O juiz Ivan Brito, que está respondendo pela 2ª Vara Cível da Capital, determinou a liberação de R$ 15 milhões da Braskem para o pagamento do aluguel social dos moradores do bairro do Mutange.

Duas mil e quinhentas famílias receberão o aluguel social no valor de R$ 1.000,00/cada, durante seis meses.

O magistrado atendeu ao pedido apresentado pela Defensoria Pública e pelo MPE, com base em posição apresentada pela prefeitura de Maceió (de incapacidade de bancar a nova despesa).

Os recursos virão dos R$ 100 milhões bloqueados ainda em abril, pelo juiz Pedro Ivens – titular da 2ª Vara -, em ACP impetrada pelas duas instituições.

A prefeitura de Maceió, por óbvio, vai assumir uma responsabilidade processual, mas disporá dos recursos o mais rapidamente possível.

Nota Braskem 

A Braskem tomou conhecimento, nesta terça-feira (23/07), da decisão do Juízo da 2ª Vara Cível da Comarca de Maceió/AL, deferindo a liberação de R$ 15 milhões de valor bloqueado das contas da empresa. A área jurídica está avaliando a determinação e as medidas cabíveis.

A empresa continua implementando ações emergenciais no bairro do Pinheiro e região, priorizando a segurança das pessoas e segue realizando os estudos de sonar, considerados por especialistas como fundamentais para a compreensão das causas dos problemas nos bairros.

A Braskem reitera o seu comprometimento com a sociedade alagoana, contribuindo para a identificação e implementação das soluções definitivas para a comunidade.  

Corintho Campelo quer o lugar de Lessa na eleição de Maceió
Apesar da intriga, o toma lá, dá cá com deputados 'paraíba' de AL está em curso
  • Raphael

    O Município de Maceió, refletindo a letargia do seu tímido prefeito, nada fez em prol desse bloqueio. Temos que aplaudir a DPE e o MPE.

  • JEu

    Bem, para quem leu o texto diz que o MP/AL e a DP/AL apresentaram o pedido de liberação dos R$ 15 milhões depois que a Prefeitura afirmou que precisava do montante pois não teria recursos para bancar o pagamento do aluguel social para os moradores do Mutange. Parabenizo, aqui, o Juiz Ivan Brito por sua coragem e interesse em atender ao cidadão mais sofrido daquela região. São decisões como essa que me fazem acreditar, ainda, na justiça do Estado e do país.

  • Andre

    Quem já recebeu as 6 parcelas… e agora José?
    Sem solução, aliás, longe disso… O caos se mantém com um agravante: a timidez do jornalismo (Pós greve).

  • jOANA

    Ainda não acredito as pessoas saírem por espontânea vontade.
    Vão alegar que nunca nada aconteceu… muitos vão encarar como uma renda mensal para sobreviver.
    Não quero generalizar, mas a maioria não vai querer sair…