Gustavo Santos é o mais velho, na idade, dos procuradores do Ministério Público de Contas e já chegou a enfrentar o conselheiro Anselmo Brito, numa discussão sobre mordomias no TC.

Assumindo agora a chefia do MP de Contas, Santos tenta provar que a instituição ainda existe de fato, está viva e tem autoridade para exercer as suas funções constitucionais (?).

Ao inquirir a confusa secretária de Esportes, Cláudia Petuba, sobre repasses a CSA e CRB, além de cobrar explicações sobre a devolução – pela pasta – de mais de R$ 2,5 milhões ao governo federal, Santos busca reacender, talvez tardiamente, a esperança que o MPC já inspirou, quando ele e os demais procuradores de agora tomaram posse em seus cargos.

Fato concreto é que eles foram engolidos pelas facilidades. E foi exatamente na gestão do hábil conselheiro Cícero Amélio, afastado das suas funções, que eles ganharam os “benefícios” da lei, o que até hoje não ficou bem claro.

Evidentemente, Petuba deve responder às inquirições feitas formalmente pelo chefe do MP de Contas. Mas se não fizer, concretamente, o resultado será nada.

Uma palavra define o que está posto entre as partes (governo e TC): patrimonialismo, algo tão antigo quanto o Brasil.

Dois tucanos se bicam na disputa para ser candidato a prefeito
Procuradora da Lava-Jato mostra que concurso público não mede caráter de ninguém
  • JEu

    Patrimonialismo e fisiologismo, eis as duas fontes dos “privilégios e facilidades” para os mais “abastados” do serviço público… e tudo com as bençãos da politicagem… eis o grande “mistério” de toda a corrupção no país… ganância, vaidades e desrespeito ao bem do povo e ao erário público… eis o resultado…

  • Carlos

    Hummmmm, que coisa o TC, independente que não se curva a nada há não ser a constituição se cuida secretaria se estiver errada vai pegar prisão perpetua. O TC, de Alagoas é um exemplo não só para o Brasil o mundo deve está na expectativa da decisão ilibada ….

  • Pobre Alagoas!

    Alguém, por favor, explique-me como essa Senhora Petuba consegue se manter como Secretária por mais de 05 anos?

    É o retrato do desgoverno Minimi!

  • Não faz nada!

    O TC e a ALE são as terras mais improdutivas de Alagoas, nada fazendo em benefício do sofrido Estado, muito pelo contrário, ambos sãos os maiores sumidouros do dinheiro público!

  • ALAGOANO REVOLTADO

    Sr. Carlos: O Tribunal de Contas não é um órgão independente, visto que é um órgão AUXILIAR da Assembléia Legislativa e das Câmaras de Vereadores. Não tem poder para JULGAR, apenas emite um parecer opinativo sobre as contas dos aludidos órgãos. Por outro lado, o MP de Contas é subordinado aos conselheiros, apesar de terem sido submetidos a um correto concurso. Nada podem fazer porque são subordinados aos que ali estão graças aos conchavos políticos e ao parentesco com ex-Governadores.

  • flexaldecima

    Enquanto o estado perde 02 milhões e meio, que foram devolvidos ao governo federal a CEEL de BRBEDOURO, o antigo parque da lagoa, está abandonado, só funciona a piscina e o campo socyete, o resto é só MATO cobrindo tudo, descaso com o nosso dinheiro.

  • José Márcio Ribeiro

    Pelo amor de Deus! Vivo?! O MP? Nunca deram um piu sobre a farra de adiantamentos nas Secretarias de Estado!

  • Lagar dos Tempos

    Senhor Jornalista,
    O MP de Contas sempre esteve vivo. Tem ofertado excelentes pareceres em contas de ex-governadores. Conta com um quadro de excelência. Está de parabéns pela iniciativa anunciada. Mas deveria avançar para analisar os INCENTIVOS FISCAIS concedidos, nos famosos acordos, a determinadas segmentos que sugam com voracidade incomum o sangue de um Estado anêmico, o de Alagoas. Parabéns ao MP de Contas, que tem na sua Procuradoria Geral o competente Dr. Gustavo Santos, não poderia deixar de fazer referência ao Dr. Rafael Alcântara. MPC na Sefaz já, a sociedade caicoense irá aplaudi-lo de pé. E as usinas como andam?