Pela terceira vez seguida, Renan Filho não compareceu à reunião dos governadores do Nordeste, que aconteceu ontem em Natal.

Pior: nem o vice Luciano Barbosa se fez presente e ninguém – de acordo com o noticiário da capital do Rio Grande do Norte – representou o estado de Alagoas.

Como RF também não foi ao desfile de 16 de setembro, qual seria a justificativa?

Supostamente, seria o aniversário do senador Renan pai, que também foi ontem.

Mesmo sem ele – e sem Camilo Santana, do Ceará, que mandou sua vice -, os governadores do Nordeste elaboraram um novo documento em defesa dos estados da Região.

Eis, abaixo, a Carta de Natal:

Reunidos em Natal-RN, os governadores dos estados do Nordeste brasileiro, no âmbito do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste, expõem, nesta carta, o que segue:

  1. Os governadores do Nordeste manifestam sua profunda preocupação com os atuais sinais de drástica redução da presença da Petrobrás na região, tendo em vista o alto impacto da estatal na geração de emprego e renda, no desenvolvimento regional, cultural e socioambiental de nossas sub-regiões e cidades. Manifestam, assim, sua disposição em dialogar na busca de alternativas que garantam a manutenção e expansão das atividades da Petrobrás em nossos estados.
  2. Em face das discussões avançadas acerca da Reforma Tributária, que pode promover mudanças profundas no desenho do federalismo brasileiro, entendemos que se deve dar a maior efetividade possível ao objetivo fundamental contido na Constituição Federal de 1988 de reduzir as desigualdades sociais e regionais. Assim sendo, os Governadores do Nordeste reconhecem a oportunidade de partir para uma base ampla de tributação, com a simplificação na tributação sobre o consumo, razão porque apoia a racionalização desse segmento no aprimoramento técnico contido na proposta construída pelos Secretários de Fazenda dos Estados no COMSEFAZ.
  3. Acreditamos que temos, diante de nós, uma oportunidade histórica de avançar. Para isso, é necessário reformar a regressividade de nosso sistema tributário, instituindo a tributação progressiva sobre renda e patrimônio dos modelos praticados pelas economias mais desenvolvidas, fortalecer os Fundos Regionais, bem como preservar os mecanismos de financiamento do Estado Social de 1988, tal qual prevê o projeto de Reforma Tributária Sustentável, Justa e Solidária, de forma a redistribuir renda para fomentar a demanda interna, requisito para o crescimento econômico e justiça fiscal.
  4. Defendemos a tramitação célere da PEC 15/2015, que tornar o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb instrumento permanente de financiamento da educação básica pública, ação que visa garantir e reforçar o investimento na rede se ensino e na formação dos jovens brasileiros, garantindo uma educação forte e com menos desigualdade de recursos entre os entes federados.
  5. Destacamos a importância que as Universidades Públicas têm no desenvolvimento do país e de nossa região. Para tanto, se faz necessário garantir recursos e investimentos na formação de profissionais e professos capazes de atender às demandas do mercado de trabalho, por meio da produção de conhecimento, com liberdade de expressão e autonomia universitária.
  6. Manifestamos preocupação com os possíveis impactos da decisão do Governo Federal em elevar a cota de importação de etanol não tributada dos EUA, sem nenhuma contra partida direta, e as suas possíveis consequências para os produtores nacionais, em especial aos do Nordeste.

 

Embates na Assembleia evidenciam disputa territorial entre AA e Jó Pereira
Orçamento de 2020 traz reajuste de 3,7% para TJ, MP, TC e Assembleia - servidores estão fora
  • Maricota

    Renan Filho tinha tudo para ser um grande governador, talvez, o melhor que já tivemos, mas insiste em esquerdar.
    Tem do seu lado um liberal( Santoro) seu governo é repleto de liberais no comando.
    Talvez, quem sabe, ele esteja abrindo a cabeça e vendo que a esquerdalha é fim de linha.
    Um cara novo, cheio de boas ideias, mas fica dando murro em ponto de faca.
    Pula essa barca furada, Renan Filho, enquanto há tempo.

