Ontem, um representante da Braskem ligou para o blog, de São Paulo, e deixou claro que a empresa é a primeira e grande alternativa da Odebrecht para evitar a recuperação judicial.

As dívidas da empreiteira mais “famosa” do Brasil, controladora da ex-Salgema, vão se tornando impagáveis neste momento:

“A Braskem é um dos principais ativos da Odebrecht”, afirmou.

Só que há problemas e problemas: os bancos credores estão cobrando os crédito que possuem junto à holding, e com a desistência da LyondellBasell de adquirir a Braskem, o cerco vai se fechando.

A petroquímica é considerada um dos únicos ativos saudáveis do grupo Odebrecht, e foi dada como garantia em seis empréstimos, que somam R$ 13 bilhões.

É um jogo de tempo/dinheiro que deve interessar e muito aos alagoanos, em decorrência do que acontece no Pinheiro, Mutange e Bebedouro.

A Odebrecht?

“Quer vender a Braskem. Mas é importante destacar que permanece, em caso de necessidade, a responsabilização sucessória de quem comprar a empresa.”

Renan Filho pode assumir a presidência nacional do MDB
Choque de realidade faz governador defender Reforma da Previdência
  • Luiz

    Caro Ricardo.

    Percebo que há uma desídia dos órgãos envolvidos em elaborar e divulgar o Mapa de Risco. Nota-se, também, que um simples mapa está sendo mais “complexo” que a apuração das causas da subsidência. Como todos sabem, a Odebrecht teve todos os seus Diretores presos na Operação Lava Jato por crimes de corrupção.
    Pergunto: Será que nesta demora na divulgação do mapa de risco existe interferência política para beneficiar a Braskem?

    • Av Fernandes LARANJA – Palácio de VIDRO fumado: xêro de QUEBRADA?

      Onde HÁ fumaça há ri($)co($), caro Luiz … reza a SABEDORIA do tríduo junino no SERTÃO!
      a 12 nóiX namora cum Sto TONHO presenteando a Rua do Comércio, casar é no 28 com Sã Pêdo no Xópi, amigo.
      BOM meRmo é o choPP no 23 de SãJÃO, meRmão … forró alagoano na vÊia!
      > Há quem diga q’eu dormi de touca, perdi a boca, fugi da briga c’a Véia de cOma.
      – Caí do galho e NUM vi saída, morri de medo cOndo pau quebrou … é cArma!
      > Há quem diga q’eu num Çêi nada, num Çô de nada NEM peço de$scuRpa$ …
      – NUM tenho culpa, dei bobeira e Durango Kid me pegou DES-botando bloco na rua
      # Brincar, botar pra gemer: EU por mim, queria isso e aquilo, 1 kg + daquilo, GRILO (-) disso
      Em 4′ 41″ com Sérgio Sampaio (1947-1994 aos 47 do 2o tempo) _ https://youtu.be/rsiAN__ii7E

  • Mário

    A Braskem dada como garantia a cinco bancos, a falta de empenho e união do governador e prefeito (parece aflorar um ego entre ambos), a demora do poder judiciário (com as devidas exceções), vejo um quadro de dificuldades para os moradores dos bairros atingidos (lamentavelmente). Estamos no Brasil e as coisas são resolvidas com um olhar eleitoreiro, e não pensando no bem estar da população (raríssimas exceções). Triste realidade de uma nação tão bonita, mas maltratada por uma grande parcela da população.
    s.m.j.

  • JEu

    Os moradores do Pinheiro, Mutange e Bebedouro estão, a meu ver, perdendo tempo, só esperando que alguma coisa “caia do céu”… eles só possuem um meio para usar: as manifestações públicas… e essas precisam ser feitas em frente da empresa, dos locais de extração do minério, em frente ao TJ/AL e ao Palácio República dos Palmares… além de outros locais, como já comentado anteriormente… sem pressão popular, nenhuma decisão será tomada tão cedo… e talvez, quando finalmente acontecerem, a grande maioria dos cidadãos atingidos pelo famigerado sinistro provocado, principalmente, pela extração do minério, conforme laudo da CPRM, já não mais estarão nesta vida…

  • jOANA

    Enquanto isso o SOS Pinheiro vai fazer festinha na praça menino jesus para aliviar a dor… povo, acordem.
    SOS Pinheiro descaracterizando seu propósito, isso me cheira a influencia da famigerada classe política e futuras pretensões de candidatura dos membros do SOS.