As chances de os servidores estaduais e municipais (de Maceió, pelo menos) terem algum reajuste salarial este ano beiram a zero.

A crise, de fato, vem se profundando. A economia em retração reduz a arrecadação federal, que reduz a arrecadação estadual e municipal.

O quadro, objetivamente, é de recessão, e tanto o governador Renan Filho quanto o prefeito Rui Palmeira ainda não foram taxativos quanto ao tema por razões de natureza política – o desgaste é (ou será) inevitável.

Independentemente do que os servidores estaduais e municipais decidirão sobre o tema, o anúncio da decisão de ambos parece ser só uma questão de tempo, mas a sinalização é clara.

Talvez seja mesmo a hora do Estado brasileiro se reinventar: zerar tudo o que não for essencial, valorizando serviços e servidores.

Ou, quem sabe, já passou da hora.

Juiz federal Frederico Dantas é quem deve decidir ação contra a Braskem
Renan Filho é quem vai decidir se servidor terá reajuste este ano
  • niv_mace@hotmail.com

    Infelizmente o governo só dá aumento aos seus apadrinhados da assembléia ou do judiciário, para esses nunca falta dinheiro,mas nós simples mortais só temos algum valor em época de eleição.

  • williams Roger

    Vamos fazer o seguinte! Não tem reajuste pra ninguém. Pois se é pra descumprir a Constituição em seu artigo 37, inciso X e a lei de responsabilidade em seu artigo 22, § único, inciso I, não têm pra ninguém. Bom também seria congelar tudo, como fez Sarney e como ta fazendo na Argentina.
    Outra coisa, vamos reajustar/tabelar tudo, tipo, se a inflação foi de 3% ou o ipca de 3%, QUE TODO REAJUSTE, A EXEMPLO DE PLANO DE SAÚDE, ÁGUA, ENERGIA… SEJA NO MESMO PERCENTUAL. NADA MAIS JUSTO!

    • Ricardo

      Excelente colocação Willams Roger!

    • Carlos

      Quando assisto na televisão ou ouço no radio o governador falando que não vai conceder reajuste para os servidores porque não é irresponsável e no entanto se curva diante dos poderes Judiciário e a Assembleia Legislativa e na cara de pau concede reajuste acima da inflação e tem mais anunciou antes do fina do ano como fosse um presente de papai Noel e esses poderes comemorarem com a família que o ano de 2019, será como os anteriores de fartura e no entanto fica tripudiando com os servidores públicos, mostrando sua frieza e deboche do sofrimento dos desprotegidos….ABAIXO O CORONELISMO!

  • Ouro de tolo

    Não terão aumento os servidores do Executivo Municipal. Porém os servidores da Câmara terão 4%, ou seja a crise não afeta os Poderes Legislativos, em nenhuma esfera e o judiciário teve 16%, Ministério Público 16%, Procuradores 16%, viva as castas do Corenalismo Público. É tudo Teatro, resta-nos os custos da democracia abstrata onde poucos têm muito.

  • Thiago

    A campanha de desvalorização do servidor público já está colhendo frutos. O governo federal escolheu um culpado para realizar a necessária a reforma da previdência. Quando os governos não tiverem mais cargos comissionados e privilégios para cortarem eu não consigo imaginar o servidor público como vilão. O atual governo, assim como fez como o kit gay, repete a mentira várias vezes até torná-la verdade, triste ver pessoas sensatas divulgando e acreditando nisso.

  • Ricardo

    Enquanto isso, a Prefeitura de Maceió autoriza um aumento de 20 % na mensalidade do plano de saúde empresarial coletivo por adesão mantido com a empresa Qualicop Administradora de Benefícios S/A, a partir de junho desse ano. É o fim dos tempos! Salvem-se quem puder.

  • JEu

    O problema é um só: os sindicatos ficam só discutindo coisas ideológicas, como querendo colocar a culpa de tudo em “ideias e ideais”, se esquecendo que o problema são aqueles que ocuparam, ocupam ou ocuparão no futuro os cargos de comando do país, se envolvendo em corrupções, ganância, ambição e interesses pessoais… enquanto isso, deixam, os sindicatos e outras associações representativas, de olhar para o povo, para o funcionário… e agora que, com a nova lei dos sindicatos, quando cada um funcionário só poderá contribuir por iniciativa própria e em boleto próprio, não podendo mais ser descontado em folha, é que esses sindicatos esqueceram completamente seus objetivos: o de defender os interesses do cidadão trabalhador… e esquecem, também, que essa é uma grande oportunidade para voltar aos braços do funcionário, do trabalhador, demonstrando de que lado estão… se não houver uma mobilização bastante séria por parte do funcionalismo, tudo concorrerá para que os governos do estado e dos municípios deem mais um calote nos seus servidores… paralisação dos serviços já… e concordo com o RM, pois aqui já o afirmei algumas vezes: é preciso os governos cortarem na carne… reduzir ao mínimo os cargos comissionados, reduzir as estruturas do governo, pois ter secretarias (várias…) que basta um gabinete com um coordenador e alguns funcionários para dar conta do recado… reduzam, pois, gastos desnecessários com combustível, diárias, verbas de representação, locação de veículos, jantares faustosos, etc, etc e a economia será grande, o que possibilitará valorizar o funcionário concursado… o resto é conversa fiada, ilusionismo profissional só para enganar o povo e o funcionário…

  • Carlos

    Quando o presidente Temer assumiu o governo federal,Renan Filho foi logo se antecipando que não ia conceder reajuste ao servidor públicos do executivo diante as incertezas e no entanto o poder Legislativo e Judiciário ,tiveram os seus duodécimos reajustado acima da inflação e nunca nesse governo esses poderes deixaram de serem contemplados arrocho salarial tem só uma cara os servidores púbicos….

  • breno

    Para o servidor, pão e circo.

  • Antonio Carlos de Almeida Barbosa

    Reajustes para servidores e aumento das despesas, somente para a casta: legislativo, judiciário e ministério público, o resto é rabo de catenga.