A infectologista Mardjane Lemos, do Hospital Escola Dr. Helvio Auto, é enfática ao afirmar que “o principal problema epidemiológico de Alagoas é a influenza”.

Ou seja: a gripe.

Segundo a profissional, o H1N1 já está circulando no estado e é um vírus que merece todo o “respeito e cuidado” das autoridades da Saúde.

Ela disse, em uma longa conversa telefônica que tivemos, que “ainda não é o momento”, aqui no estado, do afastamento social coletivo e/ou da quarentena coletiva.

Como se pode traduzir?

Devemos chegar a essa situação, mas o cancelamento das aulas nas escolas públicas, por exemplo, pode criar outro problema, principalmente para a população idosa, mais vulnerável ao coronavírus (é uma questão de custo-benefício para a população):

– Nem tudo o que vale para São Paulo, neste momento,  vale para Alagoas. São situações diferentes. Nós não temos ainda a contaminação comunitária – ou sustentável. Por enquanto, essas medidas mais restritivas podem prejudicar mais do que ajudar.

A infectologista Mardjane Alves defende uma comunicação permanente, diária, das pastas de Saúde – estadual e municipal –, atualizando as informações sem alarde, mas sem omissão.

Independentemente do estágio da doença em Alagoas, os cuidados que cada um de nós deve ter são os mesmos, por exemplo, para a gripe:

– Devemos criar hábitos de higiene e prevenção para todos os vírus circulantes, inclusive o H1N1.

Ou seja: aproveitemos o momento para aprender e usar os novos conhecimentos adquiridos em nosso favor.

Especialista em Saúde Pública, secretária Ana Dayse foi contra suspensão das aulas
Seis candidatos disputam cargo que foi de Alfredo Gaspar no MPE
  • Pedro

    Curioso! O mundo está tomando medidas bem duras para enfrentar o Coronavírus, mas um minoria no Brasil se acha acima do bem do mal, só pode ser. Não é possível que as autoridades de grande capacidade na área da saúde estejam superestimando a capacidade destrutiva desse novo vírus. Todos sabemos que o vírus da gripe e tantos outros já estão entre nós, mas imaginem mais um! É irresponsável não se cercar dos máximos cuidados. Sabemos que se não ocorrer uma mortandade em massa, muitos irão dizer que as medidas foram exageradas,. Mas ainda assim, precisamos nos cuidar e evitar o pior. Não entrem na onda do bozo e sua manada.

  • O “PLANETA ALAGOAS”!

    Após citar China e Itália como “planetas”, em um vídeo que bombou na internet, o Governador de Alagoas, Mini Mim, vulgo Pequeno Polegar, fechou tudo por 20 (vinte) dias: repartições escolas públicas e privadas, comércio etc.

  • Hudson

    Discordo da doutora, prevenção como o próprio nome já diz, deve ser realizada com o intuito de que o fato (nesse caso a transmissão comunitária) não venha a ocorrer. Se deixarmos para fazer a quarentena coletiva depois que o primeiro caso de transmissão comunitária (ninguém garante que já não tenha ocorrido) for identificado pode ser tarde demais. Devemos antecipar os fatos, se deixarmos o vírus sair na nossa frente será difícil acompanhá-lo.

  • JEu

    Discordo do Hudson, a gente não tem que acompanhar o coronavírus, a gente precisa correr para o lado contrário…kkkkkkkkkkkkk… agora, quem deu a opinião foi uma infectologista do Hospital Helvio Auto, não foi “uma pessoa qualquer”… lógico que ela não disse para não se tomar cuidados, muito pelo contrário… o que ela disse foi que medidas muito restritivas, como fechar escolas, neste momento, pode até prejudicar, em vez de ajudar, considerando que grande parte das crianças das escolas públicas moram ou têm contato mais direto com seus avós… se os pais trabalham e não têm como deixar as crianças com outras pessoas, vão pedir aos avós, pois se faltarem ao trabalho poderão até serem despedidos… e os idosos são os mais vulneráveis da população… se alguém não entender isso, então voltem para a escola… procurem evitar aglomerações (fica difícil para quem trabalha ao usar o transporte público)… usem álcool gel para limpar as mãos (custa caro para muita gente)… lavem as mãos, limpem o nariz e os olhos com frequência (será que todos os locais de trabalho possuem essa facilidade?)… ora, ora, o contágio comunitário é inevitável de ocorrer, ao que parece… agora, precisamos saber que, na grande maioria dos casos, não passa de uma gripe (muito forte e muito desconfortadora)… mas nada mais do que isso… e se todos colaborarem (principalmente o povo em geral) logo vamos superar o período mais crítico… baixas vão ocorrer (já ocorreu uma em São Paulo), mas tudo vai passar… peçamos a Deus que nos guarde e nos proteja a todos e façamos o que nos for possível… afinal, alguém afirmou nas letras sagradas: “ajuda-te e o céu te ajudará”… tenhamos, pois, mais fé, mais ação e menos reclamação…

  • Xiquito

    Eu só fico pensando no HGE e a quantos novos ricos vão aparecer através desse vírus.

  • FABIAN

    O PRINCIPAL PROBLEMA EPIDEMIOLÓGICO, DO BRASIL E PRINCIPALMENTE DE ALAGOAS É QUE O NOSSO PAÍS, NOSSOS ESTADOS E MUNICÍPIOS “NÃO TRABALHAM COM PREVENÇÕES”. O BRASIL NÃO CONSEGUE ATINGIR A META DA VACINAÇÃO, DO SARAMPO, EM 2020, VAI ESTÁ PREPARADO QUANDO, PARA O CORONAVIRUS??? O PRESIDENTE DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL: JAIR BOLSONARO E O MINISTRO DA SAÚDE: MANDETA, PRECISAM TOMAR MEDIDAS URGENTES E NECESSÁRIAS, PARA CONTROLAR A NÃO PROLIFERAÇÃO, DO CORONAVIRUS!!! SABEM COMO??? INVESTIMENTO SÉRIO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, EM PREVENÇÕES, NOS ESTADOS E MUNICÍPIOS, PARA CONTROLAR O CORONAVIRUS!!! O MINISTÉRIO DA SAÚDE CONSULTE OS MELHORES INFECTOLOGISTAS, DO BRASIL, PARA JUNTOS, EM CARÁTER URGENTE, ELABORAREM PROJETOS DE PREVENÇÕES, PARA CONTROLAR O CORONAVIRUS!!! ENTENDERAM??? “MUDA QUE QUANDO A GENTE MUDA, O MUNDO MUDA COM A GENTE”.(GABRIEL O PENSADOR)