  • INDIGNADO

    Ele tá ligando pra p…. nenhuma, ele acha que pode tudo, cuidado na eleição para senador ele receba a mesma vaia que recebeu em Mar Vermelho( ser derotado), essa clã tem que deixar nosso estado, tá acabando com tudo.

  • Williams Roger

    O Calígula ta queimado com Bolsonaro.
    E a preocupação dele é com Collor!

  • JEu

    Mais uma vez o governador mininim demonstra seu “tamanho” na política nacional… e para quem já teve a ousadia de pensar em candidatura maior (falou-se até em ser candidato à presidência da República), pode, no momento, estar cavando a cova de sua carreira politiqueira… e, mais uma vez, seu comportamento reafirma o caráter do clã dos Calheiros: sempre ficar em cima do muro, esperando para ver para qual lado deverá “pular” quando as coisas se definirem… agora, de uma coisa tenho certeza: odeia o funcionário público do Executivo… já que para os demais poderes garante o “apoio total”… 2020 e 2022 vão chegar e vamos dar a resposta merecida nas eleições…

  • Maria

    O nosso governador precisa entender que a única ideologia necessária é a da honestidade e respeito para com o povo. Primeiro precisa aprender o que é servir para depois pensar em querer ser rei.

  • E O GOVERNO FICOU A CARA DO GOVERNADOR!

    E O GOVERNO FICOU A CARA DO GOVERNADOR!
    O segundo mandato do Governador Minimi ficou igual ao próprio Renan Filho.
    Explico: Tanto o segundo mandato quanto o governador parecem novos, porém, não são, só aparentam juventude, contundo, ambos são idosos, com práticas antigas, tão velhas quanto andar para frente, todas aprendidas com o mestre em artes não republicanas: o famigerado Renan Calheiros, vulgo Rei do Gado das Alagoas!
    Uma pena, mais uma vez Alagoas perdeu a oportunidade de escolher um bom governante!

  • ALGUÉM SABE INFORMAR?

    ALGUÉM SABE INFORMAR?
    Algum dos leitores desse prestigiado blog sabe informar quando o segundo mandato do Minimi vai começar?
    Já estamos em setembro, quase 01 (um) ano após a eleição e ainda o governador filho do rei do gado não disse a que veio.
    E o povo de Alagoas, que reelegeu o Minimi com 80% dos votos válidos, nada viu que justifique tal aclamação em outubro passado.
    Pobre Alagoas, será que um dia iremos apreender a votar?

  • A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR!

    A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR!
    “Um homem não é obrigado a prometer, mas é obrigado a cumprir. ”
    E a pergunta que não quer calar: E um menino é obrigado a cumprir o prometido?
    Qual a palavra, o Minimi!

  • MINIMI AFOGADO EM UM MAR….

    MINIMI AFOGADO EM UM MAR….
    O Governador Minimi está afogado em um mar de arrogância, que parece ser uma característica inata dos Calheiros, e acha que tem poder absoluto no Estado de Alagoas e patina sem conseguir colocar a máquina pública estadual para andar, mesmo ocupando tal cargo há mais de 04 anos.

  • Pobre Alagoas!

    POBRE ALAGOAS!
    Se os Calheiros fizerem com Alagoas o que fizeram por Murici, nós estamos perdidos e mal pagos!
    Depois de 50 anos de domínio do Clã Calheiros a cidade de Murici continua a ser o que sempre foi, a “mais pobre entre os pobres”, ou seja, um dos mais miseráveis municípios alagoanos, enquanto a família do Reinzinho ficou milionária.

  • Eita Estado sem sorte!

    Minimi faltou a terceira reunião seguida dos Governadores do Nordeste?J

    á pode pedir música no Fantástico.

    Minha sugestão: Ô coisinha tão bonitinha do pai, da saudosa Beth Carvalho.
    Ô coisinha do pai, é
    Ô coisinha tão bonitinha do pai
    Ô coisinha tão bonitinha do pai
    Ô coisinha tão bonitinha do pai…