Sergio é cabeleireiro no Graciliano  Ramos

Anos atrás, quando ainda escondia meus grisalhos, meu cabeleireiro foi embora e me senti um pouco perdida ao ter de procurar outro profissional para cuidar dos longos cabelos loiros.

Conheci o Junior em um conhecido salão de Maceió e me lembro que pagava R$ 90 apenas pelo corte. Quando me informaram que ele não trabalhava mais no shopping, decidi arriscar com outro profissional do mesmo salão, pensando eu que por aquela cifra qualquer um dos cabeleireiros saberia desfiar meu cabelo com aquelas tesouras especiais. Resultado: ficou tão ruim que senti vontade de chorar assim que saí do local.

Ódio superado, passei a buscar outro profissional que pudesse cuidar de mim. Foi nesse processo de busca que o Sergio, meu vizinho, abriu um local de atendimento na varada de casa. Arrisquei uma escova e gostei, os cabelos cada vez maiores me levavam uma boa quantia mensal.

View this post on Instagram

Hoje eu quero falar sobre #persistência. . A primeira foto é de um salão improvisado na porta da casa do meu #cabeleireiro @sergioclimaco_ . . Improvisado MESMO. . Com o passar do tempo e muito trabalho ele começou a conquistar sua clientela com resultados q só eram vistos em salões de renome. Sergio, ao contrário de mta gente q conheço, sempre foi mto simples. Atendia a gente com as filhinhas dele correndo ao redor e com a #concentração de um #monge. Começou a divulgar seu trabalho no IG e literalmente foi visto, depois de anos trabalhando no 'puxadinho'. . Na segunda foto ele já está em seu recém inaugurado salão, todo feliz pela conquista. . #Dislexo, Sergio me contou q achava não ter nenhum #talento até descobrir a artimanha das tesouras e a alquimia dos tons perfeitos. "Não tinha um bom raciocínio com os estudos e por isso me frustrei por anos". . A concentração q eu, como cliente, percebi nos primeiros anos nada mais era q um esforço absurdo para não errar e executar sua nova profissão de acordo com oq ele aprendeu nos cursos q fez, sem deixar a #dislexia dominar seu emocional. Ele conseguiu superar uma muralha pessoal, entendem? . E vc? Tem algum tipo de dificuldade q julga te impedir de alcançar seus objetivos? . Que tal começar a descobrir #talentos em si mesmo (a)? . Não desista. Sempre há #recompensa para aquele q se esforça em sair da zona de #conforto e se reconstrói.

A post shared by Simples Assim (@dayanelaet) on

Na época, uma amiga me indicou uma profissional que, segundo ela, fazia mechas muito bem. Pesquisei nas redes sociais e vi alguns trabalhos. Decidi arriscar. Fui ao salão da tal moça, cheguei quatro da tarde e saí depois da meia noite, apenas para ela retocar. Paguei caro, lembro que dividi em quatro vezes sem imaginar que o retoque teria de acontecer novamente antes de terminar o prego.

Uma semana depois do procedimento meu cabelo estava bem ressecado (quem faz mechas sabe como é), e procurei a tal moça para pedir uma orientação de como cuidar, mas ela me indicou um novo procedimento, que consumiria mais um pedaço de dinheiro. Desisti e passei a usar receitas caseiras em casa.

Semanas depois voltei ao Sergio para escovar meus cabelos e dei de cara com uma cliente com AQUELE CABELO saindo do puxadinho. Perfeito, bem cortado e com mexas muito bem feitas. Desde aquele dia decidi deixar as madeixas aos cuidados dele e estou até hoje.

A primeira vez que ele cuidou do retoque da minha raiz, cortou e escovou, o valor que paguei foi um terço do tal salão da moça da Jatiúca. Fiquei passada e ainda perguntei se o cálculo estava certo.

Setor de serviços foi um dos poucos que não entrou em crise

O negócio no puxadinho do Sergio foi prosperando e ele decidiu dar um passo de fé e abriu o primeiro salão no conjunto Graciliano Ramos. Pai de três filhos, ele viu no Instagram uma ferramenta potente de divulgar suas transformações e passou a viver apenas do salão. “A família vai bem, obrigado. Graças a Deus e ao meu trabalho”, sempre diz.

Sergio realizou o sonho de abrir seu salão

 E como é bom ver o crescimento, as pequenas conquistas e a bela trajetória de Sergio. Hoje o salão dele não deixa a desejar a nenhum outro de alto padrão. Principalmente no quesito competência.

Quando decidi fazer a transição e abandonar os tratamentos, ele topou na hora. Cortou o cabelo do jeito que pedi e, acreditem, domina todas a técnica de todas tesouras que desfiam que existem na Terra. A diferença é que ele cobra o preço justo, dentro da minha realidade.

Então decidi contar sua história para ressaltar que não precisamos gastar tanto considerando APENAS a marca do produto ou serviço. Avalie sempre o custo X benefício.

No final do mês a tal etiqueta não vai te ajudar a completar o orçamento. Valorize seu suor e gaste seu dinheiro com quem merece recebê-lo.