Geraldo Castro é um dos líderes do movimento SOS Pinheiro, que, como a maioria dos alagoanos aguarda com grande expectativa o laudo final da CPRM sobre os eventos geológicos registrados no bairro:

– O relatório não vai resolver o problema social, mas será um marco para definir o que precisa ser feito.

Convidado do Ricardo Mota Entrevista deste domingo, Geraldo Castro se diz preocupado com o documento, “que não pode ser dúbio. Precisa ser objetivo, para não deixar muitas brechas para disputas judiciais”.

Ele é bastante crítico em relação à atuação da prefeitura de Maceió, do governo do Estado e também da União, que “deveriam estar unidos nesse trabalho de apoio à população dos bairros atingidos”.

Sobre a Braskem, ele afirma: “Já deveria ter feito seus estudos há muito tempo, não agora sobre saneamento e drenagem das áreas afetadas”.

Como tem sido o dia a dia dos moradores do Pinheiro, desde o ano passado?

“Quando começa a chover, as pessoas não dormem. O alívio só vem quando a chuva para”.

Num resumo, Geraldo Castro afirma:

– O Pinheiro hoje é um campo de concentração de emoções.

Não é fácil lidar com isso.

Ricardo Mota Entrevista

Domingo, às 10h30, na TV Pajuçara

Convidado: Geraldo Castro – SOS Pinheiro

--------------------------------------------------------
Rui e Renan Filho vivem o mesmo dilema sobre a sucessão em Maceió
  • Morador de Bebedouro

    Na realidade a Braskem. Não está fazendo estudos coisa nenhuma!! está sim fazendo o seu próprio laudo. Para contestar o laudo da CPRM. Nós moradores de Bebedouro, não esperamos nada de bom vindo dessa empresa. Por nós essas bombas atômica, aqui do bairro já estariam todas paradas. Não em pleno funcionamento e ainda cavando outros poços. Aos olhos do IMA.

  • JEu

    Concordo plenamente com o Geraldo Castro: o laudo da CPRM tem que ser simples, preciso e conciso, indicando claramente as “forças” que atuaram na estrutura geológica da região e deram causa, ou apressaram, os problemas de “subsidência” (afundamentos) nos locais… não precisa mencionar, diretamente, o nome da Brasken, mas precisa afirma, definitivamente, em que proporção a atividade de mineração do sal-gema contribui para que tenham surgido os afundamentos, com os efeitos causados para as residências (rachaduras, perda de estabilidade das estruturas das casas, prédios, ruas, etc, etc)… agindo assim, a CPRM, através do laudo, concorrerá decisivamente para que as pessoas e empresas prejudicadas sejam devidamente ressarcidas… e o laudo poderá (e deverá) também, apontar a proporção de responsabilidade para o Estado (vazamentos de água de dutos da CASAL, por exemplo) e do município (precariedade do sistema de escoamento das águas pluviais, por exemplo)… assim não haverá mais dúvidas sobre as responsabilidades de cada uma das partes… é tudo o que esperam, creio, os moradores e empresários do bairro do Pinheiro e adjacências…

  • Gutto

    O que será de Maceió se a Braskem fechar as portas???

  • Jhom

    Não sei o que será de fechar as portas, mas sabemos o que será de não fechar as portas. Várias VIDAS engolidas.

  • Jhom

    A força do sistema de telecomunicações nesse momento seria a única ação definitiva para resolução desses problemas.
    Mas parece que algumas estão sendo compradas pela Brankem.
    Se fosse em outro estado com certeza ja estava bem alarmante essa notícia. Mas as grandes emissoras estão fazendo vista grossa mesmo sabendo o potencial que tem.

  • Julius Robert Hoppenheimer

    Se a Braskem fechar as portas será o começo do desenvolvimento do estado!!!
    Temos que tirar este câncer de um dos estados mais bonito e rico em recursos naturais do mundo!!!
    Todos os que moram na capital tem que ter em mente que eles têm que sair o mais rapidamente possível!!!
    É uma questão de sobrevivência, ou eles ou nós…
    É como a esquerda e Bolsonaro , é uma questão de sobrevivência!!!

  • Josy

    E o que será de nós moradores do bairros atingido que muitos de nós só temos esse meio de sobrevivência? Quem vai nos dá outra moradia no mesmo padrão? A Braskem tem bi, trilhões pouco estA preocupada com a nossa situação. O que nós queremos é apenas quem for o responsável assuma com a responsabilidade, o que não podemos e ficar a mercê.

  • Luiz Henrique

    Bom dia Nobre Jornalista. Acredito fielmente que a demora no laudo de por que os políticos estão negociando o mesmo com a Braskem. Na verdade, já sabemos a verdade, e a audiência pública em Brasília não deixa dúvidas que a Braskem é de fato a culpada. Então o que este laudo pode trazer de novo ? O que vai mudar após o laudo ? As casas que racharam no Pinheiro e em Bebedouro vão mudar por causa do laudo ? Quem vai pagar os prejuízos ? Não seria também o estado culpado, por permitir a extração de minério dentro da cidade ? Por que a Braskem continua a retirar salmoura, mesmo com todo o prejuízo que causou ?
    Por que os moradores da área afetada estão desobrigados de pagar IPTU, quando na verdade deveriam estar ISENTOS ?
    POR QUE O IPTU DE QUEM NÃO ESTÁ NAS ÁREAS AFETADAS SOFREU UM AUMENTO TÃO GRANDE ?
    Teria o Prefeito diluído a receita que perdeu para os outros bairros ?
    A Braskem acha mesmo que se não pagar os prejuízos, ou mesmo se pagar, vai continuar extraindo minério dentro de Maceió ?
    São perguntas que não calam, nobre Ricardo, mas uma coisa eu garanto a você, nós os moradores de Bebedouro, daremos a resposta !

