O secretário George Santoro, a principal cabeça técnica pensante do governo, garante que está sendo preparada “a maior concessão de saneamento do país, aqui em Alagoas”.

E os números são superlativos:

– O projeto elaborado em conjunto com o BNDES prevê um investimento de R$ 3 bilhões em trinta anos, período que vai durar a concessão. O mais importante, neste momento, é que nos primeiros seis anos serão investidos R$ 1,6 bilhão, pelas empresas vencedoras do leilão.

Objetivamente, o secretário Santoro afirma:

“A Casal não será privatizada. A geração de água é da empresa e continuará sendo, assim como a fiscalização dos serviços que serão alvo da concessão. Com exceção do interior, que não será envolvido na concessão”.

”A distribuição ficará a cargo das empresas que assumirem a concessão, já que a Casal não tem recursos para fazer esses investimentos”.

“A remuneração dessas empresas será feita através da tarifa paga pelo consumidor. O mais importante: a tarifa não será alterada, fica tudo como está”.

“Abriremos a consulta pública no próximo mês, para dirimir todas as dúvidas, dar transparência ao projeto e corrigir aquilo que não parecer o melhor caminho”.

“Se tudo caminhar bem, como esperamos, em abril ou maio o leilão será realizado”.

Laudo da CPRM sobre o Pinheiro será anexado ao relatório da CPI de Brumadinho
Sob pressão, Alfredo Gaspar descarta conversar sobre candidatura
  • Flávio

    Vamos melhorar a gestão (Meritocracia) dos serviços públicos e deixar os servidores trabalhar, pois, sem medo de errar, em todas as esferas, o melhor quadro está lá, concursados (ainda é a melhor forma de escolher os melhores). Privatizar certos serviços, que devem ser públicos, é um erro!!

  • Casaliano

    Existem muitas dúvidas a respeito! 1º) Primeiramente, não têm nada de Região Metropolitana de Maceió (RMM)! Região Metropolitana se refere a locais que fazem parte de um sistema coletivo! O que é que o abastecimento de água de Atalaia e Murici têm a ver com o sistema de abastecimento de água e o sistema de esgotamento sanitário de Maceió? 2º) Está se falando em concessão, então, isto quer dizer que a tal empresa que ganhar “o leilão” não vai ocupar o patrimônio (prédios em geral da CASAL? 3º) Está se falando que a distribuição da água ficará a cargo da empresa vencedora da licitação, e o esgotamento sanitário, como fica? 4º) E aí, entram outros componentes : Não é só a distribuição! Como é que ficam a operação e a manutenção daquilo que porventura for concedido? 5º) E o que vai funcionar da CASAL na Capital, após esse leilão? 6º) Como se sabe, a arrecadação da Capital é quem dar cobertura ao funcionamento (administrativo, técnico e operacional) dos Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário do Interior, visto que estes não se sustentam por si só! Será que o Interior vai conseguir se manter sozinho? E aí, quem vai bancar os custos com essa cobertura? 7º) Está se dizendo que a tarifa não será alterada, “fica tudo como está”! Será? Para o setor privado, o importante, primeiramente é o lucro! Infelizmente, a ÁGUA, a maior dádiva da Natureza, deixará de ser um BEM PÚBLICO tanto na Capital quanto no Interior!

  • Democracia ao PONTO: garçon + 1 cana, tira gosto SARDINHA péÓóRrrrr sem ELA!

    Adoro notícia BOA, caro Ricardo
    … de quem sabe o q faz, Renan Fo Administração Unb 1990’s.
    Sobretudo quando contada em BOM português
    … por jornalista diplomado UFAL 1980’s, geração de OURO!
    Me permita uma SÍNTESE caipirinha, com gelo picado e limão + soda, é soRda!
    > A Casal [GERAÇÃO Sã Francisca et caterva ] num será privatizada.
    – NEM a fiscalização dos serviços, NEM o interior. [G Santoro 17out19]
    > A DISTRIBUIÇÃO sim … ficará c’empresas: ampliação e manutenção ~30 ânu$
    – a CASAL num tem recursos pra cano d’água nem tubulação de esgoto.

  • Michelle Lins Teles Monteiro

    Estamos indo na contramão do mundo enquanto que no resto do mundo estão se restatizando o que um dia foi privado, pois a universalização não ocorreu nem vai ocorrer isto é discurso de privatista!!

  • JEu

    Para mim, tudo isso quer dizer o seguinte: a CASAL produz a água e vende para a empresa… lógico que a empresa distribuidora precisa de lucros, logo, tudo caminha para um aumento no valor da tarifa, mesmo que, agora, digam que não… e mais ainda, é só lembrar que o valor cobrado pelo esgoto sempre dobra o valor da conta do consumo da água… aí é que o povo vai pagar mais caro mesmo… então, como não têm coragem de privatizar a CASAL tão próximo às eleições (e estou falando da de 2022) então vêm com essa conversa fiada de que a tarifa será a mesma… pode até ser a mesma no valor de venda para a distribuidora… mas, no final, o povo vai pagar mais caro e a distribuidora ficará com a culpa pelo aumento no valor final da conta… coisas do mininim…

  • MARIA

    O SECRETÁRIO DO ESTADO NÃO FALA QUE A REGIÃO METROPOLITANA DE MACEIÓ ENTRA PARA A PRIVATIZAÇÃO,O GOVERNO DO ESTADO FICA COM AS VÍSCERAS PARA ADMINISTRAR,A CASAL SERÁ PRIVATIZADA SIM!GOSTARIA QUE O NOBRE JORNALISTA CONCEDESSE UMA ENTREVISTA A ALGUÉM DO FORO DE SANEAMENTO DO ESTADO DE ALAGOAS,O SECRETÁRIO DEIXOU DE FALAR QUE A ÁGUA A CASAL JÁ TEM,PORQUE O PROJETO NÃO É UMA PPP SÓ DO ESGOTO?
    TEM ABACAXI NESSE ANGÚ.

  • Adilio Faustini

    Não sou a favor da Privatização nem dos Cotreios, sou a favor de se criar uma Empresa Mista como a Sabesp em São Paulo que presta relevantes serviços públicos. A França tinha privatizado o serviço de Água e Esgoto de Paris, agora Estatizou novamente, os serviços , com a privatização pioraram e as tarifas subiram muito.Os Correios já está com os lucros passados para Empresas privadas, fecharam as principais Agências dos Correios que davam lucros e subsidiava os serviços do interior do Brasil e passaram para donos de ACFs, passaram o Filé Mignon, e ficaram com os ossos que geram pouco ou nada de Lucro.Se os Correios dão prejuizos por quê os fonos das ACFs não saem?

  • Carlos

    Com essas concessões todas e esse governador desnaturado tem medo de que Alagoas venha ser no futuro um Rio de Janeiro.

  • Fernando

    Eu tenho um terreno e resolvi construir, mas solicitei a ligação da água (primeira ligação) antes, uma semana depois solicitei a energia. Agora repare só, a energia a empresa ligou 2 dias depois, a água já faz 22 dias e nada. ´Essa é a diferença de empresa pública e empresa privada.