Um ótimo livro para o feriadão é Como as Democracias Morrem (Steven Levitsky e Daniel Ziblatt), que ajuda a entender esses tempos de agora.

Os dois autores apontam que todos os autocratas (um eufemismo, está claro) sempre governam através de decretos e têm um olímpico desprezo pelo Parlamento.

É nesse contexto que a crítica do senador Renan Calheiros, esta semana – no dia da votação do Decreto das Armas -, se mostra atualíssimo:

“O que está na raiz desta decisão é se o presidente pode continuar governando por decreto”.

Depois veio uma observação sobre o youtuber Olavo de Carvalho, mas nem vale muito a pena lembrar.

Essa raiz é que não pode gerar uma árvore de frutos saudáveis: “É preciso mudar isso aí”, presidente.

Como devem votar os deputados federais de Alagoas no Decreto das Armas
Por que o governo do Estado não dá isenção fiscal para Pinheiro, Bebedouro e Mutange?
  • Cesar

    O blogueiro perdeu completamebte a nocão do belo trabalho q fazia, querer comparar Olavo a Renan eh inacreditável.

    • Idosamente MONGE no Sertão: busca SUS sem úi nem Ái!

      De fato, Cesar … Renan PAI é pau de dar em doido impotente!
      Olavo, JÁ era … rsRs #NOWaday$ it’s Mr Ka(r)alho decadente … rsRs

    • Carlos

      Pois e César,
      O senador vê de longe os erros dos governos que não atende os seus pedidos ou melhor às indicações! Cadê que ele vê os erros do filho governador, que vem massacrando os servidores públicos pobres do pobres como forma de vingança porque Renan Calheiros perdeu a eleição para prefeito sendo derrotado por Guilherme Palmeiras e o servidor público que na época era massacrado pelo então governador Fernando Collor, voltaram em massa Guilherme Palmeiras… Um gestor no pode governar com ódio! Abaixo o coronelismo da política Alagoana.

  • Alagoano de coração

    O problema é que nosso parlamento sempre quer alguma coisa em troca na hora de negociar. Com raras exceções, o objetivo nunca é o bem da sociedade, mas seus próprios interesses. O presidente não é lá um exemplo de estadista, mas conhece a índole de muitos ali no congresso.

    • Meu NOME é Gal desejando rapaz: SEM cultura NEM crença OU tradição, AMO igual!

      Quer resOrvê na poRRada, Alagoano … Lampião em 1938 tomô n’AngicU$ de Sergipe.
      É peRciso aprender a SER gente, meu Rei … de coração Roberto Carlos e tudo, ‘[email protected]!
      Erasmo até tenta, mas ELE é o taO etc e Kaos … 3m 2’ 36″ de mulÉ pá mané, kolé?
      > Se Vc pensa Q vai fazer de mim a 4 mãos: vai tê Q mudá, ora 2 bolas uma OVA, saco … rsRs
      – O KI fái$ cÚ td @-mundo q t’ama … pá ficar comigo, ‘miga LLôKa m’aquece n’inF(v)erno!
      # Daqui pá frente e putrái$ É diferente: aprenda a Çê gente, orgulho NUM vale nada … Kkkkk
      https://youtu.be/OaqYEzIL6-0

  • José

    Nem Nietzsche nem Goethe imaginaram em suas transcendência mais desviadas da razão um país chamado Brasil, onde bonecos e pessoas estão em intenso desvario de lógica, torcendo para o Brasil dá errado. Uma ignomínia. E aí Fernando Collor tem razão. Que chafurdam os brasileiros.

  • Lucas Farias

    Prezado Ricardo, temos um presidente que defende ditadura militar, que homenageia ditadores e torturadores, que despreza os direitos humanos e as instituições do Estado de Direito, que foi por três décadas um parlamentar medíocre e improdutivo, que não pronuncia em seu limitado vocabulário nenhuma palavra em defesa da solidariedade, do combate à desigualdade social e econômica (historicamente o maior problema do país e a origem de muitos outros), de incentivo à tolerância e respeito às diferenças, que zomba da dor alheia, que inventa fantasmas de preconceitos ideológicos e moralistas para demonizar adversários, e o amigo acha que esse governo, autoritário e ignorante, irá mudar seu rumo? Creio que não, pois tudo indica que continuará em direção ao abismo, movido pelas crises que ele mesmo provoca. A conferir. Um abraço.

    PS.: Uma outra boa sugestão de leitura sobre o tema é o livro “O ódio à democracia”, do filósofo francês Jacques Rancière, publicado no Brasil pela Boitempo Editorial (essa editora tem livros excelentes, vale a pena conferir o catálogo).

