Tendo nos seus quadros um senador da República, Rodrigo Cunha, e uma deputada federal, Tereza Nelma, o PSDB de Alagoas vive o que parece ser sua agonia.

Em 2016, o tucanato local, que havia passado oito anos no comando do governo do Estado, conseguiu eleger os prefeitos das duas maiores e mais ricas cidades alagoanas: Maceió e Arapiraca.

Hoje, a legenda não tem mais o controle de nenhuma das duas prefeituras. Rui, então reeleito, saiu do ninho da ave bicuda e levou com ele todos os vereadores do partido – foram eleitos quatro em 2016.

Em Arapiraca, com a morte do prefeito Rogério Teófilo, o PSDB – que ainda possui seis vereadores por lá – não tem um nome para a sucessão municipal.

O partido virou o grande nanico das eleições municipais em Alagoas, este ano.

O seu desmantelando, entretanto, não deve ser atribuído ao atual presidente estadual, Rodrigo Cunha.

O processo de decadência começou ainda no governo de Téo Vilela, passando pelo prefeito Rui Palmeira, até os dias de hoje, quando os peessedebistas tentam emplacar um candidato a vice na chapa de JHC (sem consenso).

O cenário nacional também é devastador para o tucanato, restando apenas São Paulo – estado e capital –, sob a direção da legenda.

É muito, mas é pouco.

Arthur Lira tornou-se o 04 da família Bolsonaro
Marcelo Victor assume candidatura a conselheiro do TC
  • Há Lagoas

    Se nos serve de consolo, o PSDB nacional também se encontra em plena decadência, hoje, o folclórico João Doria que entre plumas e paetês, desfila como uma rainha deslumbrada – porém destronada – acredita que poderá chegar ao palácio do Planalto!
    Os caciques políticos, pouco a pouco percebem que suas agremiações estão entrando em estado vegetativo, e isso inclui o PT, o que é extremamente positivo!
    A dicotomia PT x PSDB pode estar com os dias contados, e já vão tarde…

  • nonato

    o pt se diluiu desde a época do ele nao!

  • Chega

    A quem possa interessar, basta perguntar a qualquer detentor de cargo eletivo, ou qualquer candidato filiado a partido político, quais diretrizes norteiam as linhas de atuação social, econômica e política de seu partido. Duvido conseguirem responder. Não sabem o que significa a sigla que defendem e representam. Aliás, usam as siglas para se projetarem. Não sabem o que é corrente ideológica, não sabem nada sobre teoria econômica, não entendem nada de sociologia, filosofia ou qualquer ciência ou as áreas de conhecimento que possam visar o bem comum. Apenas buscam uma alavanca, de maneira que sejam alçados a lugares de onde não mais sairão. Não existe representatividade, apenas uma eterna luta pela sobrevivência em seu curral: MDB, PTB, PDT, DEM, PTC, PSC, PT, PSDB, PSB, PSL, PCdoB, PSOL, REDE, PMN, CIDADANIA, PV, AVANTE, PP, PSTU, PCB, PRTB, DC, PCO, PODE, REPUBLICANOS, PSD, PATRIOTA, PROS, SOLIDARIEDADE, NOVO, PMB, UP. UFA!!! Se alguém se sente representado por qualquer um dessa sopa de letras, faça bom proveito!

  • Eduardo Magalhães

    Ricardo: Precisa usar Uma fonte maior para seus fiéis leitores de maior idade.

  • Roberto Pedroza

    Discordando da su análise, a culpa é do senador Rodrigo Cunha que se apequenou diante de importante cargo da democracia. Na lógica de fazer a “nova politica” aliou-se ao que há de mais atrasado (primeiro a mãe de JHC, pro mãos do próprio JHC e seu pai o João Caldas) e agora ao alisado de toda hora deputado Severino Pessoa.

    Rodrigo Cunha é o pior senador que AL já teve e consegue deixar o PSDB virar pó (e aqui não é nenhum trocadilho com o que dizem de Aécio Neves).

  • Ex eleitor

    Mais quem que emplacar a vice de JHC é a Tereza Nelma, enfiar garganta a dentro a sua filha atropelando tudo e todos.