A posição majoritária da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, contra o decreto das Armas para Todos (que possam pagar), comprova a importância do Congresso Nacional para Democracia. Detalhe: Rodrigo Cunha votou contra o decreto bélico.

A flexibilização da posse e do porte de armas por civis é condenada pela maioria dos brasileiros – como mostram todas as pesquisas -, apesar de ter o apoio da quase totalidade dos eleitores de Bolsonaro.

É lembrar: ele é o presidente de todos os brasileiros, e não apenas daqueles que votaram nela. Esta é uma compreensão que, é o que parece, ainda não chegou ao Palácio do Planalto.

Foi apenas o início: a matéria ainda vai percorrer outros caminhos até o desfecho final.

Espero que o Congresso lhe seja fatal.

No país que é campeão mundial de assassinatos, em números absolutos, mais armas nunca significará menos mortes.

Renan Filho pode ajudar a humanizar Reforma da Previdência
Rui e Renan Filho se reúnem para decidir ações sobre o Pinheiro
  • Adilio Faustini

    Quando o Senado colocará em Votação o Projeto da Maioridade Penal que foi aprovada em dois turnos,pela Câmara , em 2015? O Ex Presidente do Senado, Cearense,que não foi reeleito, sentou em cima do projeto, está na hora do novo Presidente do Senado desenterrar o dito cujo. Será que vai ser necessário o povo se manifestar novamente sobre o direito do cidadão brasileiro poder se defender?

  • Lucas Farias

    Prezado Ricardo, a notícia é alvissareira. Como nos ensinou dom Helder Câmara, referência da luta democrática contra a ditadura militar, uma bandeira não deixa de ser justa mesmo quando empunhada por mãos erradas. Por mais que se discorde de boa parte da atual composição do Congresso Nacional, o Parlamento enquanto instituição é essencial numa democracia. A necessária derrubada do decreto “arme-se quem puder (e tem dinheiro)”, “faroeste caboclo” ou “tiro, porrada e bomba” imporá mais uma derrota ao governo Bolsonaro protagonizada pelo Legislativo. Não faz muito tempo a Câmara suspendeu o decreto do presidente que ampliava o rol de funcionários aptos a classificar documentos do governo em secretos e ultrassecretos, o que resultaria em sigilo sobre falcatruas, esconderia malfeitos do governo e reduziria o alcance da Lei de Acesso à Informação (lei promulgada no governo “comunista bolivariano” do PT, importante lembrar). Hoje também o STF está julgando o decreto do presidente que extingue conselhos e órgãos colegiados da administração pública, que prestigiam o controle social e a participação popular. Seriam extintos por esse autoritário decreto a Comissão Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo, o Conselho Nacional de Política Indigenista e o Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos Humanos da população LGBT, entre outros. Isso é o retrato nefasto do governo Bolsonaro e de seus apoiadores, que não estão lá muito preocupados com os direitos de índios, trabalhadores escravizadas e homossexuais. Muitas outras medidas nocivas aos direitos humanos e às minorias ainda precisam ser combatidas. É preciso recriar o Ministério do Trabalho e Emprego (é absurda a extinção dessa pasta num país com 14 milhões de desempregados), proteger a Fundação Nacional do Índio e o IBAMA dos ataques dos ruralistas e impedir todos os decretos e projetos de lei do Bolsonaro que acabam com reservas florestais, áreas de proteção ambiental e territórios indígenas e quilombolas. Para quem não se importa muito com essas minorias, talvez possa se preocupar mais com as propostas do presidente que aumentarão a mortalidade no trânsito, como a extinção dos radares eletrônicos em rodovias (a instalação de 8 mil equipamentos foi suspensa por decisão dele), o aumento do limite de pontos na carteira de motoristas infratores (de 20 para 40), a prorrogação da validade da CNH para dez anos (permitindo que alguém inapto fique anos sem se submeter a um simples exame de vista), o fim do teste de drogas para motoristas profissionais, a extinção de multa para o transporte de criança sem cadeirinha, a diminuição do valor da multa para quem andar de moto sem capacete, entre outras coisas estúpidas e insensatas que ainda vão exigir muito trabalho de resistência. Um abraço.

  • Adson Freire

    Pois é, Ricardo, o problema é que a bandidagem anda bem armada e nada é feito contra isso. Marginais com fuzis, pistolas, metralhadoras etc, atemorizando todo mundo. É esse o Brasil, um país de contrastes e contradições… Enquanto isso os meliantes fazem a festa… Bem armados!!!

  • Maçons matando 1 leão ao DIA com agonia ao molho ROTARyAño, êpa!

    Ainda BEM, caro Ricardo Mota … assim SE evita q’OTÁRIOS se machuquem, pel’AMOR!
    > Tais medidas terão um impacto negativo na violência – aumentando, p ex,
    – a quantidade de armas e munições que poderão abastecer CRIMNOSOS –
    > e aumentarão os riscos de que discussões e brigas entre nossos cidadãos acabem em tragédias.
    DOCUMENTO de 13 governadores contra o Decreto das Armas, BolZonaZAraDo. [22mai19]
    https://blog.tnh1.com.br/ricardomota/2019/05/22/para-renan-filho-mais-armas-mais-tragedias/

  • Idosamente MONGE no Sertão: busca SUS sem úi nem Ái!

