O pior problema de relação do poder público com o povo, em Alagoas, parece mesmo ser o caso do bairro do Pinheiro.

Há algumas explicações que merecem ser mais bem analisadas, a começar pela falta de credibilidade – lamentável mas compreensível – desse mesmo poder público junto à população.

Este é um mal geral, digamos.

Mas temos, por aqui, algumas especificidades que vão se evidenciando pelo agravamento da “crise de comunicação” apontada pelos moradores do Pinheiro.

A mais importante delas, assim me parece, é a falta de harmonização – interseção – das ações da prefeitura de Maceió com as do governo do Estado.

Se chegarmos à conclusão óbvia de que não há heróis nessa história, ainda que a conquista do espaço midiático seja o troféu ambicionado, o desencontro de prefeitura e governo revela o mal da imaturidade política, que atinge Renan Filho e Rui Palmeira.

O pior, e eu sei que isso tem acontecido, é que o pessoal dos escalões inferiores – município e estado – não se sente seguro para adotar medidas conjuntas, que eles mesmos enxergam como indispensáveis.

Há – quanta tolice! – a preocupação com a reação do “chefe”, sabendo-se que Rui Palmeira e Renan Filho já ultrapassaram de há muito a condição de simples adversários políticos.

Com tanto ruído na comunicação, com tanta dificuldade de interseção – e não por culpa do pessoal técnico -, os moradores do Pinheiro não conseguem ver nada no horizonte que lhes seja favorável.

Se ambos, Rui e Renan, pudessem olhar para trás e vissem como os aliados venceram o nazismo – com as devidas proporções históricas e de dimensões -, haveriam de entender o quanto é pequena a birra entre eles neste momento.

É sentar e conversar: “Precisamos falar sobre o Pinheiro”.

Melina, Maurício Quintela e Alexandre Ayres estão no pacote dos "novos" secretários
Muitos atacam o governador na Assembleia - quem o defenderá?
  • Há Lagoas

    Dois senhores – na casa dos 40 anos – agindo como duas crianças!

  • ROTARY

    Sou morador do PINHEIRO e este dois POLÍTICOS, no pior sentido da palavra, só estão mostrando que não têm capacidade para cuidar de um problema sério, são capazes apenas de lotear os cargos públicos para manter seus aliados contentes.
    Recentemente a nossa maravilhosa CAMARA DE VEREADORES veio querer se posicionar sobre o caso, UMA VERGONHA .
    Fiquem atentos, a eleição já é em 2020.
    Não esperava muita coisa de nossos políticos mas devo confessar que fui surpreendido com a total falta de atitude e indiferença aos moradores do PINHEIRO.
    TRISTEZA é o sentimento que me assola.

  • Gildo Ferreira

    Caro Ricardo Mota, al´ém dessa “birra” inconsequente dos chefes dos executivos municipal e estadual, há uma omissão abissal dos vereadores de Maceió e da maioria de nossos deputados estaduais e federais… Eles não estão nem ai!!! Tsunâmica constatação de todos nós que habitamos o bairro do Pinheiro e seu entorno! É uma Câmara Municipal, Assembleia legislativa e Câmera Federal que não nos representam. Nos d´ão nojo e repugnância. Neo Sofistas da Acrópole do sururu embriagados de Sal e Gema…

  • Luiz

    Caro Ricardo.
    Em outra oportunidade me manifestei aqui no seu blog e é importante retranscrever para que seus leitores estavam cientes das omissões praticadas pelo Governo do Estado, que assim me expressei nos seguintes termos:
    “Percebo que os órgãos engajados na elucidação do problema do Pinheiro estão batendo cabeças, a Prefeitura e governo do Estado estão mais perdidos que cego em tiroteio.
    A CPRM órgão federal, já fez mais de 1600 mapeamentos em todo Brasil, mas, nunca se deparou com um problema de tamanha gravidade igual ao Pinheiro, estão sem parâmetros para finalizar a conclusão dos laudos. O que me deixa estarrecido é a braskem está fazendo sondagens em seus poços para subsidiar os técnicos na elaboração de laudos.
    Ora, nobre RICARDO, todos nós sabemos do histórico e ficha criminal – a Operação Lava Jato que o diga – dos mandatários da Odebrecht em que a Braskem pertence a este grupo.
    É só pesquisar no TSE a quem essas empresas fizeram doações para campanhas de governo e prefeitura, lá estão os nossos comtemplados.
    O Ministério Público Federal juntamente com a Polícia Federal tem que estar de olho nas manobras da Braskem com objetivo de se eximirem das responsabilidades do afundamento do bairro do Pinheiro em razão da extração desordenada de salgema em área urbana desde 1975.
    Para conhecimento de todos agora vejam no link o comprometimento do Governador do Estado com a Odebrecht:
    https://g1.globo.com/google/amp/politica/operacao-lava-jato/noticia/delacao-da-odebrecht-renan-filho-pmdb-e-suspeito-de-receber-ao-menos-r-800-mil.ghtml
    Asseguro que, o jogo é muito sujo e pesado.
    Quem viver verá!”

