Vai ter barulho?

É possível que sim, desde que a Assembleia aprove o Projeto de Lei Complementar autorizando o governador Renan Filho a gastar até metade dos recursos disponíveis no Funjuris (do Judiciário) e nos fundos financeiros do MP Estadual, PGE e Tribunal de Contas.

Os recursos são oriundos de causas que tramitam na Justiça ou de multas (no caso do TC, em que de tostão em tostão se forma o milhão).

A estimativa é de que estariam disponíveis – dinheiro na mão –, de imediato, R$ 100 milhões (pelo menos).

O dinheiro – defende o projeto – só pode ser aplicado em saúde, renda mínima ou resgate econômico.

O projeto é de autoria do deputado Davi Maia, que deve esperar – por óbvio – muitas críticas.

(Ou não?)

Equatorial inventa o "apagão relâmpago" em Alagoas
Sem o João não tem união na família Beltrão
  • Alvinegro

    E no duodécimo da Assembleia. Nenhuma proposta?? Verba de gabinete, nada?

  • Samuel

    Perfeito. Tais fundos – se bem aplicados na saúde, renda mínima ou resgate econômico, conforme prevê o esboço do projeto -, seguramente serão mais úteis do que nas mãos (cofres) dessas instituições.
    Sobretudo o fundo de arrecadação do FUNCONTAS (criado pelo famigerado Tribuná-Faz-de-Conta), um Órgão ineficiente, improdutivo, extremamente oneroso para a sociedade alagoana, e que abriga o que existe de pior e há tempos se encontra deteriorado e putrefato.
    Certamente os valores vultosos arrecadados por esse fundo, serão melhor utilizados na preparação de leitos e equipamentos médicos para os alagoanos, ao invés de patrocinar o luxo e as extravagâncias dos senhores Conselheiros, Auditores e Procuradores do Ministério Público de Contas, da referida Corte de Contas.

  • José Márcio Ribeiro

    DU-VI-DA ser aprovado!

  • Vicente

    Esses 100 milhões de reais aplicados na economia, saúde ou renda mínima será muito mais proveitosos do que deixar nas mãos do MP, PGE, TJ, TCE. Parabéns ao nobre deputado pela coragem.

  • Há Lagoas

    Judiciário – e seus pretensos assemelhados – colaborando com grana, contra a epidemia?
    Será que em um momento como estes, eles também não poderiam abrir mão de parte de seus salários, como faz a base da piramide? Ou a elite salarial que compõe esta República das Bananas é incapaz de ceder um só centavo, se não for obrigada pelo legislativo?!
    Há quem acredite que judiciário é sinônimo de Justiça…

  • MINI MIM IMITA INSTAGRAM E COMEÇA A ESCONDER NÚMEROS DO SEU DESGOVERNO

    O Governador de Alagoas, Mini Mim (MDB), mostrou que anda mesmo ligado nas últimas das redes sociais e imitou o Instagram, que passou a omitir o número de curtidas nos posts para evitar a competição.
    Com a economia alagoana estagnada, o desemprego recorde, uma reforma previdenciária pra lá de cruel, que taxa em 14% até aposentadorias e pensões, e sendo apelidado agora de Mini Mim Paraguaçu, devido a sus ânsia em divulgar pelas redes sociais os mortos pelo coronavírus (COVID – 19) no Estado de Alagoas, o Pequeno Polegar também não tem se mostrado disposto a mostrar os números de seu Governo ou seria desgoverno?

  • Antonio Moreira

    Mais uma sugestão manjada,
    Horários de entrada e Saída – Pare em frente e observe:

    “A” – Quantidade de funcionários e visitantes acessando o tribunal de contas/AL.
    “B” – Quantidade de alunos, funcionários e pessoas da comunidade acessando a Escola Pública/AL .

    O Custo Anual de “A e B” para o cofre público e o retorno efetivo para o desenvolvimento do Estado.

    Se o órgão público não gera benefício nenhum para o contribuinte, por que não desativá-lo?
    Ah, mas lei maior(“mais grande”) do país não permite isso!

    Os grandes quando querem sempre arruma um jeitinho, então, “faz de conta” que fica ativo o faz de conta, pega o funcionário que realmente trabalha e transfere para ajudar na minha sala!!! – 3 são suficientes e lá tem o que fazer.

    Dessa vez iria sobrar dinheiro no cofre público para corrigir o meu salário que está defasado no longo de 14 anos.

    Não iria fazer nem questão do aumento do desconto da previdência!

  • Carlos

    NÃO VAI SER APROVADO É UM GRUPO, QUE SE ENTENDEM ESSES PODERES. SE ACONTECER O DESNATURADO , VAI QUERER DOS 50% 50%, PARA SUA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO !