O deputado federal Arthur Lira, líder do PP na Câmara Federal, não foi ministro de Temer porque não quis.

Mas teve no período temerário um ministério que chamou de seu: das Cidades, primeiro, e da Saúde, depois, onde deu régua e compasso.

Agora, no governo Bolsonaro, as relações palacianas não têm sido das mais amigáveis com os congressistas, muito menos com os deputados do Centrão, turma que o parlamentar alagoano comanda com muita destreza.

É aí que Lira mostra, mais uma vez, a sua força.

Nada na Câmara Federal anda pra valer – nem reforma, nem projeto – sem o seu aval, representando cerca de 150 deputados.

E como nem a bancada bolsonarista se entende, perdida e dividida, Arthur Lira surge como um calo que não cabe dentro do sapato do governo.

Ele negocia em nome dos pares, de quem conquistou a confiança, e não tem demonstrado temor em relação à turma do Twitter.

Ele aprendeu a falar a língua dos homens.

Discurso do ministro Dias Toffoli revela desonestidade intelectual
Olavo Calheiros atacou a Pereira errada na Assembleia
  • Antonio Moreira

    Onde está a parte ruim dessa história?
    é a terra? é a semente? é esse fruto que aí está? Brasil!
    Ah, Alagoas, Alagoanos e homens de negócios! Brasil!
    Até quando essas casas serão apenas “casas de negócios”? Brasil!
    olha coisa boa que está acontecendo:
    Ultimamente estão constantemente lembrados pela imprensa
    O pai do pai do pai do amigo do pai e amigo do amigo do pai.
    Brasil!

  • JEu

    Já sei, a língua dos homens é a tal da “articulação” politiqueira… e haja cargos para atender a articulação… essa maneira de fazer política tem que ser combatida e rechaçada de todas as maneiras… eis aí o motivo de toda a “oposição” de Arthur Lira e seus comparsas… que fique bem claro…

  • Há Lagoas

    Chame-me de pragmático – pois sou humano – mas tendo acreditar que o clã Lira é menos pior do que os Calheiros…
    Arthur Lira é um animal político cujo veneno pode ser fatal, por isso, espero que o Planalto seja estrategista com relação as “manobras” que pretende executar com relação ao filho de Biu de Lira.

  • BETO

    Eu vou dizer viu…. é muita coragem, pq é só acionar o botão Moro Power e a casa cai.
    Ele tem que lembrar que a inteligência agora está nas mãos do Exército Brasileiro, e cá para nós, nem precisa tanta inteligência, basta perguntar a qualquer alagoano.

  • BETO

    Sérgio Cabral, em audiência com o Juiz Bretas, disse:
    – Excelência, eu admiro muito seu trabalho e do MP. Eu sou um corrupto e me envergonho muito disso, mas todos os governadores fazem a mesma coisa e só eu estou preso.

    Com a palavra o Ministério Público de Alagoas.

    • MARCELLO LESSA SANTOS

      Não só governadores, prefeitos e a maioria dos legislativos, nas três esferas. É um verdadeiro balcão de negócios. Poucos são os que estão ali com intensão de ajudar ao país.

  • José Arnaldo de Vasconcelos

    Tenha cuidado, tem remédio para tratar do calo .

  • Adilio Faustini

    Menas.

  • Adalgisa

    Ainda na esperança de negociar cargos o deputado tenta achacar o governo, mas é só uma questão de tempo, muito em breve a lava a jato dará o golpe de misericórdia.

  • Luiz Testa

    Artur Lyra atua nos bastidores há vários anos “articulando” em nome de extensa bancada com impressionante competência em nome desses interesses nada republicanos, em todos os governos recentes, desde Lula acredito, é um profissional, se fosse em defesa de Alagoas seríamos o Estado mais rico da federação, e não é de hoje…. uma vez ouvi o então prefeito Ronaldo Lessa às lágrimas numa rádio local reclamando dos “pleitos” do vereador Artur Lyra, cada vez mais difíceis e onerosos para atender ao vereador e ao grupo político comandados pelo rapaz, não tenho dúvida que até o governo Bolsonaro terá que se dobrar, ao menos em parte, ao jeito de fazer política do eficiente e discreto deputado.

  • Cristiano Magalhães Araujo

    Enquanto isso Arthur Lira gasta R$ 55.595,53 de cota parlamentar (viagens, telefonemas,… Em janeiro, fevereiro e março) e R$ 222.943,43 de verba de gabinete (fevereiro e março). Gastando com força chegando ao limite dos gastos. É bom que aprove e faça projetos em prol da população…