Foi graças ao aval dos líderes do Centrão, à frente o deputado Arthur Lira, do PP, que o governo conseguiu votar o projeto da Reforma da Previdência na madrugada de hoje, na CCJ.

Eles conseguiram, é verdade, fazer algumas alterações no projeto original, mas, principalmente, demonstraram força no Congresso nacional – o Centrão possui algo em torno de 150 votos.

O que conseguiram alterar no relatório do deputado  Marcelo Freitas (PSL-MG):

– foi mantida a obrigatoriedade de recolhimento de FGTS de quem já for aposentado e continua trabalhando, além do pagamento da multa de 40% na rescisão contratual caso de demissão;

–  foi excluído do texto a concentração de ações judiciais sobre a reforma da Previdência em Brasília e a exclusividade do Executivo de propor alterações na Previdência;

– mudanças na idade de aposentadoria compulsória só poderão ser feitas, como hoje, através de emendas à Constituição.

Ao contrário do que aconteceu com alguns parlamentares da “velha política” – qual é a nova? –, Arthur Lira se mantém no topo da Câmara Federal.

E já vem sendo paparicado pela confusa bancada do governo no Congresso.

Como gosta de dizer o presidente, há uma paquera, que pode evoluir para o namoro e, ato contínuo, para o casamento.

Tereza Nelma diz que PEC da Previdência "rebaixa à miséria pessoas com deficiência"
Sérgio Toledo votou a favor da Reforma da Previdência na CCJ
  • Traira

    Tirando os lambe saco de Deputado,que por aqui tambem aparecem afinal,o cordao do puxa saco cada vez aumenta mais,as pessoas que tem neuronio e vergonha na cara ta de olho,primero. Nome pra ser marcado Sergio Toledo e esse( Arthur Lyra),esse qualquer troco e bemvindo!!

  • SH.

    A reforma é necessária, se for rígida pior para nós, se for branda pior para nossos filhos, se for muito superficial não dará chance alguma de aposentadoria a nossos netos!

    Para este povo que imagina um mundo de faz de conta recomendo a leitura de Alice no país das maravilhas!

    Para os que vivem no mundo real apenas recomendo que tenham uma calculadora na mão pois a questão da Previdência é matemática e não filosófica ou de Cunho ideológico.

  • Meu Deus

    Dois nomes até agora pra ser guardado,Sérgio Toledo (traíra) e Arthur lyra( pagou levou)

  • Meu Deus

    As Vezes eu me pego pensando se a pessoa,mero mortal,que defende a reforma da previdência é burra simplesmente ou inocente demais,ver Militates,Juristas,políticos de fora,bancos devendo Bilhões tendo perdão da dívida ou simplesmente essas dívidas não cobradas,cada Deputado,Senador,com salários e verbas que juntos chegam a 150 mil mensais e que não vai mudar,com aposentadorias integrais,enfim,tanta coisa que não dá pra falar tudo aqui………mas acho que já tenho a resposta pra minha pergunta,eu acho que é tudo junto,burrice de alguns,inocência de outros e tem sem dúvidas uma fatia enorme de mal caratismo mesmo claro!!

  • Johann Sebastian Bach

    Dos 9 Deputados Federais por Maceió, apenas 2 tem algum neurônio.
    A Nova Previdência é uma vitória do Brasil!!!
    O caminho mais seguro para a burrice é o sujeito negar-se a acreditar num fato porque este lhe parece incompreensível. A regra áurea da inteligência é, ao contrário, aceitar primeiro o incompreensível para então chegar a compreendê-lo.

    Resposta
    Os deputados, homem-bomba, são de Alagoas.

  • JEu

    Não tenho nenhum apreço nem pelo Sérgio Toledo, nem pelo Arthur Lira… todo mundo conhece essas duas peças politiqueiras, principalmente o segundo… e o Arthur Lira nada mais faz do que sempre fez: aproveitar a oportunidade para ficar do “lado certo”… coisas que aprendeu com seu pai e com o rei das artimanhas no Estado: Reinão Calheiros (que agora está em decadência, fim de jogo, descendente para o ostracismo e, por isso, ninguém o quer mais como “amigo”)… agora, se alguém tem uma saída melhor para o país (não é para o governo…) que se pronuncie… eu já disse aqui, e repito, que somente com um combate incansável à corrupção e às mordomias em todos os podres poderes é que poderemos sonhar com um país melhor, mais justo… e temos que começar conosco mesmo, tirando de nossas cabeças o atavismo ideológico… a única ideologia viável para o povo brasileiro é o bem do país e, por consequência, de todos os brasileiros…

  • Claudio Mcz

    SH certissimo seu comentario, caso não faça todos vão sofrer inclusive quem tem privilegios, os mais pobres nem se fala, é melhor um pequeno mal para ter um fuuro melhor do que ser inresponsavel e inviabilizar o Brasil como aconteceu com a Grecia, Venezuela e Argentina que era muito rica em 1940 e hoje todos ganham menos pq quebraram o pais e hoje o trabalhador ganha menos que no Brasil. E uma questão de inteligencia ou a pessoa é mal intencionada e que ver o povo sofrer com o estouro das contas publicas. So para lembrar quem já defendeu a Reforma da Previdencia : Collor, FHC, Lula, Dilma, Temer, Bolsonaro precisa dizer mais alguma coisa, gente de direita, centro e esquerda.

  • Observador Distante

    Toda a população vai para a miséria. Essa reforma será uma tragédia insuperável para esse país. Por que se CENSURARIAM os estudos, se não fosse assim? O castigo para os que apoiaram a privatização da previdência terão de viver nesse mesmo país. Essa é uma profecia.

  • adalgisa

    É inacreditável que um político citado na lava jato seja um líder no congresso. Mais desmoralização impossível.

  • Lucas Farias

    Prezado Ricardo, desejas saber o que é a tão propalada “nova política”? É isto aqui:

    Governo Bolsonaro oferece R$ 40 milhões a cada deputado para comprar voto pró-reforma

    Proposta foi feita por Onyx Lorenzoni em reunião na casa de Rodrigo Maia e confirmada por líderes de cinco partidos, além de deputados do DEM, PP, PSD, PR, PRB e Solidariedade, que não quiseram ser identificados

    https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/04/governo-dara-r-40-mi-em-emendas-a-cada-deputado-que-votar-pela-reforma.shtml

  • jezualdo

    Artur Lira, o destino da previdência nas mãos de parlamentares com este perfil.
    Parabéns para quem concorda em fazer mudanças por homens que não horam com os votos que recebe.