Imagens: Pexels

Mulheres que decidem não ter filhos gostam de crianças. Gostam de brincar, não são frustradas ou possuem algum tipo de doença emocional. Elas APENAS não querem ser mães, e isso não as tornam inferiores a nenhuma outra.

“Quem vai cuidar de você quando estiver velhinha? ”, costumo ouvir quando digo que não quero gerar um filho. A intenção de quem fala geralmente é boa, mas confesso que acho um tanto egoísta. A verdade é que ter medo do futuro não pode ser motivação para trazer alguém ao mundo. Ainda mais a este que de forma diante dos nossos olhos.

Não é ruim seguir o curso da própria história. É saudável e evita muitas frustrações. Se todos ao redor casaram, tiveram filhos e seguem suas vidas, você PRECISA se enquadrar neste padrão? Por que? Por quem?

Se começo um relacionamento com um homem que já tem filhos, vou evitar contato? Claro que não! Me dedico para me tornar uma amiga com a qual os pequenos possam contar. Mãe é posto que ninguém vai substituir, pelo menos em situações normais.

Quando nos obrigamos a seguir um padrão que não é o nosso arriscamos nossa paz em relacionamentos nem sempre saudáveis, apenas para entrar no padrão social. Não estou com isso dizendo que todo mundo que se casa e tem filhos vive mal, que fique claro. São escolhas.

Quando jovem me perguntavam quando eu ia arrumar um namorado. Arrumei: quando vai casar? Casei: quando vai ter filho? Não tive filhos, mas se tivesse tido: o segundo chega quando? Separei:  ainda bem que não teve filhos.

Sinceramente… nunca estarão satisfeitos com sua vida. Independente da situação.

Não quis ser mãe por uma série de motivos, entre eles por achar que o mundo já tem muitas crianças precisando de pais. Se um dia mudar de opinião, a adoção estará ao alcance. Amor é amor e deve ser compartilhado com quem precisa dele. Não vejo barreiras.

Conversando com uma amiga que tenho desde a adolescência, a hoje arquiteta Elaynne Souza, que também decidiu pela não-maternidade, ouvi algo interessante: “ser mãe é aceitar o desafio de criar um outro ser humano que não tem a obrigação de ser um mini eu. É investir tempo, dinheiro e total atenção com detalhes que vão surtir efeito na fase adulta de alguém que dependerá exclusivamente de você (pelo menos nos primeiros anos).

Nem toda mulher tem a maternidade aflorada, mas isso não a torna inferior a nenhuma outra. Repito: são escolhas.

E ao contrário do que muita gente pensa, é possível viver feliz e alcançar a plenitude sem seguir padrões. Conheço gente que se realiza praticando a caridade, casais que decidiram não ter filhos por entenderem que serão felizes viajando, cuidando um do outro. [email protected] que sequer têm tempo pra cuidar de uma plantinha ou de um gato. Ser feliz não tem regra alguma.

Pexels

Certeza mesmo é de que, seja qual for a condição, haverá dificuldade em algum momento. E precisamos estar [email protected]

Se você é feliz do seu jeito, para que mudar o curso dele?

Seja [email protected] por sua história. Veja beleza em sua caminhada.

  • Fabiana da silva amorim

    Excelente texto.

  • Paula

    Até parece q esse texto foi escrito por mim!

  • Daianeass

    Muito bom!!!! Nem todo mundo tem a maternidade aflorada. Tenho 29 anos, não penso em ser mãe… Quem sabe daqui uns anos kkkk mas hoje não e desde sempre nem nome para uma criança eu pensei kkkk

  • Juliana

    Super normal!

  • Antonia Alessandra Goncalves

    Eu também ñ sinto vontade de ser mãe nunca tive sonho de ser mãe até hoje ñ senti falta, filho é um problema eterno .

  • Antonia Alessandra Goncalves

    Ñ quero ser mãe filho é renúncia.

  • Aline

    Que texto maravilhoso!
    Sempre ouço “não vai deixar nenhuma herança nesse mundo?”, aí eu faço o questionamento: Será que preciso de um filho para deixar uma herança? E se eu praticar boas ações por onde passar, também não seria uma forma de herança?
    E sobre, “Quem vai cuidar de você quando estiver velhinha?” Desculpa, mas os asilos por aí a fora comprovam que ter filhos, não garante companhia.

  • Catherine

    Fantástico, parecia que eu estava escrevendo o texto. Disse tudo o que sempre converso e tento esclarecer em algumas pessoas. Perfeito 👏👏👏 Tenho 34 anos, sou casada há 4, eu e meu marido pensamos da mesma forma. Quando estivermos dispostos em ser pais (pois envolve muitas responsabilidades) pensamos muito em adoção.