O deputado Arthur Lira, líder do Centrão, encabeça um  movimento pela derrubada do veto, a pedido, de Bolsonaro, que impede o perdão de uma dívida que chega a quase R$ 1 bilhão das igrejas para com a Receita Federal.

As instituições religiosas estão sendo cobradas, “indevidamente”, diz o tributarista Lira, pelo não pagamento de débitos previdenciários e tributários, contribuições legais sobre a remuneração de pastores e líderes das igrejas.

Se conseguir seu intento, Arthur Lira projeta transformar o perdão em votos para a presidência da Câmara Federal.

Conheça as alternativas palacianas para reconquistar Luciano Barbosa
Marx Beltrão teve de dobrar a família para anunciar apoio a Gaspar
  • Saogala

    Triste exemplo para uma República falida.
    Jesus Cristo disse: “Dai a César o que é de César”.
    Ou seja, até o próprio Deus pagou imposto!

  • Laskdo

    Depois do perdão qual religioso, nesse país, vai pagar imposto? Estamos caminhando para uma república teocrática. Inclusive, foi com essa burka moral hipócrita que o presidente foi eleito.