No final de semana passado, em um evento de entretenimento em Mar Vermelho, a prefeita Juliana Almeida – com boa intenção, acredito – expôs o governador Renan Filho a um vexame.

Agradecendo a presença de Filho na cidade, a prefeita se referiu a ele como “o futuro presidente da República”. Podia ter evitado, mas foi motivada talvez pela emoção do momento.

Ainda que as vaias não tenham sido retumbantes, elas vieram da plateia, e a “informação” se espalhou pelos meios próprios desses tempos.

O problema é que o entorno do governador – as figuras menores, que fique claro – vive a replicar esse sonho de Filho. Que tem todo o direito de sonhar, mas a prudência aponta que ele deve acalentá-lo em silêncio.

A vaidade é própria dos homens, e todos nós a carregamos – mais ou menos. Portanto, a desconfiança deve ser um instrumento permanente a serviço de quem busca o poder e a glória sem se apequenar diante dos elogios e/ou da bajulação. Sua voz de autoridade pode fazer com que a turma do oba-oba pare de fazer coro a bobagens.

O problema é quando isso descamba para o ridículo.

Lembrando que ele já havia caído na mesma armadilha, no primeiro mandato, quando alguns dos seus “assessores” disseram que ele havia baixado o preço da gasolina em Alagoas. Ele acreditou e gravou um depoimento risível nas redes sociais. Continuou a se alimentar com palavras doces.

Se Renan Filho ouvir mais os que têm cabelos brancos – ou nem cabelos têm – ao seu redor, pode evitar novos vexames, além das reações infantilmente iracundas quando contestado.

Neurônios e couro grosso são uma ótima composição.

O sonho, que seja sonhado. É de graça e não gasta o dinheiro público.

Veja a votação dos deputados de Alagoas na disputa pelo Prêmio Congresso em Foco
O Estádio Rei Pelé a lição de sabedoria do arquiteto de Brasília
  • Carlos

    É difícil é ele que alimenta esse objetivo e os puxadores de sacos sabe que a ambição não tem limites e cega a todos quando tem o diário oficial não é uma máquina de fazer imbecilidade!

  • Eduardo Lopes

    Vai ser presidente da escola de samba Unidos do Poço!

  • JEu

    Eu acho mesmo é que o sonho de ser senador já deve começar a ser esquecido, quanto mais o de ser presidente do país… tome muito cuidado, pois pode acontecer de entrar pelo mesmo caminho do Ciço do lixo… não se elege mais nem para síndico de condomínio… porém ainda tem algum tempo a seu favor e pode tentar algo melhorar sua imagem, começando por descer do pedestal e vestir a túnica da humildade… deixar a arrogância típica da família e começar a entender que ninguém é melhor do que ninguém, pois todos merecem respeito e consideração (só não pode é entender que isso significa atender a todas requisições de politiqueiros famintos por verbas públicas…); é lembrar que os funcionários públicos têm família para cuidar e pagar o IPCA do ano passado e assim por diante… é, como dito no texto, evitar os bajuladores da hora, demonstrando que não mais se interessa por elogios de momento… é cuidar do povo alagoano, buscando melhorar a saúde, a educação e as condições de geração de emprego e renda, atraindo (de verdade, não essas estórias da China…) investimentos que movimentem a economia local… agora, se não for capaz de fazer isso, então o caminho será se unir ao pai e começar a planejar o ostracismo que virá, com certeza…

    • arapiraquensee

      JEu, concordo plenamente com seu texto.
      E Renan Filho precisa entender que os servidores públicos EFETIVOS (concursados) são os legítimos funcionários do Estado.
      Então, qual a razão desse desprezo? Por que beneficiar alguns (policiais, por exemplo) e outros não?
      Ah, e não venha com a conversa de que eles arriscam a vida para enfrentar bandidos. Afinal, o policial sabe muito bem desse risco antes de entrar no quadro militar. Ele não é obrigado a fazer concurso para ser policial.
      É mais do que justo tratar as demais classes com igualdade. Afinal, todos teem as mesmas necessidades financeiras para cumprir: alimentação, vestuário, contas de luz, água, telefone, etc.

    • Carlos

      Excelente comentário JEu,
      O que ocorre é que o jovem governador se acha acima de bom de do mal e se alimenta de uma turma de forasteiro do eixo Rio De Janeiro e Brasilia,que o servidor público e idosos não tem valor nenhum e isto ele mostrou todo seu desprezo quando se referiu ao jornalista a Gazeta por ter poucos cabelos e brancos. Em relação aos servidores públicos ele tem pesquisa que além de estarem desmobilizados não tem força para desequilibrar uma candidatura majoritária e então deve ser tratado com desdém. O senador Fernando Collor é o seu ídolo que massacrou o servidor e se deu bem. Tratava às polícias militar e civil com reajuste e deixava os servidores de fora. Já poder Judiciário e Legislativo é tratado com “Mel e Broa” Renan Filho X Collor, como são parecidos.

