Feliz daqueles que são flexíveis, além de sofrerem menos, se estressam em menor intensidade. Quem aprende a ser flexível entende que algumas coisas sairão do nosso controle e que não haverá nada que possamos fazer. Cientes deste movimento entendemos que diante da imensidão da vida ou aprendemos a nos adaptarmos as adversidades ou fracassaremos.

Ao longo da minha vida eu já fui tão resistente e perdi várias oportunidades, eu queria do meu jeito e no meu tempo, comportamento esse que não me ajudava a avançar, somente a permanecer onde estava. De tempos em tempos precisamos rever nossas práticas pessoais e profissionais, a fim de apararmos arestas, entender o que não está dando certo, o que podemos melhorar e o que precisamos abandonar.

Acredito que você já tenha ouvido aquela expressão, “Entre ter razão e ser feliz, eu prefiro ser feliz”, o conceito dessa frase é inspirador, por vezes desejamos tanto dar a última palavra que abrimos mão de sermos felizes só pra fazer as coisas do nosso jeito. Provavelmente o tempo já lhe mostrou que quando você não flexibiliza um alto preço é cobrado: desgaste emocional, físico, financeiro, intelectual e espiritual.

As adversidades fazem parte da vida e isso é o que torno o jogo singular, pois podemos usar os nossos recursos internos para avançarmos e encontrarmos a superação que tanto nos fortalece. Flexibilizar diz respeito a entendermos quando nos achegarmos e quando nos afastarmos, quando silenciar e quando falar, quando se posicionar e simplesmente quando fingir que não é com a gente, além é claro de não levar as situações para o lado pessoal.

Vamos a algumas dicas de como flexibilizar:

  1. Faça uma lista de todas as coisas que você se acha muito resistente, aquelas situações as quais te irritam, aqueles momentos que você perde o equilíbrio e aquelas horas que o sangue ferve. Depois coloca ao lado uma atitude flexível que podes tomar para manter-se bem.
  2. Um bom sinal para lembrar quando você é pouco flexível é estar atento ao que as pessoas ao seu redor falam ou se queixam de você. Por vezes ficamos irritados com determinados feedbacks, mas deve haver alguma verdade nisso tudo. Caso não consiga lembrar sozinho, pergunte aos seus amigos e familiares “No que você acha que sou pouco flexível?” Isso pode ser muito divertido e depois desta coleta de dados, encontre formas criativas de ser diferente.
  3. Faça uma lista de três coisas as quais você tem total certeza que é inflexível e peça para que alguém muito próximo a você adote as posturas que você tem adotado. Quando somos poucos flexíveis tendemos a nos relacionarmos com pessoas que sedem mais e por isso não temos a noção do desconforto que causamos no outro. Esse é um exercício para que você possa experimentar por um leve momento, a sensação que os outros sentem quando você se comporta de tal maneira.
  4. Por fim, se liberte da obrigação de fazer as coisas sempre do seu jeito.
Atualmente não há comentários.