Ao que você tem se apegado?

Ao longo da nossa história aprendemos a desenvolver o nosso apego, seja com pessoas, coisas ou circunstâncias, realidade essa que podemos nos perceber seguros ou inseguros, tudo vai variar de acordo com a experiência que tivemos no passado. A pandemia causada pelo surgimento do Covid-19 chegou para testar todos os nossos limites e nos revelar do que somos capazes. Com isso os nossos apegos podem ser reforçados ou enfraquecidos, nos transportando para uma realidade a qual precisamos escolher entre sermos livres ou prisioneiros.

O apego é construído desde a nossa concepção na vida uterina, quando nossos pais começam a se comunicar conosco. A forma como somos tratados, acolhidos e desejados influência o nosso senso de apego, onde podemos sentir mais segurança ou quem sabe inseguros. O nosso passado tem um alto poder de potencializar ou comprometer o nosso momento presente, por isso devemos estar atentos a nossa história e como ela pode ser transformada para que possamos viver o futuro que desejamos. Os dias têm sido tão desafiadores que estamos nos apegando a tudo aquilo que representa esperança, amor ou acolhimento. Esse é um comportamento natural, mas devemos estar atentos para não nos apegarmos a pessoas, coisas e circunstâncias tóxicas, que são capazes de nos tirar do foco, comprometer o nosso propósito e nos desalinhar emocionalmente.

Por vezes encontramos pessoas no nosso caminho que elas podem ser muito boas para nós, nos tratando com carinho, nos ouvindo com atenção, nos ensinando coisas que não sabemos e por vezes nos alertando de coisas que não percebemos. Esse tipo de pessoa nós devemos manter e cultivar, buscando devolver a altura e contribuir para o desenvolvimento da vida dela também. Mas também conhecemos pessoas que são tóxicas, que não nos permitem ser quem somos e que por vezes acabam tendo atitudes castradoras, o perigo consiste quando não reconhecemos esse perigo e é por isso que devemos entender e ter consciência sobre o que estamos apegados.

Também existem coisas as quais nos apegamos que elas nos fazem bem, podem ser fotos de momentos felizes, presentes que ganhamos, obras de arte e artigos que valor sentimental. Esses itens podem ser responsáveis por uma boa memória afetiva e também devemos conservá-los, eles são importantes para nossa saúde mental. Mas claro que também devemos estar atentos, pois existem coisas que drenam a nossa energia e nos transportam para cenas do passada que nos causaram dor e medo. Esteja atento e passe adiante.

As circunstâncias também podem influenciar o nosso senso de apego, dependência emocional, financeira, física e instrumental são as estrelas deste segmento. As vezes criamos uma realidade tão dependente de determinadas situações que acabamos não nos vendo distantes. É sempre especial entendermos o nosso papel no jogo da vida e devemos buscar entender o que estamos fazendo com o tempo que nos resta neste universo.

Nos mantermos apegados pode te oferecer alguma vantagem, mas a longo prazo isso pode ser nocivo, esteja atento. Nada que comprometa a sua liberdade é válido de ser mantido.

Atualmente não há comentários.