Não há de ser novidade para ninguém, até pelos últimos acontecimentos, mas a venda da Braskem para o grupo holandês LyondellBasell travou.

O motivo mais relevante, por óbvio, é o problema enfrentado pela empresa em Maceió, após a divulgação do laudo da CPRM, que aponta a responsabilidade da mineração nas alterações observadas no bairro do Pinheiro (mas não só), principalmente.

Segundo o Valor, em reportagem assinada pelas jornalistas Graziella Valenti e Stella Fontes, o negócio já estava praticamente fechado, com um consenso entre as partes, mas o novo cenário, a partir da divulgação do laudo da CPRM, levou a mineradora holandesa – que está prestes a se tornar a maior empresa do setor no mundo – a suspender o fechamento da aquisição da Braskem, por equanto.

As conversas entre as partes tiveram início em fevereiro do ano passado e vinham evoluindo muito bem. É verdade que a Braskem, segundo a reportagem, vem caindo de preço na B3 (a bolsa de valores oficial do Brasil).

A Braskem fechou ontem valendo menos de R$ 30 bilhões, diz a reportagem. Quando do início da negociação dom a Lyondel, a empresa era avaliada entre R$ 36 bilhões e R$ 39 bilhões, e chegou a R$ 48 bilhões em setembro do ano passado.

Há outros problemas que “impedem” o fechamento do negócio, inclusive com o entrave na Bolsa de Nova Iorque, mas a questão ficou menor diante dos acontecimentos envolvendo a Braskem em Alagoas.

Embora a LyondellBasell não tenha desistido do negócio – nem tenha sinalizado neste sentido –, o grupo holandês quer saber o tamanho do problema e os custos da solução.  Antes disso, afirma a reportagem, não haverá negócio.

Ou seja: quanto mais rápida a solução, melhor para o grupo Odebrecht, que detém o controle acionário da Braskem (e tem todo o interesse de vender a empresa).

Se, de fato, há vontade e buscar um acordo, que se apresente ao TJ algo que, de fato, atenda os interesses dos milhares de alagoanos prejudicados.

Agência Nacional de Mineração não quer entrar na ação contra a Braskem no TJ
Empresa vai contestar laudo da CPRM na Justiça
  • Jorge

    Se a Odebrecht já tinha interesse em vender a Braskem, imagina agora com um problema desse ! Se os holandeses comprar, é o mesmo que assumir a culpa, lógico que não fecharam negócio.

  • Fernando Silva

    bem objetivo: a venda será concretizada, mesmo não havendo solução para moradores do pinheiro e demais bairros. Não nos esqueçamos: estamos no Brasil !

  • Luiz

    Caro Ricardo.

    Agora o problema tomou outro rumo, diante da suspensão das negociações com o grupo holandês, em razão que a Braskem por esse motivo, tem que sentar para negociar com os moradores a resolução das indenizações o mais rápido possível, bem como sanar as irregularidades junto aos órgãos ambientais para que as negociações com seus adquirentes se concretize.

  • SOLIDARIEDADE

    “Parabéns aos envolvidos pelo programa “Dose certa” lançado no nosso estado.Apesar do programa já existir a anos em SP é de grande utilidade para o nosso estado se for realmente dado continuidade, mesmo porque não é todo dia que existem apreensões de medicamentos a serem distribuídos.Lógico que existem algumas diferenças no programa mesmo porque a realidade e a necessidade de cada estado e municípios são diferentes, mas vale lembrar a iniciativa. http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/ultimas-noticias/dose-certa-e-o-maior-programa-de-distribuicao-de-remedios-do-brasil/ http://www.saude.sp.gov.br/ses/perfil/gestor/assistencia-farmaceutica/medicamentos-dos-componentes-da-assistencia-farmaceutica/medicamentos-do-componente-basico-da-assistencia-farmaceutica/programa-dose-certa https://www.cadaminuto.com.br/noticia/338967/2019/05/13/prefeitos-participam-do-lancamento-do-programa-estadual-dose-certa Aproveitando a oportunidade dessa iniciativa para com a saúde dos alagoanos queria pedir um olhar solidário para com esses pacientes e outros para que não precisem procurar a justiça https://novoextra.com.br/noticias/alagoas/2019/05/46752-justica-ordena-que-municipio-realize-colonoscopia-e-endoscopia-em-490-pacientes.”

  • Luiz Henrique

    Que ótimo! As circunstâncias sempre ajudando. Se a Braskem pagar os prejuízos, quem sabe a mineradora holandesa feche o negócio ? Mas se eles vão recorrer da decisão da CPRM, é por que não tem o mínimo interesse em pagar os prejuízos, enquanto isso, seu valor vai baixar numa velocidade relâmpago. Maravilha , o bom é que feche as portas mesmo, lamentável somente para os funcionários, porém ela tem extensões em outros estados e pode transferir boa parte deles para os lugares onde ainda pode atuar.

  • JEu

    Alguma “associação de moradores” da região precisa iniciar um movimento reivindicatório, com mobilização em frente da empresa diariamente, com bloqueio do acesso às instalações da empresa e dos poços de mineração para “facilitar” a empresa tomar a decisão de iniciar as negociações propostas pelo presidente do TJ/AL… se a população ficar só esperando, nada vai acontecer… é preciso tomar uma “atitude” para atrair a atenção da mídia nacional e, quiçá, internacional…

  • amorim

    Tá bom, o Grupo Holandês, espera pela Braskem, e os maradores do Pinheiro, espera uma solução da Braskem, sabe quando esse negócio irá sai? Nunca!!! Muita gente sonhando com a galinha dos ovos de ouro, mas acabaram da matar a galinha, então, não tem mais ovos? Só quando nascer outra (galinha). Vamos esperar? E haja paciência.

  • JJ

    Além do pessoal dos bairros atingidos com o fechamento da Braskem, o problema também atingi os quase 10 mil trabalhadores diretos e indiretos que somado às suas famílias são muita gente desempregado.

  • ALAGOANO REVOLTADO

    O DESINTERESSE – Enquanto o problema crucial não só para os habitantes dos bairros do pinheiro e adjacências estão preocupando uma boa parte de pessoas desprotegidas pela sorte, como é o assunto em nossa terra, os desocupados deputados não estão medindo esforços para resolver se CACHAÇA , CERVEJAS E BEBIDAS DESTILADAS devem ser vendidas NOS CAMPOS DE FUTEBOL. Isso é um absurdo e falta do que fazer e uma comprovação de que não se incomodam com o destino dos alagoanos, e , acima de tudo, de que o povo que se afunde porque o fabuloso duodécimo será creditado em suas contas.

  • Meirinha

    A pessoa lê uma matéria dizendo “Lançamento de programa criado pelo governo do estado” Porque não diz “governo do estado aderiu à tal programa adequando alguns itens a necessidade do estado? Seja ele na saúde,educação,segurança…O povo parece que vive numa eterna campanha política.

  • Fafá

    Que Deus tenha misericórdia dos alagoanos e que a justiça divina seja feita para os que só pensam nos próprios interesses.