Recordar é viver! CRB de Mazola já havia feito isto! – Blog do Marlon
A ausência de uma sequência quebrou o CRB
Entenda o CRB na Série B em números
CRB apresentou preenchimento de espaços de forma eficiente - Ilustração: Marlon Araújo - Tatical Pad

CRB apresentou preenchimento de espaços de forma eficiente – Ilustração: Marlon Araújo – Tatical Pad

Foram muitas coincidências em um jogo só. O CRB venceu dois times que jogam de azul de branco marcando três gols. Zé Carlos fez três gols nos dois jogos. Nestes dois jogos, o CRB fez a mesma coisa em termos de modelo de jogo. A diferença da partida contra o Macaé para o jogo contra o Paysandu é que contra o Papão, o CRB não tomou sustos, foi absoluto.

Não houve nada novo, Mazola não quebrou paradigmas, nem contou com a ajuda da imprensa para quebrar paradigmas, ele já havia feito isso: simplificou e voltou a fazer um grande jogo.

Contra o Macaé, CRB apresentou o mesmo modelo de jogo que funcionou contra o Paysandu

Contra o Macaé, CRB apresentou o mesmo modelo de jogo que funcionou contra o Paysandu

Em alguns momentos até entendo as opções do treinador, fazendo a opção por colocar um jogador em uma outra função dentro do sistema de jogo da equipe. Sempre tenho dito: função é uma coisa, posição é outra.

Ontem, Mazola usou a formação que venceu o Macaé. Na direita, usou Marcos Martins quando contra o Macaé tinha Maranhão. Nos dois jogos, Brasília foi o segundo volante preenchendo espaço pelo lado direito. Haviam dois volantes e um meia (Olivio, Glaydson Almeida e Clebinho), na partida de ontem, Josa, Leandro Brasília e Cañete. No ataque contra o Macaé jogaram Zé Carlos e Pingo, contra o Paysandu, Zé Carlos e Kanu.

Ontem não houve descobertas, Mazola parou de trocar modelos, não improvisou um zagueiro pelo lado e permitiu que Zé Carlos não ficasse isolado em uma verdadeira ilha cheio de zagueiros.

Na vitória do CRB, Mazola teve um grande mérito: fazer o time marcar alto. A equipe mostrou entrega e concentração, que fizeram diferença no desempenho do jogo.

Jogo tático

CRB e Paysandu bateram modelos como espelho - Ilustração: Marlon Araújo - Tatical Pad

CRB e Paysandu bateram modelos como espelho – Ilustração: Marlon Araújo – Tatical Pad

As equipes vieram para o duelo com desfalques , CRB Danilo Bueno ,Gabriel e Julio César, o Papão Fahel , Ricardo Capanema , mas seus treinadores resolveram adotar o mesmo modelo 4- 3 – 1 – 2

Com posse de bola, formava a 1ªLinha defensiva de 4 e segurava dois volantes , no CRB Olivio e Josa , no Paysandu Recife e Jhonhatan , a linha de 3 no CRB tinha Canēte centralizado , Kanu pelo esquerdo e Leandro Brasília ocupava o setor direito, já no Papão Carlinhos centralizava e Yago pikachu assumia a função pelo lado direito e Aylon pelo lado esquerdo, centralizava Zé Carlos no CRB e Souza no Paysandu.

O CRB podemos destacar o bom preenchimentos dos espaços defensivos com o recuo dos extremas Leandro Brasilia e Kanu e a chegada dos mesmos ao ataque assim como o do meia central Canete, fazendo sempre aproximação ao atacante Zé Carlos.

as peças circuladas na imagem não fizeram uma boa jornada e foram decisivos na derrota do Papão no jogo - Ilustração: Marlon Araújo - Tatical Pad

as peças circuladas na imagem não fizeram uma boa jornada e foram decisivos na derrota do Papão no jogo – Ilustração: Marlon Araújo – Tatical Pad

CRB iniciou marcando alto e sufocou o Paysandu ,esse foi talvez o ponto que tenha surpreendido o Papão , que não conseguia sair jogando , até que o CRB fez o primeiro aos 14 minutos com Zé Carlos, desviando depois de cobrança de escanteio. Em seguida o Paysandu se lançou buscando uma reação e começou a tentar propor o jogo , mas sem objetividade, até que, no contra-ataque, Zé Carlos recebeu e, chutou cruzado aos 21, fazendo o segundo do time da casa.

A segunda etapa do confronto o Paysandu voltou com duas mudanças,wellington Jr e Carlos Alberto , retirando Luis Felipe e Carlinhos entretanto, a principal alteração foi no posicionamento do Yago Pikachú , que voltou a jogar na linha de 4, o papão retornou mais organizado, o bicolor fez pressão na defesa do Regatas nos primeiro 15 minutos, mas esbarra no excelente jogo de Diego Jussani. O CRB, por outro lado, tinha Zé Carlos e ele marcou o terceiro aos 20,após receber uma assistência perfeita do bom lateral Marcos Martins aproveitando falha da zaga adversária. Depois o CRB só administrou o jogo.

O craque da partida foi o atacante Zé Carlos, autor de três gols e decisivo para vitória do Galo. A arbitragem de Renan Roberto de Souza CBF-PB recebeu nota 9.

  • Carlos

    vamos ver se vai parar de inventar daqui pra frente.

  • Aderaldo Messias

    Marlon, devemos ressaltar que , o time que entrou em campo contra o Paysandu , só existia 03 jogadores da safra que vem se revezando constantemente e não vinha dando certo , ou seja : Audalio , Olívio e Zé Carlos , todos muito bem no jogo , está provado que os outros são meia boca .

  • Raphael

    Marlon, pra mim você é o melhor comentarista-analisador de futebol em Alagoas. Gostaria de saber de você o seguinte: desse bom desempenho do CRB, quantos por cento você credita ao CANSAÇO do time do Paysandu, já que eles vinham de viagens pela Copa do Brasil e tinham jogado recentemente?

  • Lucas Carnaúba de Oliveira

    CRB sempre um grande time em nosso estado. Inovando nos esquemas de jogo, agora vai!!

    Lucas Carnaúba de Oliveira

  • ANTONIO MARTINS

    Não houve susto,porque o 4º árbitro, que era alagoano, anulou o gol legítimo do Paysandu.
    Quem realmente tiveram susto foram os jogadores do Paysandu que receberam a “visita” de policiais no vestiário, durante o intervalo.

Deixe uma resposta ANTONIO MARTINS
Cancelar reply