A  7ª Vara da Justiça do Trabalho de Maceió publicou, ontem, uma decisão importante na ajuda ao combate ao coronavírus.

Assinada pelo juiz Cláudio Marcio Lima Santos, em ação impetrada pelo MPT, a decisão determina a distribuição de recursos da Braskem, decorrente de acordo celebrado com o próprio Ministério Público do Trabalho, que serão utilizados nas ações de prevenção e controle da pandemia que também já atingiu a cidade de Maceió.

No total, R$ 7 milhões serão destinados ao combate do coronavírus, assim distribuídos:

R$ 2.000.000,00 – destinados à Defesa Civil Municipal, a fim de dar início à deflagração das atividades previstas da Cláusula Sexta, Parágrafo Terceiro, do acordo celebrado entre o MPT e a Braskem S.A.

Mais R$ 5.000.000,00, oriundos da celebração de acordo entre este Órgão Ministerial e a empresa Braskem S.A, serão realocados, seguindo a orientação abaixo:

– R$ 2.454.547,68 para o custeio de medidas preventivas e de auxílio aos casos relacionados à pandemia do Covid-19, a serem realizadas pelo Hospital Universitário Professor Alberto Antunes;

– R$ 801.492,94 para a Associação Espírita Nosso Lar, “para estruturação de abrigo e base de atendimento ao idoso na Comunidade Espírita Nosso Lar, fls. 3056/3061, para efeito de isolamento dos idosos das comunidades vizinhas que são atendidos pela associação, com a devida prestação de contas em Juízo”;

– R$ 300.000,00 para o 59º Batalhão de Infantaria Motorizado, valor direcionado a conta da Fundepes, haja vista a impossibilidade técnica de direcionamento a alguma conta exclusiva da referida instituição, para serem comprados e;

– R$ 50.000,00 para a Casa para Velhice Luiza de Marillac, para efeito desnecessidade de isolamento e cuidados com os idosos que são atendidos pela associação, contando, a princípio, com 37 (trinta e sete) idosos e 53 (cinquenta e três) colaboradores, com a devida prestação de contas em Juízo;

– R$ 100.000,00 para a Casa do Pobre de Maceió, CNPJ nº 12.305.090 /0001-08, para efeito de isolamento dos idosos que são atendidos pela associação;

– R$ 50.000,00 para a Associação Acolhimento Mãe das Graças

– R$ 50.000,00 para o Lar Santo Antônio de Pádua

– R$ 1.193.959,38 ficarão reservados para serem disponibilizados para outra(s) instituições que estejam estabelecendo ações para o combate ao Covid-19, mediante requerimento devidamente fundamentado, e a critério deste Juízo, após ouvido o MPT.

 

Chegou a hora do Estado "Robin Hood" no Brasil
Ao 65 anos, Bolsonaro não cumpre isolamento vertical
  • Joao da TROÇA anarco-carnavalesca BACURAU da Rua NOVA do Sertão – em St’ANA!

    Uma BOA semana em casa íntegra, caro Ricardo Mota
    … SEM afundamentos d’orla lagunar.
    E NEM deslizmentos d’encostas grotas íngremes
    … rumo Tabuleiro, Pinheiros e adjacências.

    Trabalhando em CASA c’as melhores práticas da Língua MÁTRIA
    … Língua PÁTRIA sem maltratos, a nossa Portuguêsa com certeza!

    […] longe das redes sociais (ARUBÚS), q s’alimentam dos restos das notícias
    … e de versões nem sempre saudáveis,
    […] a minha atividade – o blog, no TNH1, e o Doze e Dez Notícias, na Pajuçara FM -,
    … da melhor maneira que me for possível durante quarentena.

    Pé QUENTE, cabeça fria, amigo!

  • Renato Amorim

    Ontem, saiu uma matéria, em um caderno de econômia aqui do estado, falando sobre a “iniciativa da Braskem” em disponibilizar 1 Bilhão, em “empréstimos (agiotagem legalizada) para as empresas em dificuldades pela pandemia. Ora, seria louvável, se antes eles estavam resolvendo a “pandemia causada por eles mesmos, a extração irregular em Maceió. Claro, é uma ajuda bem vinda, mas já que muito provavelmente a ideia se formou na equipe de marketing da empresa, a fim de jogar com a opinião pública, por não o faz incentivando prioritariamente os comerciantes dos bairros: Pinheiro, Bebedouro e Cambona? Muitos já estão de portas fechadas e os que restao… ainda tem essa “dificuldade” ….

  • JEu

    Excelente decisão do MPT… é só procurar e logo se encontram verbas que estavam “estagnadas” para o atendimento de necessidades referentes ao combate à tão propalada pandemia… e sem precisar assaltar, mais uma vez, o erário público federal…

  • CARLOS

    A FARRA DO COVID-19
    Todo mundo ganha, ninguem reclama e todos ficam felizes IGUAL A ALICE no país das maravilhas.
    Pelo que sei o dinheiro deveria ser usado para abrir novos leitos e equipar os hospitais com remedios, marcaras, luvas e contratar mais profissionais.
    Mas que Coronavirus que nada, as prioridades sao outras. A que ponto chegou nosso estado.

    Deus Tenha misericórdia de Nós.

    • ROBERTO PAIVA

      DISCORDO.
      AS INSTITUIÇÕES CITADAS PRESTAM SERVIÇOS DE ALTA RELEVÂNCIA
      A SOCIEDADE ALAGOANA.

  • Jorge

    tudo q as instituições queriam vamos ficar em casa.

  • Cidadão

    E o povo dos bairros que estão desmoronando????