Há de se louvar o mérito do ministro da Educação, Abraham Weintraub: ele conseguiu tirar da inércia os setores tradicionalmente mais atuantes, politicamente, da sociedade brasileira e  que vinham se mobilizando apenas em guetos nas redes sociais, templos onde se prega sempre para convertidos.

Não há de se dizer que o ministro da Educação não quis dizer o que disse. Por mais que  depois tenha explicado que está fazendo um contingenciamento do orçamento da União, o que acontece sempre que cai a arrecadação, o que ele afirmou, com todas as letras, foi que estava cortando verbas de universidade – eram três inicialmente – que faziam “balbúrdia”.

Antes, lembremos, ele já desdenhou e desprezou os cursos de Filosofia e Sociologia.

Um discurso belicoso, repetido exaustivamente por governantes autocratas no mundo inteiro, que se sentem ameaçados pelo conhecimento que gera consciência crítica. A reação neste momento é ainda mais importante porque já estava em curso um processo de dessensibilização da sociedade brasileira, com a naturalização de iniciativas que vão além do simples conservadorismo.

Mas é preciso entender que o passo dado por professores e estudantes de escolas públicas no Brasil – e que deve se ampliar para os setores mais variados da sociedade brasileira – não deve ser apenas contra o corte de verbas para as universidades ou  sobre o tema orçamento da União, que é importante, mas não é tudo. Que seja p começo da formação de uma ampla frente pela democracia e pelo direito de discordar, de pensar fora do quadrado quadrado.

Os governantes que ganharam querem governar, mas eles não receberam da população um salvo-conduto para impor medidas autoritárias ou uma ideologia – a deles – que ocupe todos os espaços no ambiente próprio para a discussão de ideias. Escola sem partido não pode ser – como o ministro demonstra querer – “escola do meu partido”

Fato é que parecia a todos que o ministro demitido da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, era o ponto mais baixo a que poderíamos chegar. Está claro: o fundo do poço, por aqui, tem subsolo.

Finalmente, Rodrigo Cunha e Renan Calheiros falam a mesma língua
Foram incompetentes os professores 'marxistas' das universidades brasileiras?
  • Adilio Faustini

    O Brasil que acordou é o Brasil dos Sindicatos, dos Servidores Públicos devido mudança da Previdência e dos mortadelas que recebem um pixuleco com um sanduba para inchar as manifestações., ou não? Isso se não tiver inchado com MTSTs e outros.

    Resposta

    Senhor Adílio:
    Nem todo mundo pode comer caviar e lagostas. Por que não a mortadela?

  • JEu

    Li, em algumas fontes, o seguinte: “A Arte, em sua expressão mais elevada, não visa somente produzir ou destacar o Belo, mas igualmente o Bem, pois a beleza imoral (ou mesmo amoral) traduz-se em forte indução para o Mal.” “A revivescência do Evangelho norteia a criatura com segurança nas sendas evolutivas, fazendo-a avançar no campo moral. A inteligência sem a bondade é o gênio do mal. A perversão intelectual é o obstáculo mais difícil para o ‘espírito humano’ que deve iluminar-se. Ativar no homem… a memória do Bem é tarefa que necessitamos executar em regime de urgência. O homem, inclusive, anda esquecido de que é filho de Deus! Não há lapso mnemônico mais comprometedor de sua felicidade…” O progresso intelectual normalmente antecede o moral, evidentemente, e é muito mais fácil que o segundo. Por isso, somos mais inteligentes do que bons.” “A maioria das pessoas não dá combate permanente e organizado aos próprios defeitos morais, muitos praticamente até cultivando as próprias falhas morais com gosto e propalando-as como se fossem virtudes… Somente através da autoanálise conhecemos a extensão das nossas deficiências morais e, somente quando tomamos a iniciativa de as vencer, avançamos firmes no rumo da evolução ético-moral.” Eis aí, creio, um resumo bastante elucidativo sobre o que está em falta na Educação no país… Se há erros do ministro, que sejam demonstrados e corrigidos… se há erros em palavras do presidente, que ele se conscientize disso… porém entendamos que uma pessoa não muda de uma hora para outra… o presidente é do tipo “pavio curto”… eu diria mesmo: sem pavio nenhum… ele devolve imediatamente palavras de que não goste ou ofensas… por isso vai sofrer um bocado ainda mais… mas dizer que há interesse em fazer algo de bom pelo país, no lado da defesa dos valores cristãos da família brasileira, isso ninguém pode negar… e talvez (se o congresso deixar…) também tenhamos mais alguns instrumentos para melhor combater a corrupção e a criminalidade… então, em vez de ficar só falando de erros, vejamos o que há de bom… e daqui a quatro anos, poderemos avaliar o governo e colocar uma outra pessoa lá no palácio do planalto…

  • EU

    Lamentavelmente a educação nunca foi prioridade( no nosso país) e pelos comentários de apoio aos cortes nunca será.

