Reprodução / Instagram

Vamos conversar sobre nosso universo particular. Não há tortura em notar os sinais do tempo. Você está viva (o), apesar de todas as dificuldades.

Não há como esconder a idade, mas existem várias maneiras de se envelhecer bem, saudável e bonita. Para cada momento, sua beleza.

Tive de passar pela transição capilar devido a uma hipersensibilidade que desenvolvi no couro cabeludo. Dos 41 anos que tenho hoje, 24 deles foram tingindo os fios a cada 15 dias, na tentativa de escondê-los.

“Não arranca que nasce mais”, eu ouvia sempre.

Com o tempo, minha cabeça passou a não reagir bem à química e descamava nos dias seguintes ao processo. Quando sarava, eu precisava repetir a tintura, o que provocava nova irritação e recomeçava o ciclo de descamação. Mudei de produto várias vezes, fui ruiva, morena e por fim loira, mas a sensibilidade só aumentava.

Minha família possui histórico de câncer (em vários graus e partes do corpo), por isso, aos 35 anos, me vi obrigada a já ser acompanhada por um oncologista. Durante um bate-papo com o especialista, decidi cuidar um pouco mais da alimentação e também prestar atenção nos sinais que o corpo emite no meu dia a dia.

Há relação entre o câncer o a química usada nos cabelos? A resposta é ‘não’. O que se sabe é que uma pessoa com pré-disposição genética precisa redobrar os cuidados com tudo que se usa no corpo e se ingere. “Se de fato ocorrer, o câncer pode ser menos agressivo se o indivíduo tiver uma vida saudável, e isso inclui não só atividade física e boa alimentação, mas também evitando químicas no corpo”, assim ouvi de especialistas.

O processo

Diante de tantas informações novas, em um dia crucial, me vi com longos cabelos loiros parada em frente ao espelho. Observei meus detalhes: rugas, marcas, pelos brancos nascendo também nas sobrancelhas. Não tinha como esconder minha idade apenas pintando os fios, então qual a finalidade de continuar a tingi-los?

Como eu estava loira resolvi deixar crescer na tentativa de me redescobrir. Mantive coques e rabos de cavalo por cerca de quatro meses e no dia 16 de janeiro de 2017 – mesmo ano em que completei 40 anos – criei coragem e pedi para que meu cabeleireiro cortasse e deixasse apenas o natural.

Durante esse período ouvi piadas de mau gosto e críticas absurdas por algo tão simples. Algumas pessoas simplesmente rejeitam a ideia de envelhecer.

Com o tempo descobri que tinha muito mais fios brancos do que imaginava e que eles estavam ali por conta de minha história de vida. Foi libertador.

Hoje as madeixas estão assim:

Pitacos para quem topa o desafio

Se observe em frente ao espelho, pense na sua história de vida e redescubra o valor que há nela. Se questione: “Será que estou pintando os cabelos por imposição social? A quem estou querendo agradar?”

Encare o desafio de tentar assumir seus grisalhos sem se cobrar tanto, sabendo que poderá mudar de ideia e cobri-los a qualquer momento.  Use um corte moderninho para ir retirando a química e reaprenda a sentir a textura natural dos fios.

Neste período invista em algum talento secreto seu e tire o foco da aparência. Faça um curso, doe tempo para quem precisa e tome um café com aquela amiga de longa data que você ama e que nunca teve tempo de encontrar. Seja tolerante consigo mesma. Não se cobre em demasia.

Que tal investir em boa maquiagem e produtos que cuidam da pele? Seja vaidosa! Uma pele bem cuidada e muita cor só avivam ainda mais o olhar de quem está bem resolvida com sua fase.

Mude – na medida do possível – algumas peças do seu guarda-roupa. Use tênis de vez em quando. Tome um banho de cachoeira. Na praia, use o biquíni que achar mais lindo sem se preocupar em ser perfeita. Ninguém nunca é suficiente para ninguém, então relaxe e viva a sua vida da melhor maneira: a que está ao seu alcance de viver.

Quem gosta de você, vai gostar até careca. Quem não gostar não fará falta eternamente. Tudo passa.

As rugas estarão lá de uma forma ou de outra, então ria alto se sentir vontade. O coração alegre transborda para o corpo e todas as mensagens que ele transmitir serão de positividade.

