O Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza ganha, finalmente, a oportunidade de voltar às origens.

Graças, ressalte-se, a uma iniciativa da Assembleia Legislativa, e claro, se tiver sequência e consequência (em requerimento de Jó Pereira e Davi Davino).

Os deputados estaduais, em sessão virtual, decidiram convocar o Conselho do “velho” Fecoep, na tentativa de utilizar os recursos acumulados na mitigação da crise econômica e social decorrente do coronavírus.

Criado ainda no governo Ronaldo Lessa, em dezembro de 2004, o fundo sofreu alterações de natureza legal durante o governo de Téo Vilela, e nos últimos anos até na construção civil – de hospitais – o dinheiro foi empregado.

Não que a iniciativa não esteja relacionada com o atendimento à população mais pobre. Mas o Fecoep, lembremos, foi criado com o objetivo de reduzir os níveis de miséria em Alagoas, com o atendimento direto aos mais necessitados.

Vamos ver como vem o pacote por aí.

Projeto propõe que aposentados não paguem ao AL Previdência durante a calamidade
PGJ Sérgio Jucá demite promotor condenado a 76 anos por estupro
  • JEu

    E temos pobres e miseráveis em nosso Estado, tão alardeado aos quatro ventos pelo governo do mininim de que tudo está “as mil maravilhas”?!!! e se tem pobres e miseráveis, então como é que o tal do Fecoep não estava sendo usado para ações de atendimento aos mais carentes e necessitados?!!! afinal, uma das primeiras medidas do governador, ainda em 2015, foi fechar as portas da fábrica de sopa que era distribuída às famílias mais sofridas… e os deputados todos bem caladinhos…

  • Carlos

    Em pandemia o FECOEP, deve ser direcionado para os pobres, será que o desnaturado governador Rena Filho, foi picado pela mosca da empatia neste momento de crise onde os pobres dos pobres ,vão ser os mais atingidos como sempre em qualquer crise. Por falar que deve piorar a situação dos servidores da saúde que estão na ponta vai ter um incentivo do desnaturado governador – 3%,nos seus aviltados salários e os pensionistas e aposentos 14%, .E o menino perverso de Murici,ainda fala mal do Bolsonaro . O motivo todos estão careca de saber o papito senador não está dando mais às cartas do poder.

  • SEBASTIÃO IGUATEMYR CADENA CORDEIRO

    SÓ O NOTÍVAGOS DE JACARECICA PERCEBEM : DAS UMA DA MADRUGA ATÉ AS TRÊS : BLACK-OUT ! MAS O PIOR É QUE NESSE INTERVALO , PROMOVE-SE UMA INCESSANTE INSTABILIDADE ENERGÉTICA EM QUE OS APARELHOS ELETRODOMÉSTICOS ENTRAM EM MODO AUTOMÁTICO DE LIGA E DESLIGA , COMO SE FOSSE UMA (SOU LEIGO NO ASSUNTO ) TROCAÇÃO ININTERRUPTA DE FASES , 110 – 220 , DURANTE APROXIMADAMENTE DUAS HORAS , QUANDO O SISTEMA SE NORMALIZA . POUQUÍSSIMAS TESTEMUNHAS , DESTA CRIMINOSA ( ? ) INCOMPETÊNCIA , QUE JÁ ERA COMUM , QUASE COTIDIANA , NOS TEMPOS NÃO-EQUATORIAIS COM SEUS MEDIDORES SUSPEITOS . . . SERÁ QUE HÁ ALGUM CONLUIO ENTRE ESSA OPERADORA E OS FABRICANTES DE ELETROELETRÔNICOS ? OU VÃO COLOCAR A CULPA NO COVID-19 ? ISSO OCORREU NA MADRUGADA DE HOJE (25/03) !

  • Henrique Jr.

    Alô, JEU! Gado mor de Maceió! Bateu panela ontem contra o seu “rei”? Ainda defende aquele lunático miliciano? Faz um favor, passa o dia na rua com a bandeira dos eua defendendo o teu “mito”.

  • Carlos

    Exatamente Henrique Jr. que manda o presidente ir na onda do doutor Drázio Varela,que gravou e falar que era uma gripinha.

  • Modido do poico

    Não vai ter como ajudar Ricardo. Os mais RS 250.000.000,00 (duzentos e cinquenta milhões de reais ) , arrecadados de 16 anos para cá, ou mais , já gastaram tudo, só deus sabe em que.. Não tem esse dinheiro, pois já levaram foi tudo.. Agora ,a um tempo atrás , fizeram um labafero danado para renanzinho explicar onde foi, como foi , e em que foi gasto este imposto, onde esqueceram de cobrar dele a resposta, e deixaram para lá..Pode ser Ricardo , que justifiquem ,com notas de serviços a execução em que foi gasto , e quantos pobres se beneficiaram… Agora de uma coisa tenha certeza , que foi só a nota entregue , e pobre beneficiado nenhum..Quer apostar????Com a palavra a Sefaz de Alagoas , e quem deve dar melhor explicações , e esclarecer onde ,e em que foi empregado , bem como a relação com o nome do pobre que foi beneficiado com a arrecadação deste imposto, cobrado nos cupons fiscais emitidos aos pobres contribuinte alagoano, que o quem pagam essa conta.

  • Pedro Antônio

    Não vai. E se for, um pouco, vão se aproveitar politicamente.
    O restante, vai pro bolso de alguém.
    Ta faltando tudo, agora, na área de saúde, porque estão esperando o dinheiro do governo federal. O daqui vai ser “gasto”, mas de fachada. Vai pro bolso de alguém também.
    Aqui nada se fiscaliza. E quem fiscaliza tira o seu também.

  • Jorge Barbosa

    Todo material que entra no estado tem a diferença de imposto e mais o fecoep e ainda quer dinheiro do governo federal.