  • Sebastião Mendes

    A alusão “aos que nem cabelo tem” se chama Enio Lins rsrsrsrs

  • breno

    Acreditar que esse governador será presidente é o mesmo que acreditar no saci, na mula sem cabeça e na chapeuzinho vermelho.

  • Há Lagoas

    Os bajuladores – talvez a pior especie de ser humano – que cega aquele que por ele é cercado, pois as inverdades proferidas por esse tipo de criatura é como o próprio “canto da sereia”. Renan – o filho – já deve ter caído neste feitiço, e dificilmente acordará para a realidade dos fatos.
    “Um verdadeiro líder é aquele que está vacinado contra o bajulador, esse vírus letal que só destrói a boa e digna convivência humana. Quem escuta e não consegue separar a lisonja da verdade, termina sendo tão pobre quanto o próprio bajulador”.
    Onaldo Queiroga

  • Rotary

    Não é possível que a quantidade de eleitores despreparados seja tão grande à ponto de eleger este senhor.

  • Maria

    O estado é responsável e instrumento para a redução das desigualdades sociais,de políticas públicas que diminuam as desigualdades regionais e o que vemos no nosso estado é o inverso. Presidente!? Rsrsrsrs

  • É impossível!

    Renan Filho evitar o ridículo é tão difícil quanto um porco livrar-se da gordura! Isto é, impossível.

  • Isaura Pádua Campos

    Nas duas vezes que estive num evento em que o governador estava presente fique com a impressão de que estava diante de um gênio, com resposta pra tudo, entendedor de todos os assuntos, sem necessidade e humildade de ouvir ninguém. No episódio com o jornalista Arnaldo Ferreira observei uma outra característica no governador: a ARROGÂNCIA e covardia, próprias de pessoas mimadas que não aceitam ser questionadas, mesmo sabendo que um cargo político é suscetível de permanentes questionamentos e cobranças. Lembrando do ataque covarde do Senador Renan contra a jornalista Dora Krammer, não foi nenhuma surpresa para mim a postura do filho. Imaginem uma pessoa com esse perfil sendo presidente. Estaríamos fritos.

    • Carlos

      Exatamente Isaura de Pádua,
      É um programa de computador e tem mais todos os discursos usa o pronome na primeira pessoa eu fiz, eu faço… Ainda que o povo já começou a perceber que estamos sendo governado por uma máquina e máquinas não tem sentimentos.

  • Márcio

    Acreditar que este Governador será Presidente algum dia é o mesmo que sonhar com Freddy Krugger acordado, impossível. A guerra instalada com o estopim do jornalista achincalhado pelo próprio dias atrás, traz de volta a guerra entre as famílias que sempre se revezaram no poder desse pobre Estado, A única diferença agora é que um não poderá se reeleger novamente e o outro está sem chão de $$. Logo, cairá em cima de quem a nobre missão de tocar o barco chamado Alagoas?
    Aguardemos!

  • Daniel Souza

    Com os meios atuais de comunicação, certamente não se repetirá o efeito “Collor” no país. E com esse sobrenome atrelado, dificilmente o atual governador emplaque alguma coisa fora de Alagoas.

  • Ze indignado

    Será que o governador Renan Filho, quando vai dormir diz estou com a consciência tranquila e mereço um sono reparador. Olha a frieza que ele tratas milhares de servidores públicos como estes não tivessem famílias e contas a pagar e o silêncio ensurdecedor em relação ao reajuste, deixando de fora como se nada fosse afetar a vida dessas pessoas e só a reajustar das policias civil e militar. É bom lembrar para os poderes Legislativa e Judiciário nunca deixou de reajustar os duodécimos acima dos indicie do IPCA…. Porque o tratamento diferenciado onde um governador tem por obrigação tratar os iguais…

  • Silva

    Pode armar palanques,mas o problema é a falta de credibilidade. Não adianta “belos” discursos… E como acreditar em “porta voz” do atraso? A população já vive acuada,perplexa e indefesa e certamente não precisa de um representante na presidência com as tais qualidades. Qualquer coisa só avança com a nossa participação e apesar de cansados, não estamos condenados a viver nessas condições por mais tempo, muito menos um pais inteiro.

  • Marcio Lins

    Renan Filho é alguém muito preparado. Apesar de ser filho de quem é ele tem estrela própria. Como governador é também um técnico. O que não gosto no caso dele e de tantos outros políticos é a questão de alianças para lotear as secretarias de estado para assim ter governabilidade. Lembro que ele nomeou como secretário do trabalho um rapaz sem formação superior e que nunca trabalhou na vida, apenas por ser filho de que é.
    Eu penso que um Renan Filho, independente, seria a solução ideal. Pena que é algo meio utópico. Só o bolsonaro faz isso, a duras penas.