O empresário José Carlos Lyra retornou nesta quinta-feira, por ordem judicial, à presidência da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas.

Ele estava afastado do cargo desde o dia 19 de fevereiro, quando a PF deflagrou a Operação Fantoche, que apura supostos desvios de recursos no Sistema S (Sesi e Senai, no caso do setor industrial).

Juntamente com José Carlos Lyra, também foram presos na mesma data os presidentes das mesmas entidades de Pernambuco e da Paraíba – todos foram liberados no mesmo dia.

Ontem, atendendo a pedido formulado em Mandado de Segurança impetrado pelo advogado Luciano Guimarães, o juiz  César Arthur Cavalcanti, da 4ª vara Federal de Pernambuco, determinou a volta de Lyra ao posto na FIEA.

Segundo Guimaraes, “a Justiça Conseguiu restaurar o bom senso e a lucidez para que a investigação tenha seu curso”.

O afastamento dos três dirigentes de classe tinha prazo de duração de 90 dias, mas não foram apresentadas razões para que fosse renovado.

Nonô: "Bolsonaro ainda não se convenceu de que é presidente"
Braskem promete entregar até dezembro testes de sonar de todos os 35 poços de sal-gema em Maceió