Ao mudar quatro dos sete integrantes da Comissão de Mortos e Desaparecidos na ditadura militar, o presidente Jair Bolsonaro dá mais um passo na sua vingança pessoal contra o presidente da AOB Nacional, Felipe Santa Cruz.

Entre os expurgados está a presidente da Comissão da Verdade – como ficou conhecida -, Eugênia Augusta Fávero.

Não conheço os novos integrantes, mas tenho dúvidas – justificadas – se eles não tentarão trazer a versão presidencial sobre os acontecimentos, que não são motivo de orgulho para os brasileiros, mas que precisávamos conhecer para a vida seguir em frente.

Não há revisionismo possível sobre o tema, a não que o próprio presidente, como insinuou saber no caso envolvendo o pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, faça o seu relato com dados, datas, e testemunhos que vão além da falácia.

Mudar a Comissão da Verdade não altera a história.

A não ser que o presidente responda as perguntas formuladas na interpelação, no STF, assinada por Felipe Santa Cruz e mais doze ex-presidentes da OAB Nacional.

Ei-las, abaixo:

Diante de todo o exposto, o Requerente pleiteia a notificação do Requerido para apresentar, querendo, as seguintes explicações:

a) se efetivamente tem conhecimento das circunstâncias, dos locais, dos fatos e dos nomes das pessoas que causaram o desaparecimento forçado e assassinato do Sr. Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira;

b) em caso positivo, quais informações o Requerido detém, como as obteve e como as comprova;

c) se sabe e pode nominar os autores do crime e onde está o corpo do Sr. Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira;

d) ainda, em caso afirmativo, a razão por não ter denunciado ou mandado apurar a conduta criminosa revelada; e

e) se afirmou aos órgãos de comunicação social e aos sites referidos no preâmbulo deste petitório que o falecido Sr. Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira teria sido assassinado não por militares, mas por seus companheiros de ideias libertárias (Ação Popular).

Aliados de Rui esperam que Lessa integre equipe da prefeitura de Maceió
O FECOEP virou a "Casa da Mãe Joana" dos cofres estaduais
  • Alagoano sem esperança

    Já percebeu que o “mico” participa de alguns eventos com a faixa presidencial? Essa atitude era comum no regime militar, qualquer semelhança é mera coincidência.

  • Williams Roger

    Em parte bolsonaro ta certo.
    No caso da “comissão da verdade”. Essa última, não tem moral pra nada. Aceitou a lei de “anistia”. E familiares ganharam indenizações em dinheiro e até aposentadorias especiais. Inclusive Lula.
    Apesar de tudo, há sim solidariedade para com os familiares dos perseguidos e desaparecidos na época da ditadura, mas não podem reclamar muito.
    No chile e em outros países fora diferente. Ditadores foram pra cadeia. Foram condenados.
    Já aqui no Brasil, por dinheiro $$$, teve “anistia” dos dois lados!!!!
    Bolsonaro erra em parte. Por não pesquisar, se informar, e ver os dois lados, antes de falar bobagens.

  • Há Lagoas

    Respeito aos mortos é algo essencial em uma cultura – dita – civilizada.
    Arcar com o ônus de nossas escolhas é tão essencial quanto.
    Sempre falo com meu filho: “se vale a pena ser, não chore depois por ter sido”.
    O pai do presidente da OAB sabia dos riscos que corria, assim como a sociedade sabe que torturar e matar em nome do Estado é assassinato. Vejo a OAB como uma instituição decrepita envolta em seus próprios interesses – lobby – tão pouco defendo o atual presidente desta instituição e seus devaneios ideológicos, mas Bolsonaro erra ao ferir a honra de um filho enlutado.

