O advogado alagoano Nabor Bulhões desembarca em Maceió no início desta semana para negociar um possível (?) acordo sobre a Braskem.

Foi o que contou ao blog o presidente do Tribunal de Justiça, Tutmés Airan.

Segundo o desembargador, o conhecido advogado, que trabalha para a Odebrecht – acionista majoritária da Braskem -, afirmou que só topou entrar na questão com aval para negociar um acordo com as partes envolvidas.

O objetivo, disse Tutmés, é tentar evitar uma longa disputa nos tribunais.

Resta saber o que é possível e o que é provável.

Renan Filho é quem vai decidir se servidor terá reajuste este ano
Rodrigo Cunha assume presidência do PSDB com um olho em 2020
  • JEu

    Realmente, já é uma boa notícia… a solução mais rápida e viável nesses casos é, sem dúvida, a negociação entre as partes… lógico que os cidadãos prejudicados deverão ter a assistência seja do TJ/AL, seja do MP/AL ou da Defensoria Pública do Estado…

  • Carvalho

    Vindo da Odebrecht e desse advogado podem ter certeza que coisa boa não vem. Vão fazer uma proposta absurda, sem respeito para com os moradores atingidos. Em um país descente os diretores da Braskem estariam na cadeia.

  • Quem vai pagar o pato?

    Bom! A Braskem com seus brilhantes e inteligentíssimos advogados pontuaram no requisito esperteza, é fato que a empresa não fique no estado, primeiro na condição de não querer perder economicamente seus lucros com a paralisação, visto que, até a decisão final no processo não seria viável de está paralisada, segundo o fato da mesma levar o processo para competência federal julgar, foi que dentro de sua defesa é possível de apresentar outros responsável como a prefeitura de Maceió, apontando a conclusão de número dois pela CPRM, a falta de saneamento básico. O medo de ter seu processo no âmbito estadual gerou uma certa insegurança, pois a mesma não pretende explorar aqui e poderia sofrer represália, sendo penalizada muito além do que deveria. Agora nós resta saber, quem de fato terá o direito assegurado, um lado a Braskem busca indenizar somente aquilo que ela afetou diretamente, como os bairros mutange e bebedouro, não gerando grande indenizações ” desnecessária” segundo Airan, presidente do tribunal de Alagoas, no outro bairro a defesa buscará em seu processo que a prefeitura seja a responsável pela falta saneamento, sustentando que o bairro pinheiro não foi afetado diretamente pela mineradora.

  • Jumanji

    Eu só acho que o pessoal do Pinheiro deveria escutar bons advogados, pq essa ideia do Tutmés de ficar todo mundo com a Defensoria é bem estranha. A Defensoria Pública de Alagoas é formada por excelentes profissionais, mas é completamente descabida essa ideia, pois, todos terão que aceitar o que a Defensoria propor, sendo que os casos são bem distintos. Se 1 não aceitar a proposta, todos os processos ficarão parados? E quem tem imóvel de alto padrão? Vindo de autoridades de Alagoas eu não espero coisas boas. Essa ideia do Tutmés só é boa para a BRASKEM que vai economizar com advogados pq será apenas uma ação, como também, poderá manobrar o andamento processual. Ah… a OAB não se pronunciou? Mas é claro! Ahahahah.

  • Morador de Bebedouro

    Transferência do processo para a justiça federal. A questão já esfriou, ninguém fala mais na Braskem. Até a galera do S.O.S pinheiro está calado o que será que houve?? Temos que fazer igual o pessoal das faculdades. Ir pra rua e protestar contra a Braskem. O vice presidente da Braskem, Marcelo Cerqueira. Pelas entrevistas dada a imprensa, a interpretação é que, a empresa não irá indenizar ninguém. Creio que irá contratar uma pequena construtora, e mandar rebocar os buracos das paredes dos prédios do pinheiro e os demais bairros que afundem no buraco que ela abriu e com certeza vai embora, sem ao menos fechá-los. Quanto a esse Advogado, Nabor Bulhões. Todos nós alagoanos já o conhecemos. Foi o advogados dos famosos “TATURANAS” E como sabemos, todos estão livres e soltos e alguns com mandato atual. QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL E DEFENSORIA PÚBLICA NÃO NOS ABANDONE. Porque se depender do Governo e do Prefeito. Vamos descer de buraco abaixo.

  • Johann Sebastian Bach

    Galera, fala para o Nabor, que o laudo da CPRM é a “mancha de Batom na cueca!!!”

    KKKKKKKKKKKKKKKKK…

  • joatas

    Reza a lenda que daria uma solução técnica para o caso com a injeção de concreto nas crateras e blá blá blá.

    A questão é: o poder público não foi eficiente na fiscalização da exploração do salgema, será ele eficiente na fiscalização desta solução?

    Se deixar nas mãos da Odebrecht o que menos vai ter nessa mistura é cimento.

  • ALAGOANO REVOLTADO

    A PROPOSTA. Caso a empresa Odebrecht queira minimizar os problemas criados por ela só tem uma solução: Avaliar o valor venal de cada imóvel situado em toda a área do pinheiro , mutanje e bebedouro, incluindo aí os prejuízos dos comerciantes, e , após essa providência, indenizar todas as pessoas prejudicadas. É preciso lembrar que os donos da Odebrecht são acusados de terem surrupiado o dinheiro da Petrobras, juntamente com diversos políticos, razão pela qual não pensem os alagoanos que vai ser fácil a pleiteada indenização. Lembrem-se que do outro lado estão pessoas comprovadamente desonestas.