Ontem (29), foi o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Acredito que é senso comum o mal que o tabagismo causa ao longo dos anos na vida de quem adere ao hábito de fumar. Mas, e quem está por perto?

Há anos também sabemos que quem está por perto dos fumantes torna-se fumante passivo e isso também acontece com os bixinhos de estimação. A diferença está no nível de contaminação, muito maior nos animais.

O médico veterinário especialista em cães e gatos, Walter Hugo, explicou ao Simnples Assim que a exposição à nicotina pode causar câncer, principalmente no sistema respiratório. “Há estudos dentro e fora do Brasil que comprovam que animais são potencialmente mais afetados pela nicotina do que os humanos”, revelou o especialista. “Isto porque, além de inalar, eles também absorvem a nicotina nos pelos e lambem durante sua rotina”, explicou Walter Hugo.

Faz total sentido para mim, que cuido de 5 gatos e percebo o quanto meus bichanos lambem seus pelos. Felizmente, aqui em casa ninguém fuma.

Quem não consegue largar o cigarro precisa estar [email protected] aos sinais de seu pet. Embora sejam formados por amor incondicional, ainda não temos como decifrar quando estão sentindo dor, apenas um bom médico poderá fazê-lo.

“Exames de rotina, de imagem e até biópsia (quando necessário) podem ser feitos hoje em clínicas veterinárias, com total segurança”, observou Walter Hugo.

Eu não vou me ater a tentar convencer você que fuma a abandonar o vício. Acredito que quem fuma saiba dos riscos e danos que ocorrem no organismo. Criticar também não ajuda.

Que tal então pensar em uma alternativa saudável para substituir o vício? O pelo menos amenizá-lo? Quem te ama – humanos e peludos – agradecem duplamente.

Tudo começa com o primeiro passo (clichê, mas real).

Atualmente não há comentários.