A decisão do juiz Alberto Jorge Correia de Barros Lima, anulando a escolha de Fernando Toledo para compor o pleno do TCE, tem seus méritos, sim, principalmente pela persistência do Ministério Público Estadual (leia-se Sérgio Jucá).

O problema é o tempo – para trás e para frente: a ação vai fazer cinco anos em dezembro – Toledo foi nomeado no último dia de 2014 e do segundo governo de Téo Vilela; os recursos, até que a decisão tenha trânsito em julgado, são quase que infinitos, a começar pelo Tribunal de Justiça, quando a matéria lá chegar.

A minha aposta, até porque há, sim, um jogo de poder nessa história, é que Toledo fique onde está e de onde tirará uma aposentadoria de fazer inveja a qualquer mortal que vive por essas bandas do território brasileiro.

Há um rico bastidor na escolha de Fernando Toledo para ser conselheiro do TCE, com o MP investindo na argumentação que vale não só para ele – não preenchia os requisitos da “idoneidade moral e conduta ilibada” – mas para várias personagens do poder local.

O magistrado, titular da 17ª Vara Cível da Capital, fez o seu trabalho, mas há de saber que o fim desse enredo já está escrito nas estrelas: a decisão tem prazo de validade (que já venceu).

A solução das soluções: a extinção dos TCEs (o daqui vai custar R$ 108 milhões em 2020 – sem contar as suplementações).

Por que Marcelo Beltrão não pode ser candidato a prefeito de Coruripe
Justiça já decidiu 4 vezes sobre prisão de vereador do Pilar foragido
  • Eduardo Lopes

    O cidadão que vai julgar a corrupção nos municípios alagoanos, não tem idoneidade moral e nem tampouco conduta ilibada, coisas de nosso Brasil.

  • Edson Leite Batista

    Enquanto isso o servidor público do poder executivo não terão reajuste nem este ano nem em 2020.

  • Há Lagoas

    Enfim, quem achou que a Monarquia era um velho repelente comido por piolhos, curve-se diante da República das Bananas e aceite o seu destino. Afinal, como diz a segunda estrofe do nosso hino nacional, existe sim uma certa casta deitada em berço esplendido, mais isto exclui você e eu, caro Ricardo.

  • Cidadão 2020

    UMA VERGONHA ESSE TCAL,HAJA VISTA,ESSES CONSELHEIROS DO TIPO DELE E A IRMÃ DE ANTÔNIO ALBUQUERQUE NINGUÉM MERECE.ESSAS PESSOAS SEM QUALIFICAÇÃO NENHUMA SEM CONTAR O ENVOLVIMENTO DIRETO OU INDIRETO NA OPERAÇÃO TARURANA. VCS ACHAM QUE ESSAS PESSOAS VÃO FISCALIZAR AS CONTAS DO ESTADO. TÁ DE BRINCADEIRA! KKKKKKKK KKKKKKKK KKKKKKKK!

  • Carlos

    Pois é, uma estado de direito para poucos o coronelismo da politica Alagoana tem os seus tentáculos nos três poderes. O estado pobres dos pobres o tribunal de contas é um insulto aos pobres mortais da terra do Marechais. Enquanto isso o desnaturado governador Renan Filho se coloca como inteligente e nega reajuste os servidores públicos para garantir recursos para poder Judiciário e Assembleia Legislativa (” puxadinho tribunal de contas). A cara de pau que doe na alma! A propaganda falsa do governador desnaturado diz com todas as palavras que tem concedido reajuste para os servidores públicos…