  • Zé MCZ

    “Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff….”
    Quando eu ouvi isso dessa pessoa inominável, fiquei estarrecido. Se a gente se colocar no lugar da presidente Dilma, no pior dia do mandato e ainda ouvir algo que dilacerou a alma…
    Agora sobre o pai do presidente da OAB! Olha! Em pequenas doses ele revelando os podres, que é bem possível ter participado das atrocidades.
    ADVOGADOS!
    UNI-VOS!
    A entidade(OAB) que foi preponderante no impeachment, agora está sendo totalmente passiva com as catástrofes no judiciário, desde há muito com o STF do Gilmar e agora com o juiz analfabeto, teleguiado pelos estadunidenses (ele e o posto Ipiranga) e para completar o circo o desastroso ocupante do cargo máximo do executivo mostrando as unhas e dentes.

  • Zé MCZ

    Completando:
    Impeachment do Collor

  • Hélio

    ” Se o presidente da OAB quiser saber o que aconteceu com o pai dele eu conto”

    Mas se os filhos de Bolsonaro quiserem saber quem mandou matar o pai deles e quem paga os advogados a OAB não deixa!
    Ordem dos Advogados Bolivarianos, isso sim!

  • Eduardo Lopes

    Bolsonaro está correto em mudar essa comissão, o presidente eleito tem essa prerrogativa!
    O choro é livre.

  • Alagoano sem esperança

    Alô, gado!
    Nem todo mundo que não simpatiza com o “capetão” é defensor do luladrão!
    Esse povo é doente!!!

  • JEu

    E continua o besteirol: o presidente falou isso, falou aquilo, e isso não é verdade, aquilo não foi mentira… etc, etc… e o país, de um jeito ou de outro está mudando para melhor… ao que parece, logo, logo, vamos ver alguma ação para que a malha ferroviária vai ser ampliada e tudo começará a melhorar para que a produção nacional de commodities seja aumentada e aperfeiçoada, gerando impostos, emprego e renda. Algumas estradas federais que nunca foram asfaltadas, que atingem tanto o centro-oeste quanto o norte do país, estão sendo agora cuidadas, recuperadas e, finalmente, sendo finalizadas, com o auxílio da engenharia do exército, com custos bem mais baixos, o que beneficiará as populações e os produtores daquelas regiões, e também gerará mais emprego e renda e ninguém fala sobre isso (já sei, não interessa o lado positivo do governo…). Podem continuar a chorar, reclamar, espernear, mais o Bolsonaro vai cumprir seus quatro anos de governo, porque o povo assim o deseja… e vai continuar sendo a mesma pessoa: não leva desaforo para casa… e, como um dia afirmou Zagallo, pode-se dizer: vão ter que engolir o Mito…

    • Hélio

      É um bom sinal…se criticam é porque muita coisa está dando certo…se falassem bem estranharia!

  • Luiz

    Caro Ricardo.
    Como é sabido de todos, essa Comissão da Verdade era um puxadinho dos partidos de esquerda – diga- se PT – o Presidente Bolsonaro tem toda razão de extirpar esse câncer que necrosou o país com roubos e furtos aos cofres públicos. Tem que afastar todo aquele que da forma direta e indireta foram cúmplices nos governos de Lula e Dilma.
    Esse choro e mimimi vai perdurar até 2022, sabe por que? Porque muita gente perdeu a boquinha de dinheiro fácil. Chora menino… Chora menino…. o choro é livre!!!

