Um tempo imortal foi a morte do CRB – Blog do Marlon
Reações distintas
1971 em 2015
Grêmio adotou duas linhas de quatro diminuindo espaços do CRB - Ilustração: Marlon Araújo - Tatical Pad

Grêmio adotou duas linhas de quatro diminuindo espaços do CRB – Ilustração: Marlon Araújo – Tatical Pad

E o CRB está fora da Copa do Brasil. Era esperado que no confronto contra um gigante como o Grêmio, o CRB não tivesse sucesso ou vida fácil. Mas não se esperava que o time gaúcho fosse tão mortal em apenas um tempo do jogo.

A equipe gaúcha foi estratégica, diminuiu espaços, contou com a mudança de característica do CRB, pela ausência de Clebinho, e em três estocadas mortais, decidiu o jogo e o confronto.

Claro que coube ao CRB uma reação na etapa final, mas pouco para o que o time precisava fazer e mesmo após diminuir o marcador e sair para cima, o time do CRB se expos e em pelo menos três oportunidades, o Grêmio poderia ter voltado a marcar.

Ficou evidenciada a diferença técnica, a forma intensa e mortal como o Grêmio se posiciona e acelera o jogo na transição. Tudo isso, mesmo sem apresentar um grande futebol, ter um grande time.

A diferença de nível de como se joga futebol ainda é gigantesca entre as equipes grandes da Série A e o restante do pais. Agora é pensar exclusivamente na Série B e ter aprendido a lição pois já no sábado, o CRB enfrentará uma outra equipe com características semelhantes ao Grêmio.

Jogo tático

O losango do Grêmio: destaque para Maicon, ponta do losango e responsável pelo contra ataque - Ilustração: Marlon Araújo - Tatical Pad

O losango do Grêmio: destaque para Maicon, ponta do losango e responsável pelo contra ataque – Ilustração: Marlon Araújo – Tatical Pad

CRB e Grêmio foi um confronto de dois tempos distintos. No primeiro tempo, o Grêmio surpreendeu com um losango, onde Guiliano era o vértice direito e Marcelo Oliveira, o vértice esquerdo e Maicon sendo a ponta do losango, servindo os dois atacantes Luan e Pedro Rocha.

Após o gol Felipao fez sua equipe adotar o 4-5-1 , fazendo o Pedro e Giuliano travarem as subidas dos laterais e direcionar o CRB a jogar por dentro ou fazer o ataque direto em Zé Carlos, assim o Grêmio facilmente recuperava a posse de bola.

Após o gol, Grêmio adotou linha de três que travava subidas dos laterais do CRB - Ilustração: Marlon Araújo - Tatical Pad

Após o gol, Grêmio adotou linha de três que travava subidas dos laterais do CRB – Ilustração: Marlon Araújo – Tatical Pad

Após fazer 2 x 0, o Grêmio fazia 2 linhas de 4 e empurrava Maicon para ao roubar a bola, ser ele, o responsável para puxada do contra ataque.

Na segunda etapa, o Grêmio querendo diminuir o ritmo e controlar o jogo, optou por quebrar o ritmo. O CRB viu na entrada de Daniel Cruz a intensidade que o ataque do Galo precisava para incomodar o Grêmio.

Daniel fez um ótimo casamento com Maxsuel e infernizou a defesa tricolor. Neste cenário, o CRB diminuiu e foi só.

Observei como destaques no CRB, Maxsuel e Daniel Cruz. No Grêmio os principais jogadores foram Guiliano, Luan e Maicon. Indiquei Wallace, volante tricolor, como melhor em campo. O árbitro baiano teve uma arbitragem perfeita, sem permitir o anti-jogo e sem observar a condição de camisa da equipe considerada grande. Avaliei como nota máxima.

Atualmente não há comentários.