    Num ÁTIMO tudo se desfaz, sobra nem ÁTOMO: em quarks de PATOS aniquilados 1’$ e outros, pQp!
    Xô tenetim pidão de PENICO U$arney (1988) puZZentado capitão patente ACIMA aos 33 de IDADE:
    1) Em 1995 perdeu MOTO e pistola Glock num assalto no Rio–RJ, caipira de SãFáiu-çP:
    – em dia 2019 andasse armado perderia a ARMA e vida executado seria. alguma DÚVIDA?
    2) Em 2018 arrodeado de 15 JOVENS policiais federais foi esfaqueado à TRAIÇÃO:
    – PUSTEMAS obesas, bajulas flácidos, xumbêtas [email protected] atrapalharam a Pol FEDE!
    Podia ter morrido já duas VEZES por imbecilidade, será o 3o IMPIXADO na Nova República?
    DE Oscar V V – Campo minado de cada esquina … ATENÇÃO [11mai19]
    > Decreto sobre armas contraria até a experiência do próprio presidente … PALHAÇO!
    https://www1.folha.uol.com.br/colunas/oscarvilhenavieira/2019/05/campo-minado-de-cada-esquina.shtml

  • JEu

    Inicialmente, gostaria de deixar bem claro que o Bolsonaro não extinguiu nem um dos tais conselhos, o que extinguiu foi sim os salários, bastante polpudos, por sinal… assim, quem quiser, pode continuar no cargo, porém de forma voluntária (como deve ser, por se tratar de assunto do interesse social…), desta forma, cada cidadão deve continuar com seu trabalho com carteira assinada, e, nos horários de folga, presta uma atividade voluntária à favor do povo brasileiro… agora, sobre o decreto das armas, gostaria de mencionar o seguinte: Alagoas24horas: 07/06/19: “Governo do Estado anuncia redução no número de homicídios, nos cinco primeiros meses do ano”… Alagoas24horas: 10/06/19: “Polícia Civil prende irmãos que mataram homem à pauladas e pedradas em Maceió”. TNH1: 07/06/19: “Menino de 8 anos morre ao ser atingido dentro de casa, que foi invadida por quatro homens armados e efetuaram disparos”. Alagoas24horas: 07/06/19: “Suspeito de matar adolescente à pedradas dentro de escola é preso no Benedito Bentes”… Alagoas24horas: “Homem é preso após esfaquear mulher em Major Izidoro”… como se vê, e comprovado está, que a bandidagem está com mais medo da polícia e dos cidadãos que já poderiam ter armas em casa, então todos os índices de homicídios estão caindo, principalmente com o uso de armas de fogo… e tem muitos crimes que são praticados com armas brancas, paus e pedras… e, finalmente, ainda se vê casos de invasão de domicílio por marginais por motivos diversos (o mencionado acima foi um caso de vingança do tráfico de drogas), mas ainda vemos casos de invasão para roubos e para fugir da ação policial… é tudo questão de “estatísticas” e não de “suposições”… bandido só tem medo de morrer… e de mais nada…

    • Hélio

      Rodrigo Cunha perdeu meu voto pra próxima eleição!

    • Lucas Farias

      Caro, como seu comentário se remete ao meu, preciso esclarecer que você está, mais uma vez, desinformado, divulgando uma notícia falsa. O decreto do Bolsonaro que extingue conselhos e órgãos colegiados de controle social e participação popular é o de n. 9.759, cujo julgamento foi iniciado ontem pelo STF. Os integrantes dos conselhos afetados por esse decreto já não recebem nenhuma remuneração, são voluntários, porque atuam como cidadãos que contribuem na formulação de políticas públicas, funcionando em caráter consultivo como forma de ouvir especialistas e ativistas. Por outro lado, o decreto a que você se refere é o de n. 9.831, que exonerou e extinguiu os cargos de todos os sete peritos do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, um órgão ligado ao Ministério Público (MP) e ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Esse grupo desenvolve um trabalho profissional de fiscalizações e produção de relatórios sobre violações de direitos humanos e casos de tortura em espaços de privação de liberdade (como penitenciárias, hospitais psiquiátricos e comunidades terapêuticas). São decretos diferentes que tratam de órgãos diferentes. Busque se informar melhor para não divulgar informações falsas.

  • Hélio

    Vai ser proibido também comercialização de facas?!

  • jobson

    Armas, só pode ser usadas por bandidos, quando a polícia usa, é massacrada. Estamos em uma nação que os políticos , não ouve a população, é o caso do referendo das armas ,que foi aprovado pela maioria.

  • sertanejo cagota

    Eu queria que todos os senadores barrassem, também, o uso deles e dos familiares deles em escolas particulares e em plano de saude e passassem a usar escolas públicas e o SUS.

  • williams Roger

    Erraram feio.
    Pergunto, Rodrigo Cunha, Renan Calheiros… Tem seguranças? Podem andar armados?

  • amorim

    O Brasil é isto, qualquer projeto que entre pra votação tem, ou vai ter sempre a oposição, e isto é um fato normal, sabe quando eu me questiono? Quando eu vejo, leio e ouço que alguém está preso porque enriqueceu de forma ilícita, porque as provas são irrefutáveis até para um leigo, como me considero, e uma parte da sociedade, uma minoria, que gosta de levar vantagem, pondera a prisão de quem foi julgado e considerado culpado, deixem o réu cumprir sua pena. Precisamos limitar as nossas paixões, e deixar que a justiça se faça justiça, se quisermos ter um país prospero, precisamos cortar na própria carne. Um país não pode viver de fuxico, mas de trabalho, lutar e honestidade, alguém pode julgar muito, mas é a realidade.

  • Miral

    Parabéns Senador! Honrou o meu voto.

  • Sérgio Eduardo

    Errei feio em vota no Rodrigo Cunha. Senador de um mantado só