  • Morador de Bebedouro

    GUTTO! A minha casa foi avaliada em R$ 250.000,00 – Condomínio Bosque Mundaú. Eu lhe vendo por R$ 50,000,00 você está disposto a comprar, e morar no bairro??? Foi apenas esse grande beneficio… que a Braskem nos deixou!!! Imoveis desvalorizados 100%

  • Santos

    Certeza da culpa da Braskem, 99,99% da população tem, mas apena 0,01% tem a certeza que o laudo da CPRM será conclusivo e apontará a Braskem como responsável pelo problema. Eu continuo achando que o laudo será INCONCLUSIVO e além da Braskem, Casal, Prefeitura de Maceió, Algás e o próprio Governo do Estado serão apontados com “POSSÍVEIS” causadores do problema que atinge o Pinheiro, Bebedouro e Mutante.

    A única certeza que tenho é que a culpa maior é dos órgãos públicos responsáveis pela fiscalização da exploração realizada pela Braskem, pois foram coniventes com todos os erros que aconteceram nessas últimas décadas.

  • Luiz Henrique

    Respondendo a sua pergunta Gutto, sem a Braskem, Maceió será uma cidade segura para você e sua família, afinal, o dinheiro que ela deixa no estado, não paga os prejuízos, pois se pagasse, ela não precisaria ter os seus bens bloqueados pela justiça, ela mesma assumiria o dano que vem causando e já teria pago os imóveis e estragos . As vezes a gente se prende tanto a uma coisa, e outras melhores poderiam vir, se déssemos oportunidade. Não sei se você é morador de um das áreas afetadas, mas imagine, tudo o que construiu, ser tomado de assalto da noite para o dia ! Você ter que se mudar, abandonar seu imóvel, pagar transporte de mudança, alugar um imóvel caro, mudar escola dos filhos, enfim, mudar toda rotina de vida, por que uma empresa que gera lucro para o estado, está destruindo a capital deste estado. É simples, coloque-se no lugar de quem está na área de risco, depois diga se a Braskem fará alguma falta. Dinheiro não é tudo. O dinheiro da Braskem não elege político, os moradores das áreas afetadas ( que não são poucos ) sim. Esses elegem os políticos.

  • Alabucano

    Pergunta relevante, mas a questão essencial a ser respondida no momento é o que sera de Maceió e, principalmente, dos moradores das áreas atingidas se uma catástrofe como a prevista acontecer? Garanto que uma empresa como a bilionária como a Braskem vai sobreviver e os negócios vão se manter.

  • Johann Sebastian Bach

    E a injustiça, não vai mandar parar imediatamente a mineradora???
    Interessante, fazem a coisa ao contrário??? Fazem o bloqueio de bens???
    Tem que mandar parar imediatamente!!!
    É a Capital x Mineradora!!!
    Havendo um segundo abalo sísmico, toda capital será atingida!!!
    E aí, injustiça, mostra a tua cara…

    Democracia já!!!

  • Nadja

    Me poupe.

  • FABIAN

    PARABÉNS AO LÍDER GERALDO CASTRO:”SOS PINHEIRO”, PELA INICIATIVA E OUSADIA DE ENFRENTAR OS COVARDES
    E OMISSOS GESTORES: BRASKEM/ODEBRECHT; GOVERNADOR RENAN FILHO (MDB); PREFEITO DE MACEIÓ RUI PALMEIRA (PSDB), OS QUAIS RESPONDEM JURIDICAMENTE, POR TODA E QUALQUER TRAGÉDIA QUE VENHA ACONTECER, NOS BAIRROS: PINHEIRO, MUTANGE E BEBEDOURO! QUEM VAI PAGAR A CONTA, DAS FAMÍLIAS DESTES BAIRROS, ÀS QUAIS TRAZEM SEQUELAS: EMOCIONAIS, FÍSICAS E MENTAIS??? E AS FAMÍLIAS QUE FICARAM, NO BAIRRO PINHEIRO, AS QUAIS NÃO FORAM CADASTRADAS E NÃO RECEBERAM O AUXÍLIO ALUGUEL??? COM A PALAVRA O MINISTÉRIO PÚBLICO??? ACORDA MACEIÓ E ALAGOAS!!! ESSA TURMA, SÓ ESTÁ PREOCUPADA COM UMA COISA: A POLITICAGEM DE 2020!!! ENTENDERAM??? “MUDA, QUE QUANDO A GENTE MUDA, O MUNDO MUDA COM A GENTE”.(GABRIEL O PENSADOR)

  • Joaquik

    Uma empresa que acabou com um bairro,e terá que pagar por seus atos

  • Rodrigo

    Gente de Maceió, estou vendo, que muitas pessoas ainda pensa na renda da BRASKEM para o nosso Estado. Venho lembrar de fatos que ocorreram em outro país em que a BAYER em conjunto com a MONSANTO, empresa de origem Alemã FOI CONDENADA NOS ESTADOS UNIDOS E FECHADA, em seguida vários processos ainda tramitam pelo seguinte fato, causou câncer em vários moradmoradores onde a fábrica estavestava estabelecida. Então não pensem So em dinheiro, a Braskem não deveria nem mais esta fixada na capital, muito menos estar minerando dentro da cidade. Pede o que reflitam sobre os produtos que ela processa, muitos dele são nocivos à saúde, lembrem que o pinheiro está tendo um grave problema com o solo, não esperem que fique somente nisto. Se algum dia o problema for para o lado da saúde aí eu quero ver as pessoas pensar em renda financeira para nosso Estado…pensem nosso, estamos falando do futuro de nossas famílias!