Ainda veremos mais coisas escabrosas acontecerem – Blog do Marlon
Vitórias importantes fazem CRB e ASA subirem nas competições
Vitória importante, recuperação do Zé e cansaço preocupante

Em época de festejos juninos, a informação de possíveis manipulações de arbitragem em jogos na América do Sul caiu como uma verdadeira bomba. O caso denunciado através da escuta de telefonemas que envolviam autoridades da comissão de arbitragem da Conmebol e o ex-presidente da Associação de Futebol de Argentina (AFA), Júlio Grandona, já falecido, é revoltante e estarrecedor.

Nos diálogos fala-se de expressões como “arapuca” e envolve suspeita sobre o árbitro paraguaio Carlos Amarilla que comandou uma partida pela Libertadores de 2013 entre Corinthians x Boca Juniores, onde diversos erros foram cometidos contra o time brasileiro.

A própria CBF se pronunciou cobrando explicações sobre o assunto. Ainda no dialogo captado, falou-se que Grandona já “armava” há mais de 40 anos e que até jogos do Santos na década de 60 haviam sido operados.

Quando se transporta esta situação para a nossa realidade, podemos observar que também enfrentamos isso em competições locais e nacionais. Quantas arbitragens não foram “trabalhadas” em Alagoas ou em competições nacionais?

Hoje ainda temos a Série D que é totalmente obscura, onde não temos transmissão por parte da TV e com isso, os absurdos são corriqueiros que se possa imaginar. Mesmo em jogos da Série C existem denúncias de problemas com arbitragem.

Quando as denúncias de corrupção na FIFA estouraram, o comentarista esportivo Waldemir Rodrigues falou sobre a preocupação com a imagem do futebol. E isso está sendo visto agora. Cada denuncia que surge traz mais questionamentos e assustam os que fazem o futebol. Muitas outras coisas já aconteceram e ainda não foram reveladas. Espero que outras situações surjam e venham a tona para que possamos limpar o futebol ou termos a certeza em cima de suspeitas que já existiam.

É necessário que a imagem do futebol no sentido organizacional, na questão de arbitragem e até mesmo no aspecto de alguns jogos que soam como “estranhos” possam ser esclarecidos. Esta é a hora de passarmos tudo isso a limpo.

  • ANTONIO MARTINS

    Esses esquemas sempre existiram. Não fiquei nem um pouco surpreso. Como tudo era colocado debaixo do tapete, todo mundo fazia de conta que essas maracutaias não existiam. Sempre que alguém tocava no assunto, os diversos órgãos de imprensa diziam que tudo não passava de uma Teoria da Conspiração.