  • Carlos

    Uma observação nos noticiários onde os grevistas eram entrevistados criticando os cortes de verba na educação em todos os estados onde ocorreu a ato justo. Ninguém colocou que temos uma educação de qualidade ou até mesmo razoável . No entanto eu não sei o que os petistas estão comemorando a greve se nossa educação continua de má qualidade…

  • Zé MCZ

    O mensageiro do verdadeiro império do mal, Henry Kissinger(ex-secretário da casa branca) em seu livro de memórias, praticamente autobiográfico, deixou quase explicitamente, que o Brasil dificilmente seria uma nação pujante, próspera, uma das maiores. Por quê, hein? Será que o poder econômico e financeiro de lá, juntamente com a oligarquia podre, atrasada, subserviente daqui nunca vão deixar?
    Quando houve o golpe militar de 1964, o país estava dando saltos de desenvolvimento(desde JK), não apenas industrial, mas também intelectual, nossa própria, nativa, mesmo com a influência exterior, mesmo não atingindo a todas as classes sociais. Mas aí, passaram o sabre e a história conta em diversas versões.
    Apesar de todos esses retrocessos, há uma força poderosa que impele o Brasil assumir o seu lugar de direito, porque por si só, não há outro para ser comparado. Nem adianta querer entregá-lo ao império decadente. E o povo, que orgulhosamente sou parte, é essa força!

    • amorim

      E olhe, que quando o Henry Kissinger, ganhou o premio Nobel, em 1973, muitos dos políticos que hoje povoam nosso congresso, eram crianças, jovens, e, outros nem haviam nascido. Esse homem tinha bola de cristal?Não! respondo eu. A nossa classe política que administra o país, só legisla em causa própria, muda-se governante e , tudo continua na mesma, são apenas lampejos de melhora, depois, tudo volta a estaca zero. Me acostumei com quem manda no país.

  • breno

    Foi um protesto de estudante indignado com o corte, ou protesto da CUT e do MST pedindo a soltura do maior corrupto do Brasil?

  • Rômulo

    Esses que foram protestar ontem nada têm a ver com os que protestaram em 2013.

    Verdade nua e crua: salvo raras exceções, os que protestaram ontem são aqueles que parasitam as universidades através de bolsas e recursos para pesquisas que não dão resultado para a sociedade; são estudantes jovens, que ainda não têm formação política e servem de massa de manobra para a turma que não quer perder a mamata; são partidos políticos e “movimentos sociais” que, sendo declaradamente contra o governo eleito, vão aderir a qualquer manifestação que o prejudique.

    Quando o trabalhador (o verdadeiro, não o fake dos sindicatos) aderir a essas manifestações e a gente enxergar as bandeiras verde- amarelas no lugar das vermelhas e dos balões dos sindicatos, aí, Ricardo, eu vou dar meu braço a torcer e concordar com você.

    Por enquanto, só vejo firula da mídia parcial querendo inflar algo insignificante.

  • Felipe

    Mais um jornalista mostrando de que lado está.

  • Antonio Carlos de Almeida Barbosa

    Perfeito o texto, cada mudança que o Bolsonaro faz em seu governo, é para piorar e muito o que já era péssimo. A mudança no ministério da educação prova.
    Bolsonaro e seus filhos sofrem de mania de perseguição, todos paranóicos, coisa do DNA, e outras coisitas mais. Vamos aguardar as investigações do futuro réu senador Flávio.

  • Sérgio Lima

    A nossa educação básica tem conteúdo de aproximadamente 200 anos, os nosso reitores não tem compromisso com a transparência, basta vê que a da UFAL mal começou e já amarga um processo, ainda não julgado. Os nossos estudantes deveriam ir as ruas não só por este episódio, mas todas as vezes que tentarem desviar o objeto que é a educação de qualidade. Professores que fazem doutorado e que ficam sem ministrar aulas e muitas das vezes não concluem a pós graduação e são novamente contemplados quando se candidatam a nova qualificação. Portanto, fazer o que é certo é muito mais difícil, o que não deveria ser, por pessoas que deveriam ser espelho de virtudes. Então esse entrevelo é bem mais complexo e todos deveriam fazer uma reflexão mais profunda do que realmente temos culpa e podemos mudar para contribuirmos para uma sociedade melhor.

  • Adilio Faustini

    Bolsonaro é um MITO, está desnudando o que acontece de ruim nas instituições brasileiras, só o fato de todo mundo está discutindo as Universidades brasileiras e demonstrando N absurdos que acontece nas mesmas, já é um grande passo para melhorarmos a Educação.