A situação vivida por dois parlamentares alagoanos – em posições opostas quanto à reforma da previdência – expõe a face autoritária das direções dos partidos do Brasil.

Todos eles os partidos, sem exceção – à direita ou à esquerda -, comandados por caciques que decidem tudo: quem vai ser candidato, quem deve ser eleito, como os eleitos devem votar em questões essenciais, como esta da PEC da Previdência, que não está prevista em nenhum estatuto partidário, as constituições das legendas formais no país. JHC é do PSB e queria votar pela aprovação da Reforma.

Recuou, ante a ameaça da direção do partido de que se fosse em frente, no mínimo, seria destituído da presidência do PSB em Alagoas.

A tucana Tereza Nelma, ao contrário, votou contra a PEC que tramita na Câmara Federal. As ameaças dos dirigentes do partido já haviam chegado até ela – que deve ser punida, de alguma forma, pelo PSDB – que fechou questão em relação à matéria.

Ou seja: as estruturas partidárias brasileiras são monumentos ao autoritarismo, e só uma Reforma Política, profunda, decente, pra valer, pode fazer com essa cacicada aprenda o que, de fato, é democracia.

Que, aliás, começa dentro de casa. Só para lembrar: o PDT de Ronaldo Lessa, presidido nacionalmente por Carlos Lupi, ameaça expulsar a deputada Tabata Amaral, porque ela votou a favor da PEC da Previdência.

Uma nota de JHC

Prezado Ricardo,

Acredito que não me fiz entender bem: quando ventilei a questão do comando local do partido, foi contemplando formas de eventuais punições do comando nacional, não como um fator preponderante na minha decisão em relação à PEC 06 (Reforma da Previdência).

Quando nos falamos, a minha dúvida sobre o voto se dava pelo fato de que o texto que seria votado ainda não era conhecido, já que o substitutivo que foi aprovado em primeiro turno estava em gestação por acordo de Líderes.

Apresentado o texto, avaliei que continuava duro, especialmente com os alagoanos, que têm média de vida de 67 anos, enquanto a idade mínima para aposentadoria foi de 65.

Apesar de pertencer aos quadros do partido, minha postura é de independência, especialmente em matérias sensíveis. Acaso me conhecesse do contrário, votaria favorável sem qualquer embaraço.

Forte abraço!

Voto de Isnaldo Bulhões é ponte entre Renan Filho e nova PEC da Previdência
Renan Filho pode fazer dobradinha fechada com Marcelo Victor por Previdência
  • Sérgio Eduardo

    Mais é bom lembrar q a deputada Tereza nelma recebeu 600 mil do fundo partidário do PSDB na eleição 2018. Aí pra isso o partindo é bom.?

    • Meu NOME é Gal desejando rapaz: SEM cultura NEM crença OU tradição, AMO igual!

      Estamos em NOVOS tempos, Sérgio … pranchas d’SURF espatifam SURDAS cabeças duras, bundas MOLES?
      Assim como Tereza Nelma (PSDB) … sabe-se lá a q cuXto ACREDITA na geração admirável senescente!
      ACREDITE se quiser _ https://www.movimentoacredito.org
      > A geração de Ulysses Guimarães e pós-Muniz Falcão derrubou a marolinha democrÔta 1964-1985:
      – DEMOS vida à democracia e VOZ um Brasil esquecido universalizou EDUCAÇÃO e saúde
      # Apesar das limitações, fizemos tornarem-se DIREITOS n direitos em uma constituição audaciosa.
      E ontem, tbém federantinos depu$: Tabata Amaral (PDT) e Felipe Rigoni (PSB) do Movimento ACREDITO:
      – Votaram a favor da NOVA Previdência pra minimizar desigualdades e maximizar responsabilidade fiscal.
      VELHAS lideranças partidárias, INDA num acreditam! [11jul19]
      https://www.msn.com/pt-br/noticias/opiniao/o-voto-de-tabata-amaral-é-um-recado-para-as-novas-gerações/ar-AAEckRa?ocid=spartandhp

    • RENATO VIANA SOARES

      Tereza Nelma foi vereadora em Maceió por quatro mandatos. Sempre com votação crescente. Nunca recebeu um centavo de partido nenhum ou de qualquer empresa. Ela é ficha limpa e não compra votos. Como candidata a deputada federal também não recebeu dinheiro nenhum do PSDB, mas parte da cota de uma lei federal que garante recursos públicos (os empresários foram proibidos de doarem). Os privilégios começam aí: 30% para as mulheres, 70% para os homens. Entre as mulheres, na repartição do PSDB, foi a eleita que menos recebeu esse direito. Publique quanto receberam os outros deputados federais eleitos, para que todos possam fazer uma ideia melhor.

      • Sérgio Eduardo

        Recebeu sim. 600 mil da cota partidária do PSDB.. É quem dive dúvida é só olha aí no Google eleição 2018. E coloque o nome da deputado Tereza nelma q vai está a doação partidária.

    • ana lis

      O problema do PSDB é que o próprio partido não segue a linha da Social Democracia e agora, apenas, tende a se aliar ao Governo “para sair bem na fita” (oi?). A deputada Tereza teve uma posição íntegra e transparente, e desde antes da votação já comunicou ao presidente do PSDB que não ia votar com o partido. Não faz como uns e outros que insistem com conchavos pelas costas. E mesmo estando no PSDB, ela nunca deixou de se esforçar para desmistificar a posição de “elite” desse partido. Não é questão de ir na onda de A e nem de B, e sim de votar com coerência e convicção com sua história.