  • SEBASTIÃOIGUATEMYRCADENACORDEIRO

    ESTÁS PEGANDO A MINHA MANIA DE QUERER APOSTAR , REFORÇANDO AS SUAS POSIÇÕES , MATÉRIA !? FA CIÇO NÃO . . . FAÇA NÃO . . . OUTROSSIM , NINGUEM É DOIDO DE APOSTAR CONTRA O CRIMINOSO PODER PARALELO , QUE HÁ PRISCAS ERAS MANDA NESTE ESTADO , BEM MAIS CONSISTENTEMENTE DO QUE NO RESTANTE DESSA PORCARIA DE PAÍS . . . SE FOSSE PARA REALMENTE PUNIR O RÉU , TERIAM QUE DESMANCHAR TUDO QUE FOI OCORRIDO E CONSOLIDADO NO ÂMBITO DESTE ESTADO MELIANTE , DE ALGUMAS GERAÇÕES PARA CÁ . ALIÁS , COMO FOI BEM REALÇADO PELA SUA AMIGA , A COMBATIVA JORNALISTA MARIA APARECIDA , EM SUAS POSTAGENS , O MINISTÉRIO PÚBLICO E NADA É A MESMA COISA , O QUE SUPONHO SER UMA TRISTE REALIDADE , POIS NUNCA , “NA HISTÓRIA DESTE ESTADO” , KI-KI-KI—KI-KI-KI , TESTEMUNHEI UMA VITÓRIA DESSA TURMA DE ALMOFADINHAS ENFRONHADOS ANTE A BANDA PODRE DOS “PODERES CONSTITUÍDOS” NESTE ESTADO , ATÉ O DIA DE HOJE . . . PORTANTO . . .

  • Estudante

    Todos os Tribunais de Contas deveriam acabar, é apenas um resquício da nobreza monárquico-feudal que temos que sustentar. Não adianta ficar cortando verba da educação, saúde e infraestrutura. 110 mi nas áreas essenciais, mudaria o cenário do estado.

    • Carlos

      ESTUDANTE, O DESNATURADO GOVERNADOR RENAN FILHO,MANTEM ESSE CONCUBINATO COM TRIBUNAL DE CONTAS E CORTA DA EDUCAÇÃO,SAÚDE E INFRAESTRUTURA JUSTAMENTE PARA SE PROTEGER DE SUAS RABANADA POLITICA DO CORONELISMO POLITICO ! CADÊ QUE ELE CORTA VERBA DE PUBLICIDADE E CONCEDE UM REAJUSTE PARA SUAVIZAR AS PERDAS SALARIAIS DOS SERVIDORES. VAMOS SE UNIR E EM 2020, VOTAR PARA O SENADO NUM NOME NOVO E DERROTA-LO DA POLITICA ALAGOANA…

  • ALAGOANO REVOLTADO

    Para a população alagoana só resta uma simples atitude: Ficar sempre esperando que a corrupção jamais será extinta em nossa terra enquanto existir órgãos tipo Tribunal de Contas. Nada fazem a não ser reunirem-se para conversar besteiras. Nada produzem a não ser empreguismo desenfreado que nada produz para o nosso infeliz Estado. Órgão inútil e dispensável.

  • Cesar

    Foi a lembrancinha que Téo Vilela deixou para os alagoanos.

  • Carlos Ferro

    Enquanto isso servidores do executivo passando necessidade e humilhação.Até quando?

  • Alagoano trouxa

    Alagoas é o único estado onde ladrões taturanas fiscalizam as contas do estado e onde tem um imortal na academia alagoana de letras, quando o mesmo nunca escreveu uma receita de bolo sequer

  • Ted Costa.

    Acho que a solução é acabar com esse sistema de indicação política. Onde Já se viu o chefe do executivo federal indicar os ministros do STF?! ministros estes que o julgarão se o mesmo cometer crimes de responsabilidade, improbidade administrativa. Como pode o chefe do executivo estadual indicar os conselheiros do TCE, tribunal este que fiscalizará, juntamente com a Assembléia Legislativa, as contas do Estado?! Independência ou dependência dos três poderes?! Ministros do STF, STJ, conselheiros do Tribunal de Contas, federal e estadual, dentre tantos outros cargos, deveriam ser escolhidos através de concurso público, pessoas isentas e preparadas. Esse sistema de indicação política é a maior aberração existente em nosso ordenamento jurídico.