  • Lucas Farias

    Prezado Ricardo, há consequências concretas nas palavras e ações de Bolsonaro enquanto presidente da República. Quem está ideologicamente alinhado ou simplesmente apaixonado pela truculência e ignorância de nossa maior autoridade política confunde dirigir um país com gerir uma birosca (respeitados os bons botecos dignos de nome). Bolsonaro e seu triunvirato familiar não sabem conviver numa democracia. Não respeitam instituições, ignoram responsabilidades legais, atacam críticos e opositores. Diante de qualquer crítica, por mais racional e propositiva que seja, a reação é a mesma: verborrágica, impregnada de ódio e estupidez. Não há tolerância para o divergente, não se admite o contraditório, não há espaço para a reflexão, debate, nada. Bolsonaro vê seu governo pelo maniqueísmo do bem contra o mal. Para ele, ou há adesão absoluta e concordância com tudo o que propõe, ou há combate a infiéis. Sua lógica é a de tudo ou nada, sem meios termos. Pelo seu histórico de defesa do golpe militar e da ditadura que se seguiu, seu lema de governo é “ame-o ou deixe-o”. Como seu governo não tolera a imprensa livre e crítica (boa parte da qual o apoiou, por sinal), que informa sobre seus escândalos e fatos comprometedores, reage com intimidações e censura. Por não admitir partidos e políticos de oposição, ameaça-os com retaliações do governo federal sobre seus estados e municípios, prejudicando a população que não se alinhou a seu projeto de poder. Temeroso do pensamento crítico e da liberdade de ensino e pesquisa existentes nas universidades públicas e nos institutos federais, resolve sufocá-los com estrangulamento financeiro e privatizações. Até mesmo quando interpelado por seus atos irresponsáveis pelas outras instituições de Estado típicas de uma democracia, como o Congresso ou o STF, atiça seus seguidores que exigem a extinção de órgãos de controle e fiscalização, expurgos, linchamentos físicos e virtuais. Seu governo estimula a divisão, o ódio, o ressentimento, o preconceito, o justiçamento com as próprias mãos. E seus efeitos nefastos para o país são evidentes. Quem não liga para o clima de intolerância que se alastra pelo Brasil e se encanta pela cruzada falso moralista do presidente, deveria ao menos se preocupar com a situação socioeconômica do país. O IBGE registrou uma queda de 5,9% na produção industrial brasileira em comparação ao ano passado. Cresceu o número de subempregos e empregos precários, causando um recorde de 25 milhões de pessoas em situação de subutilização (trabalhos sazonais, de pouca duração e sem estabilidade), reflexo direto da reforma trabalhista, que forçou a troca de empregos estáveis por bicos de jornada flexível. Em razão disso, caiu a renda média mensal do trabalhador, que atingiu o pior patamar em 8 meses, ou seja, o poder de compra do trabalho assalariado tem caído drasticamente. Para piorar, Bolsonaro ameaça nossas relações internacionais com a União Europeia, ao esnobar o chanceler francês desmarcando uma reunião para cortar o cabelo e declarar que o acordo recém firmado possui “armadilhas” que podem atrapalhar seu projeto de submeter o Brasil ao papel de colônia dos EUA. E a tendência é que piore bastante antes de começar a melhorar. Abraço.

  • Josué

    Concordo com o presidente em mudar a comissão, porque faz parte dos seus deveres e obrigações legais. Será que essa comissão que teve seus 7 membros indicados por Dilma, realmente indicou a verdade em seus relatórios, sem interferências políticas? Será que agora com 4 membros indicados por um e 3 indicados por outro não fará um trabalho mais justo? Se agora a comissão não presta imagino como era antes.

  • santos

    Concordo com o Alagoano sem esperança.

  • Fernando Lima

    É muito mimimi, o Governo agora é de direita, votei nele para tirar esses comunistas do poder, 100% Bolsonaro, ele é presidente, ponto final.

  • Thiago Aragão

    Novamente um ótimo artigo jornalista Ricardo, infelizmente alguns distorcem as informações, ou por acreditar em fontes não confiáveis, ou por mau caratismo mesmo.
    O Senhor continua à reforçar sua grande competência como jornalista e cidadão Alagoano.

  • Júlio

    Será que a verdade revelada pela comissão foi real ?

  • Fernando

    Então Sr Ricardo Motta, a história do faz sentido e é verdadeira se contada sob a narrativa de que os mocinhos eram as esquerda e os bandidos as forças do estado? Cuidado, as fontes de informaçōes não são mais apenas as convencionais. A descentralização da informação pela mídias digitais foram responsáveis por uma quebra de paradigma filosófico e o Bolsonaro a resultado da real decisão democrática.

  • Adilio Faustini

    O Governo Nolsonaro esta6se saindo melhor do que a encomenda e isdo irrita a Esquerda Escarlate Bolivariana Atrasada.

  • Ander Alex

    “Quem controla o passado controla o futuro. Quem controla o presente controla o passado” – George Orwell (Mil Novecentos e Oitenta e Quatro). Qualquer coincidência é total semalhança.