  • Ariel Satter

    Primeiramente o bairro do Pinheiro merece ser priorizado não só pela Prefeitura e Estado, mas de fato pelo Governo Federal. Os Senadores e Deputados federais devem agir para conseguir o maior investimento possível e evitar uma catástrofe. Agora vai para o bairro deputado JHC dizendo que não é pra se fazer palanque, e todos sabemos que foi fazer isso. O Governador do Estado não é o culpado, assim como o Prefeito, só que sabemos que essa demanda é de responsabilidade diretamente da Prefeitura de Maceió. O Estado pode até entrar pra ajudar evitar o que especialistas alertam, mas de fato, é primeiramente de responsabilidade da Prefeitura de Maceió.

    Enquanto tiver essa briga de vaidade entre eles, quem perde é o povo. Enquanto os políticos dormem em suas mansões, o pessoal do Pinheiro só tem pesadelo.

    Vamos agir o quanto antes e evitar algo pior. O bairro está abandonado e seus moradores mesmos se mudando, estão em sofrimento.

  • julius Robert Hoppenheimer

    Fale, narre, sobre a Braskem… Qual à sua opinião pessoal sobre uma Mineradora dentro de uma Capital com HUM MILHÃO E VINTE CINCO MIL HABITANTES???
    SE HOUVER UM TREMOR UM POUCO ACIMA DO DE 2018, O QUÊ ACONTECERÁ???
    AFINAL, ATINGIU TODA CAPITAL???
    E A BRASKEM, HORA A BRASKEM, BANCO TODO MUNDO, DE POLÍTICOS À JORNALISTAS???

    🤣😂😄😀😃😁

  • JEu

    Concordo com vc, Ricardo… é preciso mesmo que essas duas esferas de governo se reúnam, pelo menos, para debater os problemas e as possíveis soluções para a população do bairro do Pinheiro… e que também juntem forças para que as responsabilidades sejam devidamente apontadas e ações concretas sejam adotadas com a urgência que a situação requer… senão, depois do “desastre” que pode ocorrer e com proporções gigantescas para o Estado e o Município, as consequências serão muito maiores do que o “orgulho e a vaidade” politiqueira… afinal, esperar, nesse caso, é “pagar para ver”… o resultado…!!!

  • Alagoano sem esperança

    Se fosse na ponta verde, as tratativas seriam outras, não é verdade? O bairro do pinheiro é formado basicamente por “pobres mortais” comparando com a casta selecionada da área nobre, mas mesmo assim merecem total atenção do poder público. O atual prefeito de Maceió não se elege mais nem para síndico de prédio.

  • Felipe

    Esse cara fala para os ricos, fala para que todos possam entender.

  • Luiz

    Caro Ricardo.
    Hoje participei de uma audiência pública na assembleia legislativa proposta pelo Dep. Cabo BEBETO para discutir com autoridades envolvidas no problema do bairro Pinheiro.
    Dentro da programação, foi aberto para que as autoridades e profissionais técnicos dos órgãos envolvidos falassem sobre o problema que assola os moradores do Pinheiro.
    Para nossa surpresa, fiquei decepcionado com a apresentação do representante da CASAL Sr. JORGE BRISENO – em discurso, parecia mais com um candidato a cargo da Braskem – onde afirmou que o bairro do Pinheiro era uma concha e mantinha um solo aquoso sem escoamento e que nunca deveria ter sido habitado e, que ali deveria ser um parque…etc
    Em seguida a Dep. Angela Garrote retrucou o indigesto Diretor da CASAL, afirmando que o bairro do Pinheiro sempre foi um bairro abandonado pelo poder público que sequer tem saneamento básico.
    Pois bem, parece-me que a falação inicial do nobre diretor está indo na mesma linha que apregoa o grupo Braskem no sentido de afastar a responsabilidade da Braskem nesse episódio, isto é, aprendeu por osmose,
    Percebo muita coincidência nesse discurso.
    Pergunto: O que será que esta acontendo por trás disso?