Verdades trazidas por uma derrota categórica em casa – Blog do Marlon
Jogo fraco, empate sem gols e resultado para comemorar
Discordo de Mazola! Foi ruim, muito ruim, não empatar em Salvador
O Ceará tinha uma forte jogada pelo setor esquerdo de ataque com Victor Luis no apoio e Julio César no espaço entre Audalio e Willian, contava com a permissividade dos atletas Ricardinho e Canēte que não eram efetivos na marcação.

O Ceará tinha uma forte jogada pelo setor esquerdo de ataque com Victor Luis no apoio e Julio César no espaço entre Audalio e Willian, contava com a permissividade dos atletas Ricardinho e Canēte que não eram efetivos na marcação.

Não concordei com o discurso do técnico Mazola Júnior após a derrota para o Bahia. Na oportunidade, duas coisas me incomodaram. A primeira delas a frase (?) que “perdemos um ponto aqui, mas ganhamos o campeonato”. O segundo ponto de discordância é o técnico afirma que “nenhum jogador faz falta no CRB”.

Vamos aos fatos. Perder para o Ceará, pelo peso do time cearense, pelo investimento feito, é normal aqui ou em Fortaleza. Perder da maneira como perdeu é de assustar. O placar de 3 a 1 poderia ser pelo menos duas vezes a quantidade de gols nesta partida.

Minha crítica é baseada em dados e fatos. Acho que o CRB “não ganhou campeonato” coisa nenhuma. Pelo contrário, dois seis pontos disputados, o CRB perdeu os seis e ainda terá uma sequência de jogos fora, teoricamente, contra dois adversários mais enfraquecidos.

Também me soou estranho que Mazola tenha dito que na Série B não existe um atacante como Zé Carlos e que – com intenção de proteger o grupo? – depois diga que “nenhum jogador faz falta”.

O resultado é que na primeira avaliação pós fala do técnico, o time toma um banho e acaba atropelado pelo Ceará. Não faço crítica por “pegar no pé”, nem faço cobranças por fazer, até porque gosto da metodologia do CRB. O Galo foi engolido pelo Ceará pelo desgaste da sequencia de jogos, por jogadores que tiveram uma noite infeliz, erros de grupo e até mesmo equívocos do treinador, some-se a tudo isso, a resposta as duas afirmativas do técnico que ao meu modo de ver, estavam erradas.

Mas agora o jogo já passou. É passar uma borracha e pensar que é necessário reagir. As críticas são circunstanciais e não sistemáticas, tanto que preciso dizer que ouvi Mazola fazer o alerta que o jogo seria difícil e que teríamos uma outra competição. Ele antecipou o que imaginava que poderia acontecere, acertou.

A derrota fez o CRB passar por uma série de questionamento, mas basicamente que ainda tem um time competitivo, desde que, conte com suas peças principais. Se estas saírem, não poderem jogar ou algo parecido, o time fica comum. Isso Mazola poderá não admitir, mas é a realidade.

O jogo tático

Após abrir vantagem o Ceará formou duas linhas de 4 , e os volantes não surgiam no campo ofensivo para surpreender e criar superioridade numérica , assim o CRB fico muito previsível.

Após abrir vantagem o Ceará formou duas linhas de 4 , e os volantes não surgiam no campo ofensivo para surpreender e criar superioridade numérica , assim o CRB fico muito previsível.

O jogo começou com o CRB pressionando a saída de bola e antes do primeiro minuto, Daniel Cruz roubou uma bola no ataque , a bola sobrou para Gerson Magrão que acionou Cañete. O argentino recebeu livre na área, mas finalizou em cima do goleiro do Ceará, que salvou o que seria o gol do galo.

Em seguida , o Vozão começou aproveitar o frágil jogo defensivo regatiano . Foi numa cobrança de escanteio do ofensivo lateral Victor Luís que Rafael Costa testou para abrir o marcador , após o gol o Ceará foi absoluto e Julio César goleiro do CRB fez duas boas defesas.

O CRB só assustou aos 41 minutos, Gabriel cabeceou no travessão após escanteio batido por Cañete. Final da 1ª etapa e no lucro o CRB poderia encerrar com uma desvantagem maior.

O retorno para o segundo tempo , Mazola Júnior trocava o 4-2-3-1 , para o 4-1-4-1 trocando o volante Somália por Clebinho. Josa centralizava na frente da primeira linha e adiantou a equipe com Ricardinho aberto pela esquerda , Clebinho na direita e articulando por dentro Canēte e Gerson Magrão, mas quando o CRB parecia que iria crescer na partida aos oito minutos Ricardinho, do Galo, derrubou por trás ,Victor Luis e recebeu o segundo amarelo e foi expulso.

Não demorou e o Ceará ampliou a vantagem. Mazola ganhou de Josa, e fez assistência a Rafael Costa, que bateu marcando o segundo gol do Vozão. O CRB diminuiu aos 32 minutos de cabeça Maxwell, porém na sequência, Audálio errou o passe na saída de bola , Alex Amado aproveitou avançou e chutou na trave. Mazola pegou o rebote e fechou o placar em 3 a 1.

Craque do jogo – destaquei o grande jogo do Julio César 10 do Ceará, mas escolhi o artilheiro da partida Rafael Costa . Arbitragem do senhor Dewson Fernando(PA) foi próxima da perfeição . Nota 9

Atualmente não há comentários.