Saudades, como lidar com ela? – Vamos Falar da Gente

Quem nunca sentiu saudades de alguém, de algum momento, de algum cheiro ou simplesmente sentiu saudades de ser como era antes? Nesta sexta-feira, 2, celebramos o Dia de Finados, um data representativa que nos conecta com todos aqueles que já partiram deste plano e estão em algum lugar melhor, em paz de espirito e quem sabe olhando por nós.

Quando pensamos no significado da palavra saudade podemos compreender como um desejo de ter de volta algo que foi bastante especial em nossas vidas, algo que fez grande diferença em nossa existência e possivelmente uma fase que nos marcou profundamente. Seja o que for, é um momento que possivelmente não voltará e isso nos ensina sobre o valor do presente.

O tempo presente como o nome já diz é um verdadeiro presente e merece ser vivido intensamente. Conheço muitas pessoas que acreditam que viverão muitos anos para realizar seus sonhos, mas devemos lembrar que no trem da vida, nossa estação pode chegar a qualquer momento e isso nos exigirá deixar assuntos muito bem resolvidos por aqui. Por isso desafio você a viver o hoje, amar hoje, se exercitar hoje, viajar hoje, ser sua melhor versão no mundo hoje, por favor, não guarde o melhor para o final, isso seria uma tragédia.

Neste dia muitos estão prestando homenagens para aqueles que já partiram, mas não podemos esquecer de reconhecer, valorizar, cuidar e acolher todos aqueles que estão ao nosso lado e possuem vida. Por vezes escolhemos o momento errado para dizermos ao outro o quanto ele é especial, reservamos as flores para a morte e os melhores discursos para a partida, mas que tal sermos de verdade hoje?

Mas também venho aqui dizer que nem toda saudade é ruim, muitas vezes ela é até positiva. Nas relações afetivas, profissionais e interpessoais, uma dose de saudade ajuda na preservação dos relacionamentos e aumenta a tolerância durante a dinâmica relacional. Imagine aquele casal, amigos ou colegas de trabalho que anseiam pelo encontro com o outro, além de evitar desgastas inerentes ao convívio diário, um tempo afastado permite que desejamos a presença do outro, tornando o encontro ainda melhor e afetivo. Já experimentou dar um tempo na presença? Me conta depois.

Portando, o dia hoje pede reflexão. Reflexão sobre o que desejamos deixar nesta terra, reflexão sobre qual legado aqueles que partiram deixaram e reflexão sobre que tipo de saudade deixaremos no futuro.

  • Maria de Fátima Coêlho Batista Ferreira dos Santos

    Me orgulha ler as reflexões do nosso Vitor, muito querido.
    Costumo dizer que o ONTEM é o nosso PASSADO, é a nossa história, é a nossa “raiz”;
    o AMANHÃ é o nosso FUTURO, que a gente não conhece, pode ter surpresas, pode ser brilhante ou opaco, e pode depender da nossa história do ONTEM;
    o HOJE é o que estamos vivenciando, é uma dádiva, e por isso é o nosso PRESENTE.
    Entendo que as nossas raízes plantadas no PASSADO são o nosso suporte para o PRESENTE e a partir das nossas raízes, poderemos nos preparar pra fazer do nosso FUTURO aquele PRESENTE tão almejado.
    Concluo que o PASSADO é história, e ficou para trás, estamos convivendo com o PRESENTE, e o FUTURO não existe, porque quando o FUTURO chega já é PRESENTE.
    Sejamos gratos pelo que tivemos, temos e teremos.
    Entendo que GRATIDÃO é o segredo do sucesso e da prosperidade.
    Quero aproveitar esta oportunidade para agradecer a Deus pela vida do Vitor, nosso querido, e resumir o meu respeito e admiração com a minha GRATIDÃO por tudo

    • vitorluz

      Excelente reflexão, algo que devemos pensar diariamente. Gratidão pelo comentário.

  • Ana Paula

    Excelente reflexão!

    • vitorluz

      Que bom que gostou Ana, uma reflexão necessária não é?