  • Kátia

    Uma das razões para o país estar envolto em uma crise em todas as suas instituições pode ser percebida nesse tipo de matéria jornalística:
    o jornalista jogando a população contra uma instituição, tomando a parte como o todo.
    Quem conhece os Tribunais de Contas Estaduais e mesmo o da União nunca pediria a sua extinção dos mesmos, porque sabe o papel fundamental que eles possuem no combate ao patrimonialismo, no fomento e exigência do bom uso do dinheiro público.
    O TCE do nosso estado não pode servir de referência como modelo de Corte de Contas porque não possui corpo técnico de trabalho, leia-se Auditores de Controle Externo. Para que ele possa exercer o seu papel fundamental para o estado seria necessário o concurso público para provimento daqueles que fazem inspeção, monitoramento, acompanhamento, observação, ou seja, o trabalho de auditoria que não existe por não existir servidor.
    Seria muito mais interessante fazer um bom uso do espaço jornalístico para falar sobre a necessidade de concurso público para que o TCE desempenhe o seu papel que fundamental e não seguir a moda de radicalismo e pedir a sua extinção que, inclusive, é um pedido que demonstra extrema ignorância sobre o papel das Cortes de Contas em uma democracia.

    Resposta
    Realmente, se todos os TCEs seguissem o modelo do Rio de Janeiro, a situação seria outra.

  • JEu

    Se a exigência realmente fosse “idoneidade moral e conduta ilibada”, então, quem poderia permanecer no TCE/AL?!!! tenho cá minhas dúvidas…

  • SF

    Caro Ricardo, essas sentenças só vem quando “DEUS” quer. Para mim, a coisa fica bem clara quando só os opositores são caçados, enquanto os amigos, com tantos defeitos quanto, sequer, cogitam sair. Para mim, com todos os defeitos, o único que tem moral para estar ali é o Anselmo, o resto não “merece”.

  • X9

    Não é nadica disso que vocês estão pensando. Essa caça a vagas no TC nada mais é que um poderoso muito apaixonado querendo a vaga para o seu boy, sendo que uma vaga já é do Olavo, aí Renan Filho tem que se virar nos 30 para arrumar 2 vagas no TC para não arrumar sérios problemas. Se eu fosse o Amélio ou o Toledo já tinha queimado o boy que é mais sujo que pau de galinheiro, pq já tinha acabado essa caça as vagas.

  • jadson

    DESDE QUANDO FALARAM QUE ESSE CARA IA FISCALIZAR O DINHEIRO QUE ELE DESVIOU,ME PERGUNTEI QUE INJUSTIÇA É ESSA?ONDE O CARA ROUBA A ASSEMBLÉIA COM FUNCIONÁRIOS FANTASMAS E AINDA GANHA O PRESENTE DE FISCALIZAR QUEM O AJUDOU A ROUBAR SEUS PARCEIROS DE ASSEMBLÉIA E O EX-PIOR DESGOVERNO DE ALAGOAS UM TAL DE teotonio.

  • Katia

    Quer usar só os exemplos negativos de TCEs? Use, temos alguns. O TCE do RJ já tá passando por uma limpa, quase todos os conselheiros foram afastados. Lá tem corpo técnico competente e vai abrir outro concurso em breve para auditores.
    Mas temos muitos positivos. Fale do TCE-PE, nosso vizinho que é referência em controle de externo, fale do TCU e da sua contribuição bilionária para os cofres públicos, fale do TCM-BA que já foi premiado pelo controle dos recursos provenientes de convênios internacionais…
    É fácil entrar na moda e querer desestabilizar as instituições como todos de mente média para baixo estão fazendo.
    Difícil é lutar para o fortalecimento delas nesses tempos.