Inspire-se em alguns perfis de mulheres REAIS quem tiveram coragem de assumir seus grisalhos e ainda estão no processo de transição:

  • Cristina Latarullo

    Eu também já comecei a transição.

  • Isabell Jhacinto

    *Olá!! princesa 👑 amei ler sobre tua transição…eu estou com 57 anos e estou nesta fase… às vezes me olho no espelho e amo meus grisalhos… más às vezes bate aquela vontade de pintar, já usei o cabelo de muitas cores…cansei pinta e dá e uma semana os brancos voltam…aí pensei chega de lutar contra a natureza 😍😘❤️

  • Leonice Perreta Leal

    Linda matéria, queria muito assumir meus cabelos brancos, mas a minha raiz crescida, me incomoda muito…

  • ALESSANDRA MACEDO

    😍 oi! Meus primeiros fios brancos começaram aos 24 anos. Hoje eu tenho 48 e eles continuam comigo. Eles parecem luzes natuais da base do cabelo até as pontas. O mais engraçado é que eles NUNCA me incomodaram mas são odiados pelas outras pessoas. Eu não vivo pra agradar a ninguém! AMO MEUS FIOS BRANCOS. SEM ELES UMA COISA É CERTA: EU NA SOU EU. OBRIGADA DEUS PORQUE EU ACEITO COMO TU ME IMAGINOU E ME CRIOU. MEUS CABELOS SÃO OBRAS DE TUAS MÃOS. DE JOELHOS EU SÓ POSSO DIZER OBRIGADA.

  • Elizabete Rodrigues de Assis

    Amei.
    Ja assumi os meus brancos e estou muito feliz. Bjss

  • Rita

    Adoro meus fios brancos, sempre fui a favor do natural e penso que as fases da vida são belas e deve serem vividas intensamente ….

  • Elaynne Souza

    Que post empoderador! É um incentivo gostoso pra quem busca se assumir com cabelos brancos e tem vergonha ou medo. Acho que ficou muito bom em você! Que venham mais cabelos curtos, mais afros e mais brancos.

  • Sirlene, balneário Camboriú-sc

    Oi achei bem interessante a matéria, eu aos 47 assumi meus brancos, como todos comentam a cada 15 dias tinha que pintar, mas hj meu Deus, que liberdade não precisar pintar, viva a liberdade e vida ..

  • Miriam

    Assumi meus brancos mais naturalmente q os das cores q pintava. Uma hora eles eram marrons, outras vezes eram ruivos. Depois passaram a serem loiros. Até q quase q num passe de mágica, eles ficaram brancos. Amei, pq agora me sobra mais dinheiro para cuidar da pele. Invisto nuns brincos grandes coloridos, num Baton vermelho,e pronto. Tô colorida! Me amo ao olhar no espelho. Muitas amigas e parentes me esconjuraram, mas permaneci firme. Agora tô leve, livre,solta e feliz!!!😂😂

  • Eliane Scarlate

    Cada vez mais me sinto livre hoje com 59 assumindo meus prateados estão curtos mas vibrando .bjus a todas que Deus nos abençoe hoje e sempre.

  • Virginia

    Eu tive receios em deixar brancos mas agora depois de ler o texto resolvi aceitar como sou Liberação geral aos branquinhos afinal branco indica Paz*

  • Sidemarly Lousada

    Tenho cabelos brancos desde os meus sete anos ….antes era só uma mecha….agora aos 53 anos assumi por completo,parei de pintar uns 03 anos atrás.
    Atitude mulheres seja como for do seu jeito…

  • Ivone

    Tenho 50 anos ,e não tenho coragem de assumir meus brancos ,há horas q tenho vontade porque ficar tingindo a cada dez dias é cansativo.
    Depois dessa matéria vou tentar passar um mês sem tingir.

  • Gisele

    Adorei a matéria ,na verdade eu nasce com mecha branca. Eu pintei cabelo durante muito anos .Já faz 2anos que parei de pintar cortei ele para ajudar .E hoje estou 45 anos ele já está todo sem a tinta ,mais não é fácil as críticas são muitas mesma .Mais quando eu tomei a decisão de não pintar mais foi uma opinião muito forte e por motivo alérgico ajudou muito .Então você que pense em parar de tintar seus cabelos não liga p as críticas.