Cada vez mais próximo de se tornar amigo de infância do presidente Bolsonaro e família, o deputado Arthur Lira disse hoje que as alianças “são necessárias quando são feitas de boa fé”.

 

Ele fez um aparte ao discurso de Rodrigo Maia – que defendeu maturidade e paz para o Brasil, sem armas -, e disse o que todos já sabem, inegavelmente, sobre sua turma:

 

– Os partidos de Centro, ou de Centrão, como queiram, que nós fazemos parte, sempre deram a qualquer governo com muito equilíbrio o sustentáculo às aprovações necessárias tanto para as matérias econômicas quanto para as matérias sociais.

 

Dão com uma mão e recebem com a outra: foi assim como FHC, com Lula, com Dilma, está sendo assim com os Bolsonaro, que nega mas também retribui (ao modo).

Petrobras quer vender este ano sua participação bilionária na Braskem
Isolamento social cai 12% em Alagoas entre domingo e segunda
  • Antonio Carlos Barbosa

    Como sempre, e na nova política, uma mão suja a outra.

  • Vítor

    Haverá boa fé? Eis a questão!

  • Há Lagoas

    Politica das alianças tupiniquim: “Farinha pouca, meu pirão primeiro”.
    PS. Continuou alimentando o sonho que este tipo de barganha ajude na expansão do VLT até a Mangabeira.

  • Consigliere Alagoano

    Mota,

    Vou expor a visão do “PODER POR TRÁS DO PODER”, uma dose do “
    ESTABLISHMENT
    ” TUPINIQUIN.

    POR QUE NEGOCIAÇÃO E ARTICULAÇÃO FAZEM PARTE DO JOGO POLÍTICO ?
    “A crença de que a política não pode ter negociação é ingênua e equivocada. Isso nega o fato óbvio do fazer político que é preciso dividir o poder.”

    IMPORTANTE
    “O toma-lá-da-cá” faz parte do jogo político e é legítimo.

    O PONTO É : O que se está tomando lá e dando cá. Se forem posições políticas, discussões programáticas e até mesmo cargos dentro do governo, isso faz parte do jogo político.

    TODA NEGOCIAÇÃO ENVOLVE CORRUPÇÃO?
    NÃO. Não há nada de errado em negociar. Isso ocorre em todos os países democráticos em que há uma multiplicidade de partidos e em que há uma necessidade de construir uma maioria, ou seja, a maioria não é dada de antemão. É preciso construir esse apoio da maioria por meio do diálogo e, inclusive, por meio da barganha.

    É POSSÍVEL GOVERNAR SEM NEGOCIAR?
    A negociação é inerente ao processo político. Seria impossível não ter negociação em um governo, a não ser que todo mundo pensasse exatamente igual. Mas como há uma pluralidade de ideias e ninguém é dono de uma maioria, ainda mais em nosso País em que há uma fragmentação partidária, é normal que haja a negociação.

    NOTA:
    Estou vendo a COISA de maneira REPUBLICANA.

    **

  • Consigliere Alagoano

    Continuando…

    Ele e outros parlamentares se apresentaram como a “NOVA” política, como se existisse uma “VELHA”.

    Mas A VELHA POLÍTICA É A POLÍTICA EM SI . Essa relação em que se busca acordo, consenso, se negocia e cede. Onde se estabelece um compromisso em atender posições diferentes.

    O que muda com a “NOVA” política é que as pessoas estão cansadas dos políticos em geral e os escândalos de corrupção reforçam isso.

    **

  • Carlos

    Essa tal governabilidade ” democrática” mostrou os políticos só sabem trabalhar no toma lá e dá cá. O jogo começou no governo FHC e nos governos Lula e Dilma, foi além das fronteiras e agora o atual pra não perder o cargo vai ficar refém do centrão.

  • Antonio Moreira

    Aliança de boa fé com Arthur Lira! Kkkkk

  • Antonio Moreira

    O Antonio Moreira acima não sou eu não, embora um comentário normal.