Hoje o prefeito Rui Palmeira vai publicar um novo decreto na capital. Ele deve confirmar o que já foi anunciado pelo governador Renan Filho, autorizando a reabertura, a partir desta sexta-feira, de lojas com até 400 m², igrejas (com 30% da capacidade), além de salões de beleza e barbearias.

Uma informação, entretanto, deve ser considerada: hoje, Maceió está em terceiro lugar no país em ocupação de leitos de UTI, ao lado de Belo Horizonte, que vive uma explosão de casos da Covid-19.

A capital dos alagoanos, segundo levantamento publicado pela Folha de São Paulo, tem hoje 86% dos 202 leitos de UTI ocupados (em Alagoas são 79% de ocupação).

Impressionante é a situação de Natal, que já apresenta 100% de ocupação dos leitos com cuidados intensivos.

Veja a relação, abaixo:

Natal – 100% de 30 leitos

Rio Branco – 95% de 43 leitos

Maceió – 86% de 202 leitos

BH – 86% de 301 leitos

Vitória – 84% de 486 leitos

Seguem: Curitiba, Salvador, Fortaleza, Florianópolis, Porto Alegre, Boa Vista, Teresina. São Luiz chegou a 80%, mas já não enfrenta o seu pior momento.

Eu conversei com o secretário Alexandre Ayres, da Saúde, e ele me disse que na estatística da Sesau, que contabiliza também leitos com respiradores, a ocupação chega a 75%:

– A variação tem se mantido nesse patamar, mas ainda vamos ampliar os leitos em Maceió. A Santa Casa, por exemplo, como já presenta números bem melhores em relação aos planos de saúde, pode nos ajudar ainda mais, disponibilizando, por contrato, mais dez leitos de UTI, passando de 20 para 30.

Saiba o que os candidatos a prefeito de Maceió acham do adiamento da eleição
Antes do reajuste: Equatorial tem lucro de 106,8% no 1º trimestre de 2020
  • Carlos

    O prefeito libera a orla para praticar esportes e banho… Ótimo e orientação das máscaras e sem aglomerações. Cabe você cidadão fazer o que é certo e não relaxar e depois querer culpar o prefeito e o governador.

  • Chega

    Todo o lixo, sofás, carcaças de tv, partes de automóveis, lixo doméstico, entulho de construção jogado nas ruas, calçadas, praças e córregos de todos os bairros de Maceió me dizem que nenhuma política pública vai surtir bons resultados enquanto houver pessoas que não respeitam e não exercem a cidadania. Sem cidadãos não há uma nação. Não importa o bairro onde mora, o salário, o sobrenome, o cargo que ocupa…