    Resposta;
    Conheço a editora mas não o livro. Valeu – como sempre – meu caro Lucas.
    Grande abraço,
    Ricardo Mota

  • Adilio Faustini

    Perguntar não ofende: É melhor Governar por decreto ou
    ” negociar”, “Articular”, cargos, Estatais, Ministérios etc…? A Governança pós 2003 parece que não deu certo. Em tempo:Veriquem nos primeiros 6 meses de mandatos quantos decretos foram emitidos por FHC, Lula, Dilma , Temer e Bolsonaro, vcs terão supresas, nem tudo o que os olhos vêem , é a realidade.O editor será o mais surpreso.

  • JEu

    Quando o congresso deixar de lutar contra todos os projetos do governo, então creio que os projetos de lei serão enviados aos parlamentares para as devidas análises, aperfeiçoamento (não desfiguração…) e aprovação… é só lembrar do projeto anticrime e anticorrupção do Sérgio Moro, que não aprovam nem que a vaca tussa (por que será?!!!) e a reforma administrativa, que foi “esquartejada” por ferir “interesses escusos” dos parlamentares… é tudo muito simples… será que é preciso desenhar?

  • Julius Robert Hoppenheimer

    “Cabaré, São João Maceió-Al”

    Depois de tentar tumultuar a sessão da CCJ do Senado com Sergio Moro, Renan Calheiros aproveitou o feriado e foi ao Twitter para atacar o ministro da Justiça e da Segurança Pública.

    Ele fez propaganda do site que publicou as mensagens roubadas da Lava Jato.

    “O @interceptbrasil já comprova que @SF_Moro e alguns procuradores, como @deltanmb, são fora da lei. Só a entrega dos seus celulares pode desmentir os fatos.”

    Sim, é isso mesmo que você leu: Renan Calheiros chamou Moro e Dallagnol de “fora da lei”.

    Bem que o general Heleno falou, mais cedo, em “total inversão de valores”.

    👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🙏

  • Evenildo Silvério

    Mota, até parte da grande imprensa repercutiu que o ministro Sérgio Moro “passou no teste” aqui em Brasília (vide Correio Braziliense). Já o senador Calheiros representa o que de pior se tem na política brasileira e não tem moral alguma para falar sobre nada, nem em uma simples reunião de condomínio. As pessoas com quem converso aqui em Brasília quase sempre vem me pedir uma explicação de como o senador Calheiros conseguiu se reeleger e eu digo que é por que infelizmente esses equívocos sempre “acontecem no Brasil”. Não digo em Alagoas pois essa chaga de eleger quem não deveria não é só um problema dos alagoanos (sou um de coração) – vide MG e PR reelegendo os também execráveis Aécio Neves e Gleisi “Lula”, para ficar em dois dos piores maus exemplos. O que me causa espanto é um jornalista, quase sempre equilibrado como você, repercutir falas desse senador desqualificado. Só posso entender a sua atitude sob o prisma do “filósofo” Ciro Gomes: “é por isso que a democracia é bela”. Bom feriado.

  • Júlio

    Este blog ainda da cartaz para um senador com 13 inquéritos. Como leitor só tenho a lamentar.

  • niv_mace@hotmail.com

    Tem uma turma aqui que se esconde escrevendo por códigos, vamos parar com essa besteira e respeitar o português.

  • Adson Freire

    Parece até que o articulista está com problemas de esquecimento. Os ex-presidentes Lula (o “Presidiário”!) e Dilma (o “Poste”!) nos primeiros 5 meses de governo editaram mais decretos do que o atual presidente. Isso o senhor Renan também não viu… A propósito, você já foi bem melhor nas referências; Renan…

  • Zil

    Enquanto isso a saúde do estado de Alagoas na uti, o secretário de saúde perdido, Hge sem medicamentos e insumos, santa Mônica não vou nem falar, mais é de dá pena! Meu Deus onde vamos parar! Queria saber qual era a finalidade do fecoep, até agora não vi o ministérios público falar nada!

  • Cássia Loureiro Lages

    Mota tem razão. Poucos foram ao x da questão. Renanzao é vivido, experiente e da um banho naqueles senadores q sequer entendem o q esta acontecendo. Não é somente sobre armas…
    Inclusive, li na coluna da folha q Bolsonaro tentou se aproximar do senador. Mandou ministros interlocutores e o senador disse q não tem interesse. Seguirá mais alinhado ao povo do lula. Coerente, achei.