    • Luana Melo

      Esse recurso é um direito da candidata meu caro, foi bem aplicado na campanha e ela ganhou. Repassar para uma candidata de um partido é mais que obrigação de um partido. E na matéria não vi a Tereza Nelma falar mal do partido, nem dizer que o partido não é bom. Uma pessoa não pode ser julgada por ter posicionamentos progressistas dentro de um partido amigo, ela mostra coerência com sua trajetória.

  • João inconformado

    Dois traidores do povo alagoano e consequentemente do povo brasileiro,Tereza Nelma e JHC

    • Juliana

      Traidores pq? pq foram íntegros pra seguir o que é melhor pelo povo? na certa vc espera que essa reforma torne o brasil o ‘país das maravilhas’. mas deixa eu te falar: isso não vai acontecer. essa reforma só mantém privilégios e arranca a esperança dos pobres de um dia gozar de uma aposentadoria digna.

    • Luana

      Traidor meu caro? Penso diferente meu caro. Traidor de alagoanos é quem vota a favor de uma reforma que propoe aposentadoria aos 65 anos para um povo que tem expectativa de 67.
      Traidor é quem vota a favor de que as pessoas com autismo, esquizofrenia e transtornos, como síndrome de down percam a pensão com a morte dos pais. Quem vai cuidar deles? Traidor é quem vota a favor de uma reforma em que o número de idosos com dificuldade para se manter se tornará cada vez maior e mais dramática. Tereza Nelma votou coerente com suas ações.

  • ELEITOR

    expulsar a deputada TEREZA NELMA também ela merece…

    • DIEGO MEDEIROS

      Expulsar pq? Por ter sido íntegra com suas convicções e trajetória de vida? Ao invés de se preocuparem de difamar quem só faz o bem ao povo, deveriam estar preocupados em fazer as contas de quanto tempo mais terão que trabalhar, nessa incansável busca que, agora, se chama “aposentadoria”

    • Joana

      Merece? Merece é um prêmio por ir contra essa loucura dessa reforma que é na verdade um desmonte social. Merece é um prêmio por sua coerência, pois sempre teve um posicionamento claro em defesa de minorias, das pessoas com deficiências, dos idosos, das mulheres e esses segmentos sociais serão extremamente prejudicados nesta reforma extremamente prejudicial, em que as pessoas irão trabalhar mais e receber menos.

  • Maria

    A realidade do nosso país é essa: “O fantoche politico poderá ganhar as eleições ,mas nunca governará.Manipuladores direcionarão as ações conforme as coveniencias.Sabemos que não se governa sozinho, mas o maior receio não é só no candidato, mas na equipe que o comanda. A população como um todo poderia avaliar melhor seu voto se o politico fosse obrigado a dizer: Quem comanda a campanha?Quem coordena?Quem financia? etc.” Quem sabe assim não diminuiria a quantidade de candidatos a marionete e ou a população não seria uma marionete na mão desses “caciques”politicos.

  • JEu

    Concordo, RM, que nesse meio da politicagem, sempre vence os interesses dos caciques e os demais precisam “reverenciar” os “donos” dos partidos, por isso, também sou a favor de uma reforma política inclusive para permitir que possam existir candidatos avulsos, sem partido… e que também se acabe com o fundo partidário e que a lei continue a proibir as doações de empresas e empreiteiras… as doações devem ser das pessoas individualizadas, com o devido controle das doações… afinal, hoje em dia já não é preciso “gastar” tanto para uma eleição… estão aí os exemplos do Rodrigo Cunha e do próprio Bolsonaro… os tempos são outros… já não é preciso “ideologias” seja de direita ou de esquerda… a “ideologia” deve ser uma só: o bem do povo e do país… o resto é só conversa fiada, enganação e ilusionismo… acabe-se definitivamente com a corrupção, a roubalheira e a bandalheira com o erário público que esses partidos todos e os politiqueiros se acabam… acabe-se com os privilégios dos políticos e logo eles mudarão de “profissão”… acabe-se com todos os privilégios no serviço público (seja no executivo, legislativo, judiciário e ministério público) e logo teremos mais verdadeiros servidores públicos e menos sanguessugas do erário público… e como consequência, teremos uma melhor justiça social no país…

  • Vicente

    Ao escolherem os partidos, o políticos sabem como se joga o jogo e se utilizam dele. Exemplo disso é a distribuição de dinheiro público para financiar campanha e indicação de cabos eleitorais para ocupar órgãos estatais e partidários. JHC e Tereza Nelma foram beneficiados pelos partidos, fizeram manobras eleitorais para tomarem conta do partido e se elegerem através deles. Hoje no Brasil, existem partidos de diversas correntes ideológicas, é só buscar aquele que melhor o representa.

    • DIEGO MEDEIROS

      Se pode, caro amigo, se identificar com um partido e, em determinada situação, não concordar com o que está sendo exposto. Vale lembrar que um partido é constituído de pessoas e, nem sempre, elas concordarão 100% entre si. Isso pode acontecer em partidos de direita e esquerda. A deputada Tereza é uma mulher íntegra, ficha limpa e com uma história de vida e de lutas pelos alagoanos. Jamais esperaria dela outro posicionamento. É preciso analisar o contexto, e não a situação isolada.

  • Andr[e

    Excelente tema levantado por Ricardo Mota, as reformas são necessárias, e na minha visão a mais importante e crucial para uma mudança na confiança e educação brasileira está na reforma política. Como muito se fala a antiga política tem que acabar e para isso se faz urgente a reforma política, e mais uma reforma geral dos três poderes. Vamos bater nessa tecla até sair essa reforma! Parab´éns, Ricardo Mota!