Imagens: Pexels

Pensar em sair da zona de conforto (que no caso da falta de condicionamento físico nem é tão confortável assim) requer muito mais força de vontade que outra coisa. E não há necessidade de pressa.

Se você quiser resultados a curto prazo vai terminar radicalizando, e o ganho a longo prazo – o mais eficaz para a saúde – termina ficando para trás. Então darei sugestões simples que você poderá se adequar hoje. Agora. Sem desculpas.

Beba água: todos os especialistas em nutrição, médicos e até a nossa avó dizem que água nunca é demais, ainda mais em regiões tropicais. Muitas vezes nosso corpo está precisando de água e a gente termina comendo, achando que é fome.

Beba água mesmo sem sede, nem que seja um pouco. Isso vai ajudar seus órgãos, seu metabolismo e vai te ajudar a controlar aquela compulsão alimentar que geralmente está ligada à ansiedade.

Se você tiver dificuldade de ingerir água, acrescente sucos que não precisam da adição de açúcar: melancia, abacaxi, melão, laranja são algumas delas. Você pode misturar duas ou mais e adicionar hortelã miúda ou raspas de casca de limão. Você pode também deixar chá na geladeira e tomar sempre que lembrar. Nos dias de calor eles refrescam e ajudam a eliminar líquidos retidos no organismo.

Evite sal: se tem uma coisa que vicia é ele. Altera a pressão, sobrecarrega os rins e dá aquele inchaço horrível que a longo prazo pode ajudar no surgimento de celulites. No mercado há o sal rosa, que tem o mesmo sabor e possui menos sódio. Mas atenção: compre em um local de confiança.

Evite açúcar: outro vício que faz muita gente babar, mas depois traz prejuízos, alguns sem volta. Não há benefício no açúcar refinado além do prazer imediato. Uma das coisas que descobri é que quase tudo vira açúcar no organismo: arroz branco, macarrão, pão (tudo que é feito de farinha de trigo comum).

Sabe aquele pneuzinho na linha da cintura? Ele será inflado pelo açúcar que você consumir. Se você tem dificuldade de abrir mão dele, comece diminuindo aos poucos a dosagem e troque o refinado pela opção do mascavo. Se for o caso, converse com seu nutricionista sobre alternativas de adoçantes.

Integral: se onde você estiver a opção integral surgir (seja o que for: arroz, pães, massas em geral), opte por ela. Experimente. Além de comer menos, será mais bem digerido e ajudará o trato intestinal.

Sobre sal e açúcar: quando você consome pouco ou quase nada, descobre o real sabor dos alimentos. Os primeiros dias são irritantes, por que eu realmente era viciada. Quando terminava de almoçar, queria um doce.

Na bolsa: tenha sempre algo nutritivo para lanchar por perto. Se você tiver, não vai ficar beliscando porcarias ou se apoiando naquele pão doce para correr do estresse. O pior: não adianta e ainda engorda.

Ansiedade: não disfarce ou tente relevar crises de ansiedade que te levam a comer sem pensar se está realmente com fome. Se depois de comer você já fica pensando na próxima refeição, se sua vida é baseada em compulsão, você precisa de ajuda. Sua saúde pode depender da sua decisão de encarar a necessidade de terapia.

Hoje meu almoço tem alimentos crus, vegetais, alguma carne (não muita) e uma fruta cítrica como sobremesa. A irritação só chega na TPM e eu resolvo com um chocolate meio amargo. Sou magra? Não, mas diminuí quase dez centímetros de cintura e tenho muito mais saúde.

Se você conseguir adquirir esses hábitos simples que citei acima, já vai dar um grande passo. Lembrando que eles independem da sua condição física e interferem na vida de qualquer pessoa.

Exames: se você for ao médico e realizar exames de sangue, vai saber exatamente quais os pontos mais frágeis da sua saúde. De posse dos resultados, procure um profissional de Nutrição para saber como poderá potencializar sua alimentação.

Próximo passo: ‘despertar’ o corpo para eliminar tudo aquilo que só prejudica. Essa é a parte que mais levará tempo e pedirá doses de paciência. Não há como reverter um processo de anos de falta de cuidados em poucos dias, por isso é preciso ir com calma.

Tema da próxima postagem.

A série FIT é uma parceria do Simples Assim com o Ao Pharmacêutico.

Atualmente não há comentários.