ser vitorioso trás a responsabilidade para João Feijó de colocar seu nome na avaliação da torcida azulina.

As cartas estão na mesa. Conheço a capacidade de Feijó, seus conhecimentos, suas relações no mundo do futebol e espero antes de qualquer coisa, que ele esteja bem, leve, feliz neste projeto, pois se assim for, o CSA antes de apresentar qualquer nome, já apresentou seu grande reforço para 2016.

  • Azulino Decepcionado

    Quantos títulos esse Feijó ganhou no futebol ? O CSA está sendo usado para valorizar jogadores de outros times e isso ele sabe fazer bem pois ficou rico assim. Alguém vai e já está ganhando com isso. O azulão vai continuar lascado até porque também está cheio de políticos. Pobre marujão.